Teste SYM Jet X 125 ABS – No topo do segmento

By on 30 Junho, 2022

Teste realizado por Jordi Mondelo – Solomoto

Já há um tempo que a SYM percebeu claramente que se converteu numa das marcas importantes do mercado das scooters. A nova família Symphony, as de rodas altas no seu catálogo, têm obtido um enorme sucesso comercial e estão sempre nos lugares cimeiros de registos de vendas. A nova SYM Jet X 125 ABS, é uma scooter compacta, como a marca se refere à mesma, chega ao mercado para consolidar  precisamente o posicionamento que a marca taiwanesa está conseguir no mercado.

Apesar de poder parecer pela enorme quantidade de novidades que a marca tem apresentado ao mercado nos últimos anos, o certo é que cada vez que a SYM apresenta um novo modelo existe por trás um plano estratégico que tem por base uma série de dados recolhidos de mercado e que apontam todos numa determinada direção. Por essa razão, cada passo é profundamente pensado razão pela qual a SYM é no momento uma das principais marcas de scooters do mercado.  Relativamente à concorrência, a SYM tem sido uma das marcas scooters que mais tem crescido no mercado, o que é um dado significativo.

O porquê de uma Jet X

Na verdade todos os estudos apontam para o facto de que cada vez mais utilizadores de automóveis optam por uma solução de mobilidade em duas rodas, sobretudo em ambientes urbanos por uma questão prática na realização dos seus trajectos diários.  Segundo um estudo recente realizado pela Oxford Economics, a percentagem em toda a aEuropa chega aos 5%, o que representa um bom número de novos utilizadores. E essa é a principal razão que leva a SYM a ter um catálogo com uma extensa oferta de modelos com 125cc, nada mais nada menos do que 9 modelos do total de 17 que representam a sua gama nos diferentes segmentos de motos, ou seja, mais de metade.

Por isso percebemos que este novo modelo, a Jet X, seja também uma 125cc, modelo que fará parte da família Jet 14, a qual a partir do início de 2022 deixou de existir em versão refrigerada a ar e aumentando a qualidade dos seus acabamentos.

A SYM classifica a sua Jet X como uma scooter compacta embora na nossa opinião e na designação que sempre demos a este tipo de scooters a classificamos como uma Scooter Urbana. È verdade que tem pormenores que a distinguem das restantes scooters “urbanas”:  o chassi que atravessa a plataforma. No entanto quando nos montamos numa Jet X percebemos que não se trata de uma scooter GT ou de uma GT compacta, sendo uma scooter de tamanho razoável mas contido, leve e extremamente ágil.

Se tivesse que definir um outro modelo que rivalizasse directamente com a Jet X pensamos que estaria ao nível de uma Honda PCX ou de uma Yamaha Nmax, dois modelos que são referência no segmento e que constantemente disputam a liderança no ranking de vendas europeu. Também poderíamos incluir a Keeway Vieste embora esta, ao contrário das 2 anteriormente referidas , não inclua motor com refrigeração líquida.

Num escalão acima

Como referimos inicialmente a nova Jet X apresenta-se ao mercado com um nível de acabamentos e equipamento superior ao do modelo Jet 14.  Está especialmente pensada para um público mais jovem, daí o seu design apresentar linhas mais desportivas, com um frontal que se destaca pela configuração ótica mais trabalhada, com faróis mais estreitos e uma combinação de luzes que proporcionam uma imagem mais personalizada.

Obviamente que toda a iluminação é full Led e dispõe também de uma espécie de Smart Key, mais propriamente um comando à distância que evita ter que utilizar uma chave de ignição, embora para activar a scooter tenhamos que pressionar um botão no mesmo ( não funciona por aproximação ). No entanto quando paramos não se torna necessário repetir o procedimento pois a mesma desliga-se por si só e simultaneamente activa o alarme ( que funciona por movimento ).

As linhas afiladas e agressivas da carroceria e a sobreposição de alguns elementos de plástico deixam claro que a estética teve um papel fundamental no desenvolvimento deste modelo.  Um bom exemplo disso é o écran dianteiro que está pensado mais para contribuir para estética global da scooter do que propriamente oferecer proteção aerodinâmica.

Também o painel de informação teve uma atenção especial. O painel é um LCD que apresenta a informação em negativo, estreito e comprido, que permite uma leitura clara e precisa. Dispõe dos habituais conta Kms totais e parciais, nível de carga da bateria, porém não inclui indicador de temperatura do motor.

Quase uma GT

Esquecendo por um momento que para montarmo-nos na Jet X temos que passar a perna por cima do assento da mesma, pois o chassis não permite que a mesma tenha uma plataforma plana ( como na Jet 14 ), o certo é que a nova Jet X oferece um espaço bastante generoso e amplo para o condutor.

O assento é de boa dimensão e quase não apresenta desnível entre o condutor e o passageiro, apenas o suficiente para que este último não deslize para a frente nas travagens mais apuradas.  No entanto o espaço destinado ao condutor, apesar de amplo, é ligeiramente inclinado para a frente, realidade que nos obriga a apoiar mais o nosso peso sobre os pés e braços.  Esta realidade é compensada pelo facto de existir também uma plataforma dianteira que nos permite alterar o apoio dos pés e assim podermos descansar as nossas pernas.

De qualquer forma é uma scooter muito cómoda, o que permite movermo-nos pela cidade de forma fácil e confortável, graças também à pouca altura do assento( 770mm ) e a uns pneus que não são demasiado largos contribuindo para uma maior agilidade do conjunto.  O guiador, sem ser demasiado largo, contribui também para a facilidade do manobrar entre o tráfico urbano e manter uma maior estabilidade da scooter em recta.

E claro, debaixo do assento encontramos um espaço generoso onde cabe perfeitamente um capacete integral.  Para aceder ao mesmo há que apertar um botão que se encontra no guiador estando a moto ligada, pelo que não existe necessidade de utilização de chave.  O depósito de combustível situa-se curiosamente debaixo do assento ao contrário por exemplo da opção na frente utilizada pela Symphony ST .

O espaço para transporte de objectos conta ainda com um porta-luvas na parte dianteira, de dimensões suficientes para podermos colocar uma carteira e um telemóvel, já que no mesmo se encontra uma ficha USB que poderá servir para carregamento do mesmo.

Um motor “Top”

Quanto ao motor, a SYM decidiu montar a versão de topo do seu catálogo de 125cc. è o mesmo que monta a Symphony ST, ou seja,  um monocilíndrico a 4 tempos e 4 válvulas e SOHC, com refrigeração líquida e injecção electrónica. Atinge uma potência de 12,6 cv, mais do que suficiente para cumprir o objectivo para a qual foi pensada: circular pela cidade e subúrbios.

Não oferece acelerações fulminantes no entanto demonstra um desempenho superior a outras scooters 125 do seu segmento com as mesmas características.  Nas subidas mais pronunciadas nota-se ainda assim um abrandar de disponibilidade e desempenho. No entanto em recta e em estrada plana atinge com facilidade os 110 Km/h, sendo rápida até aos 80 km/h e depois mais lenta para passar os 100 Km/h. As recuperações a partir dos médios regimes são bastante boas o que permite circular em auto-estrada com segurança e realizar ultrapassagens em estrada com rapidez.

Não encontramos explicação mas notamos que num determinado regime de rotação existe uma ressonância algo incómoda provocada certamente pelo vibrar de alguns plásticos, realidade que não encontramos por exemplo na Symphony. Não é grave mas o som do motor que está sempre presente num determinado regime de rotação quando circulamos por estrada.

Ágil é o seu segundo apelido

No momento em que arrancamos notamos de imediato que a agilidade é uma das suas maiores virtudes. As jantes de 14” nas duas rodas e uns pneus de largura contida, com uma distância entre eixos de apenas 1.315mm, convertem a Jet X numa scooter tremendamente “obediente” às nossas ordens, executando com enorme agilidade qualquer manobra. Em cidade no meio do tráfico está no seu meio preferido e a sensação de equilíbrio graças a um centro de gravidade bastante baixo aumenta exponencialmente a estabilidade do conjunto e a nossa sensação de segurança, acrescido de uma brécagem boa num raio bastante curto.

Já em estrada mantém a mesma sensação de agilidade mas conjugada com uma excelente estabilidade em recta nas velocidades mais altas. Os amortecedores traseiros apesar de serem algo duros ( permitem ajuste de pré-carga de mola )  contribuem para a estabilidade do conjunto em estrada , garantindo trajectórias perfeitas em curva, inclusivamente em estradas de asfalto com algumas irregularidades. Sendo a agilidade o seu segundo apelido o facto é que a estabilidade entra também no nome completo desta scooter, transmitindo assim uma sensação extra de segurança quando conduzida em estrada.

Na travagem monta um sistema de ABS assinado pela Continental,  com um bom desempenho embora recomendemos que se utilizem as duas manetes em simultâneo, já que o ABS na roda dianteira tem tendência a actuar com grande facilidade e o mesmo é fundamental para parar os 132 Kg da Jet X.

A travagem é potente, realidade que impediu que entrasse pelos meus colegas adentro durante a apresentação do modelo quando num momento determinado me distraí a olhar para a velocidade no conta quilómetros. Quando levantei os olhos estavam todos parados num semáforo na minha frente. Travei a fundo com os dois travões e fiquei surpreendido com a sua efectividade pois parei a escassos metros dos meus colegas jornalistas. Recomendo no entanto que se trave sempre com os dois travões, pois o traseiro retira peso sobre a roda dianteira retardando o acionar do ABS dianteiro e conseguindo uma travagem mais efectiva.

MOTO +

  • Equipamento
  • Estética
  • Agilidade

MOTO –

  • Visibilidade retrovisores
  • Tacto travão dianteiro
  • ABS dianteiro intrusivo

Comparando com as suas rivais japonesas

A SYM considera que a sua nova Jet X está à altura das japonesas que lideram o mercado, a Honda PCX e a Yamaha Nmax, tanto em qualidade de acabamentos, em equipamento e em desempenho dinâmico. Se colocarmos de lado o facto de que os modelos japoneses são mais silenciosos e dispõem de sistemas start/stop, então sim, poderemos realizar a comparação.

No seu posicionamento de mercado a SYM segue uma política diferente para a sua Jet X já que em termos de preço normalmente a marca tayanesa posiciona-se sempre abaixo das suas concorrentes nipónicas. No caso da Jet X, comparativamente com a PCX e Nmax, a mesma, com um PVP de 2.949 euros coloca-se em igualdade dos preços das suas rivais nipónicas, oferecendo no entanto uma garantia de 5 anos.

Trata-se por isso de um modelo que deve ser considerado com um produto premium, quer pela sua estética, configuração e equipamento, face à sua concorrência e será finalmente o mercado a decidir se a Jet X está ou não à altura da sua concorrência directa.  Capacidades e virtudes não lhe faltam.

Concorrência directa

Honda PCX    125 cc / 11,5 CV / 130 kg / 2.995 euros
Keeway Vieste   125 cc / 10,5 CV / 134 kg / 2.520 euros
SYM Jet X 125    125 cc / 12,6 CV /  132 Kg / 2.949 euros
Yamaha Nmax    125 cc / n.d. CV / 127 Kg / 3.225 eur

Cores disponíveis SYM Jet X 125 ABS 2022

SYM Jet X 125 ABS – Red

Ficha técnica SYM Jet X 125 ABS

Motor1 cilindro 4T LC SOHC 4 V
Diâmetro x curso52,4 x 57,8 mm
Cilindrada124,6 c.c.
Potência máxima9,3 kW (12,6 CV @ 8.000 rpm
Par motor máximo11,5 Nm (1,17 kgm) @ 6.500 rpm
AlimentaçãoInjeção electrónica
Emissões de CO2N.d.
CaixaVariador automático CVT
EmbraiagemCentrífuga  a seco
Transmissão secundáriaPor correia trapezoidal
Tipo chassiEstructura tubular com viga central
Geometría de direçãoN.d.
Braço oscilanteGrupo motopropulsor oscilante
Suspensão dianteiraForquilha telehidráulica
Suspensão traseiraAmortecedor duplo regulável em pré-carga
Travão dianteiroDisco de 260 mm com pinça de 2 pistons, ABS Continental
Travão traseiroDisco de 220 mm com pinça de 1 pistón, ABS Continental
Rodas100/90 x 14” e 110/80 x 14”
Comprimento total2.000 mm
Largura máxima760 mm
Altura máxima1.115 mm
Distância entre eixos1.350 mm
Altura assento770 mm
Depósito gasolina7,5 litros
Preço3.399 euros
Garantía5 años
ImportadorMoteo Portugal SA
Contacto234 300 760
Websym.pt
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments