Uma Honda CB muito original

By on 26 Fevereiro, 2019

É muito raro uma Honda CB Cafe Racer chamar-nos a atenção ​​nos dias de hoje. Mas esta Honda CB350 de New Jersey foi direita para a frente da fila: é um restauro- modernização absolutamente inovador e tão lindamente acabado que quase daria medo andar nela caso se estragasse alguma coisa. A moto vem da Merlin Cycleworks, que é dirigida por Mark Kouri, de 56 anos. Mark é mecânico de aviões há mais de 30 anos, trabalha na manutenção dos jatos da United Airlines, e a sua atenção aos detalhes neste restauro é verdadeiramente incrível.

Quando não está a consertar ou a substituir motores a jato ou pilotos automáticos, ele constrói motos personalizadas na sua garagem dupla. “Eu sou uma operação de um homem só”, conta ele. “Comecei o negócio há alguns anos, depois de encontrar uma CB450 de 1974 abandonada no quintal do meu vizinho.” “Ele estacionou-a em 1983, e ficou lá até eu a comprar por US $ 100 e trouxe-a de volta à vida com um estilo meio-café racer meio “rat”. A moto ficou em primeiro lugar em cinco dos seis salões em que entrei. “Não surpreendentemente, a notícia espalhou-se e o negócio explodiu.”

Mark passou por esta CB350 de 1972 num celeiro do Texas no ano passado, comprou-a por US $ 600 e começou por a desmontar até ao quadro. “Eu gosto de pensar nela como uma versão mais moderna e atualizada de uma moto de corrida de fábrica dos anos 70″, diz ele.

O objetivo era maior potência, melhor comportamento e mais fiabilidade. Acho que preenchemos todos os requisitos.

Há algo reconfortante em saber que foi um mecânico de aviões que construiu a nossa moto e Mark fez um trabalho extremamente minucioso. Ele limpou e rebarbou o quadro, reforçou-o e até reformulou a metade traseira, eliminando a estrutura de aço prensada de fábrica. Encaixado no quadro atualizado está um motor de CB totalmente reconstruído – embora tenha apenas 11.000 Km no mostrador. A especificação atul inclui pistões de 10,5: 1 de tamanho grande da Wiseco, uma came de competição Megacycle personalizada e válvulas Kibblewhite “Black Diamond”.

Para ajudar a afinar a moto na pista de corrida estava o piloto de fábrica Frank Giannini da Giannini Racing – um múltiplo campeão da classe USCRA. A faísca vem de uma ignição da Charlie’s Place, juntamente com um rotor e estator de alto rendimento da Rick’s Hotshot. E há uma bateria antigravidade de 8 células escondida sob as tampas da traseira. Mark fez plastificar as tampas do motor, juntamente com a maioria das outras partes mecânicas. O depósito, os garfos e as carenagens são pintados com tinta Glasurit BASF de alta qualidade, com revestimentos cerâmicos e película protetora XPEL aplicada na parte superior.

Mark fez o escape sozinho, usando aço soldado TIG e tubos de 1,25 ″ de diâmetro para aguentar o binário suplementar. Os tubos são em aço inoxidável 304, com um silenciador Cone Engineering, e Mark também fabricou as manilhas de entrada na cabeça no seu torno mecânico.

A dianteira robusta é uma montagem Suzuki GSX-R750 de 2005 com especificação especial, retida no sítio por triângulos triplos personalizados da Cognito Moto, com amortecedores Gazi de alto desempenho na traseira. (A codificação por cores nos garfos é um piscar de olhos à prática da Honda de pintar a parte superior do garfo da mesma cor do depósito.) Para reduzir o peso não suspenso, Mark instalou aros de alumínio Excel Takasago, com revestimento plastificado a preto.

Os aros estão ligados com raios de aço inoxidável da Buchanan aos cubos da roda – um Cognito Moto na frente e um Honda de origem na traseira. A borracha é uma mistura de um Continental Road Attack à frente e Classic Attack atrás. Os travões foram reconstruídos e pulverizados e ligados às bombas da Brembo através de tubos de malha de aço.

Os avanços do guiador são Vortex, as manetes são da ASV, há um punho acelerador de corrida de ação rápida da Domino, e os elegantes comutadores maquinados de sólido vieram de muito longe, pois são da Renard Speed ​​Shop, na Estónia. Os instrumentos incluem um velocímetro/ conta rotações combinado GPS da Speedhut. Tudo é conectado por meio de um novo chicote elétrico, usando conectores tipo aeronave – como seria de esperar, dado o trabalho do dia a dia de Mark.

Tudo é encaminhado para uma unidade ECU da Motogadget, que está escondida sob o assento junto com o solenoide do motor de arranque e uma ligação central à massa. Há uma protecção de cárter personalizada sob o motor para proteger o escape: Mark fabricou-a ele próprio em casa, usando alumínio de grossura 0,060, ensinando a si mesmo como usar uma roda inglesa de dobrar chapa à medida que fazia o trabalho.

Também construiu e fabricou a unidade do assento, que é coberta em Alcantara com costuras a combinar com o azul na linda pintura de dois tons. Nunca há falta de projetos custom que começam com Hondas CB, mas este vai direto para o nosso Top 10 de todos os tempos… adorámos o teu trabalho, Mark.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!