ENSAIO BENELLI TRK 502 X – AVENTURAS ACESSÍVEIS

By on 19 Dezembro, 2018

A nova versão da Benelli TRK 502 está mais preparada que nunca para a aventura com a inclusão da sigla X que a torna ainda mais polivalente e completa para quem queira aventurar-se em duas rodas sem ter que fazer um sacrifício económico mais pesado.

O sucesso da Benelli TRK 502 é conhecido pois a sua relação qualidade/ preço/ performance/ equipamento é imbatível no mercado nacional e o importador, a Multimoto, não tem mão a medir no fornecimento de unidades ao mercado estando o seu stock quase sempre esgotado. Consequência certamente de um posicionamento acertado tendo em conta o baixo poder de compra nacional e também o fenómeno de grande crescimento do segmento das aventureiras no nosso país e em geral por essa Europa fora.

Se antes a TRK5 502 já enchia o olho quer pela sua dimensão quer pelo equipamento que inclui, a versão X junta agora mais uma série de argumentos que a tornam irresistível. Movidos pela curiosidade de podermos ter tanto por tão pouco, solicitámos à Multimoto uma unidade para ensaio, para podermos confirmar se para além da aparência também o seu desempenho estaria de acordo com as nossas expectativas.

A primeira impressão é de facto de estarmos perante uma moto de maior cilindrada, quase uma 1000 e certamente muito perto da dimensão de uma GS, mas com motor bicilíndrico paralelo de 500cc. Aliás a semelhança com uma GS não é apenas na dimensão pois estende-se também a alguns pormenores. O bico de pato na frente é muito parecido, o banco e a posição de condução muito semelhantes, com o guiador da TRK ligeiramente mais alto, mas acima de tudo um pormenor que vos vai deixar surpreendidos, a panela de escape, colocada na versão X numa posição lateral alta, é uma cópia quase exacta da que a GS monta e, como se isso já não fosse suficiente, a sonoridade que a mesma emite é também muito parecida com a da GS. Os puristas da BMW vão dizer que devemos estar a alucinar mas nós tivemos o cuidado de colocar a TRK e a GS lado a lado e confirmámos a semelhança estética e acústica. Como é que um 500cc em paralelo pode soar como um Boxer de 1200cc? pois não sabemos… mas certamente mérito dos engenheiros da Benelli ( Já ouvimos violinos a parecerem-se com motos de competição a dois tempos ).

A versão X da TRK 502 vem com rodas raiadas que conferem um look mais offroad ao conjunto, a exigir a colocação de câmaras de ar claro está, e a roda dianteira passa a ser de 19”, realidade que lhe confere maior aptidão para o fora de estrada. A suspensão dianteira invertida de 50mm é idêntica à da versão anterior e apesar de não ser regulável tem uma afinação abrangente, talvez demasiado branda para condução mais rápida em estrada e a pedir um pouco mais de hidráulico em pisos deteriorados. A suspensão traseira monta um novo amortecedor com mais curso ( o dobro ) que o anterior e tem regulação em pré-carga de mola. Gostámos do comportamento do amortecedor traseiro que mostrou um excelente desempenho em qualquer situação, mesmo com pendura.

Claro que o maior curso da suspensão traseira e o aumento da dimensão da roda dianteira para 19” têm como consequência uma maior altura da moto ao solo e uma maior altura do assento. No entanto perfeitamente aceitável e acessível para uma pessoa de estatura média o poder colocar os dois pés no chão quando parado.

O motor de bicilíndrico de 500cc debita uma potência máxima de 47,6 cv e tem uma entrega assinalável de binário desde baixa rotação o que se converte numa condução suave com motor sempre disponível, sobretudo nos regimes mais utilizados. Com uma boa velocidade máxima a atingir os 170Km/h no painel de informação, a TRK 502 X acusa apenas alguma vibração e formigueiro nas peseiras a partir das 6.000 rpm, realidade que se poderá tornar incómoda em longos trajectos de auto-estrada.

A caixa pareceu-nos bem escalonada mas algo imprecisa nas reduções, a obrigar a um trabalho extra do nosso pé esquerdo, a tentar sentir que as mesmas estavam realmente colocadas e a obrigar-nos a confirmar em simultâneo no painel de informação qual estava engrenada. Algo que talvez requeira habituação e mais rodagem na moto pois todas têm os seus “truques”.

A posição de condução é bastante natural e direita com os braços estendidos e ligeiramente fletidos e com todos os comandos à mão e no sítio “certo” ou seja, onde estamos habituados a encontrá-los na generalidade das motos. Apenas o guiador o encontrámos numa posição ligeiramente alta, embora isso possa ser um gosto pessoal. Aliás a maior altura do guiador até favorece a condução em pé pois mantém o nosso corpo mais direito e não tão pendurado sobre a roda dianteira.

Com peso superior à versão normal da TRK 502, em cerca de 20 Kg, devido à inclusão de uma série de componentes, descanso central, jantes raiadas e proteção de cárter e de motor, a versão X em andamento mostra-se no entanto bastante ágil e manobrável, mesmo a baixa velocidade e no meio do trânsito, apenas recomendamos algum cuidado com as proteções tubulares que ao nível dos joelhos sobressaem da moto e podem colidir com as laterais dos carros parados que vamos adiantando ao circularmos entre os mesmos nas filas de trânsito.

A travagem foi melhorada em relação à versão anterior apesar de ainda exigir alguma convicção sobre a manete do travão dianteiro que se mostra algo “esponjosa” de início mas efectiva depois. O ABS é desligável num botão situado à esquerda no guiador. Os pneus Metzeler Tourance demonstraram um bom comportamento, tanto em estrada como fora da mesma e são uma boa opção para uma utilização mista. O pneu traseiro é agora de menor dimensão e passou de 160 para 150/70-17” favorecendo a agilidade com que se move a TRK 502 X.

O depósito de 20 litros garante uma autonomia acrescida e a proteção aerodinâmica frontal pareceu-nos correcta e de bom desempenho, a montar defletores laterais complementares que ajudam a retirar pressão do ar sobre as mãos, isto apesar de o guiador montar também proteções. O assento bastante cómodo e ergonómico dividido em dois, com o elemento do pendura colocado em posição superior, oferece comodidade extra para tiradas mais longas. O conjunto de malas da SHAD que montava a versão testada são de excelente qualidade, com acabamento em alumínio e conferem um “final look” de moto aventureira muito apelativa e equilibrada. O rack onde a top case está montada e que serve de apoio de mãos do pendura é talvez demasiado estreito, dificultando a sua utilização.

O painel de informação é bastante simples e de leitura fácil e inclui um pequeno painel digital com toda a informação necessária. Lateralmente na carenagem existe uma tomada USB, isolada com tampa em borracha, muito útil para ligação de equipamentos electrónicos.

A nova Benelli TRK 502 Versão X vem renovar o sucesso da sua versão mais estradista com um setup mais offroad para aqueles que em viagem queiram aventurar-se por algum estradão de terra. Atenção que não é uma moto de enduro e que apesar de ser uma 500cc pesa ainda assim 235Kg ou seja muito perto do peso de 244 kg de uma GS.

Um dos principais atributos da Benelli TRK 502 X é obviamente a sua relação preço/qualidade e equipamento pois por 6.480 euros é impossível conseguirmos qualquer outro conjunto no segmento das aventureiras que ofereça tanto por tão pouco. Uma opção séria e lógica para todos aqueles que se queiram iniciar nas viagens aventura com um menor esforço económico ( uma GS custa pelo menos + 10.000 eur que a TRK X ) com a vantagem da TRK poder ser conduzida com carta A2.

A Benelli TRK 502 X está disponível nas cores branco ( a versão ensaiada ) , vermelho e cinza. O seu PVP é de 6.480 euros.

 

  Gostámos : Binário motor/ Equipamento/ Conforto

 

  A Melhorar: Vibração / Suspensão dianteira

 

 

FICHA TÉCNICA

Motor

Combustível = Gasolina
Tipo de motor = 2 cilindros a 4 tempos, 4 válvulas por cilindro
Cilindrada = 500 cm3
Potência = 48 cv
Rotação da potencia maxima = 8500 rpm
Binário = 45 nm
Rotação do binario maximo = 5000 rpm
Nº de cilindros = 2
Ciclo = 4
Valvulas por cilindro = 4
Alimentação = EFI
Diametro X Curso = 69 x 66,8
Sistema de arranque = Eléctrico

 Transmissão

Embraiagem = Húmida, multidisco
Numero Velocidades = 6
Caixa de velocidades = Manual

Quadro

Tipo de quadro = Treliça de aço tubular

Suspensões

Suspensão dianteira = Forquilha invertida
Curso dianteiro = 145 mm
Regulações dianteiras = Não
Suspensão traseira = Amortecedor central com afinação de pré-carga de mola, recuperação e compressão hidráulica ajustável
Curso traseiro = 45 mm
Regulações traseiras = Sim

Dimensões

Comprimento = 2200 mm
Largura = 915 mm
Altura = 1490 mm
Distância entre eixos = 1525 mm
Altura do assento = 840 mm
Capacidade do deposito = 20 L
Peso em marcha = 235 kg

 

Concorrência

 

Kawasaki Versys X 300 Adventure   296cc / 40 cv / 175Kg / 7.250 eur

 

Royal Enfield Himalayan 410   411cc / 24,5 cv / 185 Kg / 4.645 eur

 

SWM SuperDual X GT Pack   600cc / n.d. cv / 169 Kg / 7.890 eur

Honda CB 500 X de 2018 471cc/ 48 cv / 196 Kg / 6.560 eur

 

Galeria de Imagens Benelli TRK 502 X

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!