Ensaio da Honda CB 500 X – Uma Aventureira “Light” para todos os dias

By on 26 Dezembro, 2018

O recente reforço e aposta estratégica da Honda na gama média dos seus modelos para 2019 e o upgrade que a marca levou a cabo no segmento das 500, fez-nos querer reavivar a experiência com um dos modelos que desde 2014 não tem vindo a sofrer grande evolução, apenas alguns pormenores estéticos foram sendo alterados, e antes que a sua sucessora modelo de 2019 venha a estar disponível para ensaio e considerando a informação que já nos foi disponibilizada sobre a mesma e tentarmos enquadrar as alterações que foram introduzidas no modelo para o próximo ano, partindo das características e comportamento do modelo deste ano. Estamos a falar obviamente da CB 500 X, modelo que tem vindo a ter um enorme sucesso comercial, liderando no segmento das Adventure de média cilindrada por ter um posicionamento acertado no binómio preço/qualidade para o nosso mercado.

Explorando os nossos contactos mais próximos conseguimos obter uma unidade de 2018 para levarmos a cabo o referido teste. Antes de mais há que perceber que embora se possa enquadrar a CB 500 X no segmento das motos ditas “aventureiras” a mesma não está concebida nem vem preparada para aventuras de “grande porte”, ou seja, que atravessar selvas e desertos não são a “praia” da pequena e ágil CB 500 X.

A Honda CB 500 X é por isso uma aventureira mais preparada para enfrentar uma “selva” dita urbana, uma moto polivalente para uma utilização diária, com uma condução fácil e divertida graças a um setup acertado do conjunto e a um peso relativamente baixo. A altura ao solo do assento é também contida, nos 810mm e permite-nos chegar bem com os pés ao chão, o que facilita enormemente as manobras parados ou a baixa velocidade.

O seu aspecto é algo conservador tendo em conta outros modelos do mesmo segmento, mas prima pela qualidade dos seus componentes e dos seus materiais, aliás outra coisa não seria de esperar de uma moto Honda. Com uma silhueta compacta a CB 500 X tem uma posição de condução que poderemos classificar de “Sport Adventure” ou seja mais chegada à frente por exemplo que uma concorrente sua, a Benelli TRK 502, o que não é de todo penalizante pois está em linha com o posicionamento específico e mais desportivo do que touring da CB.

O assento é bastante confortável e com uma superfície elevada sobre o depósito que confere algo extra de comodidade nas travagens mais bruscas e agressivas. Aliás os travões são aqui referência, como em todas as Hondas, pois com apenas um dedo a mordida é extremamente eficaz e doseável apesar de ter apenas um disco à frente de 330mm, a fazer inveja a muitas que com dois não conseguem ter o mesmo desempenho.

Na frente temos uma suspensão telescópica tradicional de 41mm com a possibilidade de ajuste em pré-carga tal como no mono-amortecedor traseiro do tipo Pro-Link, a permitir algum ajuste em função da carga que transportemos, e com curso aproximado de 140mm à frente e de 120mm atrás. As rodas são ambas de 17” o que define o limite asfáltico da sua utilização e monta pneus 120/70-17 atrás e 160/60-17 atrás.

O motor da CB 500 X é um bicilindrico paralelo com arrefecimento líquido com 471cc que debita 48cv às 8.500 rpm e atinge um binário máximo de 43Nm às 7.000 rpm, com 8 válvulas e DOHC, injecção electrónica PGM-FI e caixa de 6 velocidades com embraiagem húmida multi-disco. Um motor que roda bem em em alta, elástico e progressivo a pedir um pouco mais de binário a baixas rotações. O motor monta pistons de baixa fricção que asseguram maior longevidade do motor e maior rotação em alta sem sobre aquecimento.

A nível da electrónica não temos nem modos de motor nem controle de tração isto para manter as coisas simples e não encarecer o preço final do conjunto. A caixa é precisa e bem escalonada, a pedir para ser utilizada para obtermos o melhor rendimento possível do motor.

Gostámos do funcionamento das suspensões, sobretudo em condução mais agressiva com a suspensão dianteira a manter-se firme e a permitir fazer uma boa leitura da estrada e sem demasiado afundamento em situções de travagens mais agressivas. A traseira também contribui para a sensação de comodidade geral da CB X e o seu cariz de moto polivalente enquadra-se na definição prévia que fizemos de moto “aventureira urbana” a convidar mais pelo seu pretenso conceito do que pela sua apridão a uma ou outra incursão for a de estrada mas sem grandes “avarias” pois tanto os pneus como suspensões não estão preparados para grande aventuras “offroad”.

Dito isto existe no entanto quem entenda que a CB 500 X resulta ser uma excelente base para desenvolvimento e conseguir dotá-la de maior competência “offroad”. Existe, a título de referência, um preparador inglês que se dedica precisamente ao desenvolvimento de componentes que permitem transformar as CB 500 X em verdadeiras motos de “Rally”. Estamos a falar da Rally Raid UK que disponibiliza diferentes kits e componentes para a CB 500 X. Recomendamos uma passagem pelo seu site em http://www.rally-raidproducts.co.uk/.

Honda CB 500 X Versão 2019

A versão 2019 da CB 500 X é uma evolução precisamente no sentido de dotar a moto de maior aptidão para o offroad e aumentar a polivalência e abrangência na sua utilização.

Estamos certos que este segmento de motos aventureiras de média cilindrada irá ainda crescer, quer pela popularidade e o desenvolvimento do segmento em si quer também pelo facto de estas motos mais acessíveis, quer no seu custo quer no seu peso, permitem uma aprendizagem mais fácil da sua condução sobretudo para quem queira no futuro evoluir para motos Maxitrail, já de outro porte e de maior cilindrada.

Na nossa opinião faz todo o sentido optar por uma moto Trail de médio porte sobretudo no caso de aqueles que gostam de se aventurar sozinhos no fora-de-estrada, pois ter uma moto que possam levantar do chão sem ajuda de terceiros pode ser crucial, isto porque uma caída pode ser absolutamente normal, até parados, e depois o levantar da moto devido ao seu peso excessivo pode ser problemático se não tivermos a ajuda de alguém e ficarmos impossibilitados de seguir caminho. Pode parecer um exagero mas aconselhamos por isso a que façam a experiência.

A Honda CB 500 X está disponível de momento nas cores : Force Metallic Silver ( Cinza ) Matte Black Powder Metallic ( preta ) e Candy Chomosphere Red ( encarnada ) e tem um PVP de base de 6.560 euros. A Honda tem também Pack’s especiais de acessórios que podem ser adquiridos com a moto como por exemplo:

. Pack de Luzes de Nevoeiro e Barras laterais 818 eur,

. Pack Punhos Aquecidos 413 eur

. Pack Topo Box 35 litros 331 eur

. Pack Confort 505 eur

FICHA TÉCNICA

MOTOR

DIÂMETRO X CURSO (mm) 67 x 66,8 mm
ALIMENTAÇÃO Injeção eletrónica PGM-FI
TAXA DE COMPRESSÃO 10,7 : 1
EMISSÕES C02 (g/km) 80 g/km de CO2
CILINDRADA (cm3) 471 cm3
TIPO DE MOTOR Bicilíndrico paralelo, Refrigeração líquida
POTÊNCIA MÁXIMA 35 kW (48 cv) / 8500 rpm (95/1/EC)
BINÁRIO MÁXIMO 43 Nm / 7000 rpm (95/1/EC)
CAPACIDADE DE ÓLEO (Litros) 3,2 l
ARRANQUE Elétrico

 

TRANSMISSÃO

EMBRAIAGEM Húmida, multi-discos
TRANSMISSÃO FINAL Por corrente
TIPO TRANSMISSÃO Húmida, multi-discos, 6 velocidades

 

RODAS

TRAVÕES FRENTE Disco único ondulado, 320 mm, pinça de 2 pistões
TRAVÕES RECTAGUARDA Disco único ondulado, 240 mm, pinça de 1 pistão
SUSPENSÃO – FRENTE Forquilha telescópica convencional, 41 mm de diâmetro, com ajuste de pré-carga
SUSPENSÃO – RECTAGUARDA Mono-amortecedor Pro-Link, com afinação da pré-carga, braço oscilante de tubos em aço de secção quadrada
RODA – TAMANHO – FRENTE 17 x MT 3,5
PNEUS – FRENTE 120/70 ZR17 M/C (piso misto)
PNEUS – RECTAGUARDA 160/60 ZR17 M/C (piso misto)
RODA – TAMANHO – RECTAGUARDA 17 x MT 4,5
RODA – TIPO – FRENTE Multi-raios, alumínio fundido
RODA – TIPO – RECTAGUARDA Multi-raios, alumínio fundido

 

CICLÍSTICA

BATERIA 12 V / 8,6 Ah
ÂNGULO DA COLUNA DE DIRECÇÃO 26,5°
DIMENSÕES (mm) 2.095 x 830 x 1.360 mm (1.390mm com vidro na posição mais alta)
QUADRO Em aço, tipo diamante
DEPÓSITO DE COMBUSTÍVEL (Litros) 17,5 litros (inclui reserva)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL 3,4 l / 100km (29,4 km/l) (método WMTC)
DISTÂNCIA LIVRE AO SOLO (mm) 170 mm
LUZES Lâmpada com Presença de 4,8W e Máximos 12W
PESO EM ORDEM DE MARCHA (kg) 196 kg
ALTURA DO ASSENTO (mm) 810 mm
TRAIL (mm) 108 mm
DISTÂNCIA ENTRE EIXOS (mm) 1.420 mm

 

CONCORRÊNCIA

Benelli TRK 502 X    500cc / 47,6 cv / 213 Kg / 6.480 eur

Kawasaki Versys X 300    296cc / 40 cv / 175 Kg / 7.250 eur

SWM 650 SuperDual X GT  600cc / nd. cv / 169 Kg / 7.890 eur

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!