Sherco continua com carburador nos modelos 2 tempos de 2020

By on 9 Julho, 2019

Os modelos de Enduro para 2020 da marca de motociclos francesa Sherco apresenta um conjunto de novas características que parece tornar as suas motos ainda mais competitivas. Vejamos por exemplo os resultados de relevo alcançados pelos pilotos da marca, Mario Roman e Wade Young nas corridas de Extreme e Hard Enduro com as motos a 2tempos.

No entanto, os modelos a 2tempos da marca Sherco continuam a utilizar motores com carburador.

Num momento em que as leis de emissões estão mais apertadas do que nunca para os motores a 2tempos, a questão é: – O que leva um construtor de uma marca de motociclos a continuar a utilizar carburadores ?

Thomas Tessier, diretor geral da Sherco explica como…

A primeira e mais importante pergunta é: porque é que não vemos motores a 2tempos com injeção electronica?

Thomas Tessier: “As restrições da Euro 5 só tem efeito a partir de 2024, logo ainda falta muito tempo para sermos obrigados a ter motores 2tempos com injeção.”

” Também, nós gostamos de nos considerar amigos dos clientes, logo, de maneira nenhuma que iremos colocar no mercado uma evolução tecnológica que não se traduza num aumento de performance na moto.”

“Não faz sentido colocar no mercado uma moto com injeção electrónica de combustível se não vai ser melhor em relação às que usam carburadores. É mais caro e neste momento não faz qualquer sentido. Carregar o cliente com mais um produto que não trás um aumento de performance, não faz qualquer sentido.”

Claro que isto não pode durar para sempre, as restrições do Euro 5 irá significar uma situação diferente…

“Nós ainda temos até 2024 – quando a injeção será obrigatória – quando tivermos a nossa injeção a trabalhar corretamente, nós iremos trazer para o mercado.”

“Nós sabemos que as 2tempos têm de evoluir, mas é importante notar que encaramos o problema de uma outra direção (nos modelos atuais).”

“Nós implementamos o Sistema “SBS”, uma válvula electrónica desenvolvida em nossa casa, que é montada directamente no cilindro, em que somos a única marca que o faz e com um seletor de mapas montado do guiador, que significa uma média de 5 a 7 cavalos de diferença. Isto é um real melhoramento de um produto.”

 

Já têm desenvolvido o sistema de injeção de combustível, certo?

“Nós temos o sistema de injeção de combustível desenvolvido e se alguém procurar na internet irá encontrar videos de motos com injeção de combustível. Mas, neste momento estamos a trabalhar em algo um pouco mais simples – semelhante à válvula eletrónica “SBS” – que com este conhecimento poderá caminhar para algo mais simples a nível tecnológico.”

 

É justo afirmar que o sistema que usam não é simplesmente afinações de carburador…

“O sistema SBS, uma válvula controlada eletronicamente, trabalha com a relação dos RPM utilizados, abrindo uma percentagem da válvula. Dependendo do mapa selecionado, conseguimos controlar a ignição e abertura da válvula. É por esta razão que conseguimos uma grande diferença de potencia entre os diferentes mapas selecionados.”

“Outros motores em que abertura da válvula é feito mecanicamente, este responde muito rapidamente em relação à velocidade do motor. Com o nosso sistema, podemos ter a mesma percentagem de abertura da válvula às 6000rpm ou às 10000rpm, visto que já não é feito mecanicamente. 

Então, neste momento as motos cumprem os padrão da Euro4 e sem duvida que as 125cc, 250cc e a 300cc 2tempos da Sherco conseguem colocar toda a sua potencia no chão.

“Eu penso que as motos apresentam boas performances e isso é comprovado nos resultados alcançados em competição. Este ano nós alteramos uma serie de elementos na moto e ela apresenta-se muito mais suave. Os nossos pilotos não conseguiriam ganhar corridas este ano (2019) se a moto não fosse boa.”

“Algumas pessoas dirão que o piloto é que é bom e não a moto, mas eu penso que têm de ser ambos, bons pilotos e boas motos. Eu não gosto de dizer que as nossas motos são as melhores, mas este ano já temos 3 pódios em 3 grandes corridas: Alestrem, Lagares e Erzberg, então, cabe ao consumidor se quer optar pelas nossas motos ou não.

Fonte: Artigo traduzido do site Enduro21

Fotos: Sherco

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!