Uma Yamaha muito especial

By on 23 Abril, 2019

Há muitas maneiras de visualizar uma motocicleta personalizada antes de levar o martelo à chapa… Alguns construtores começam com papel e lápis, enquanto outros usam Photoshop ou criam visualizações 3D. Mas que tal construir um modelo em escala 1/10 em aço inoxidável?
Parece loucura, mas foi assim que Jake Drummond conceitualizou a sua Yamaha MT-07. Jake, com apenas vinte e cinco anos de idade, mora em Oshkosh, Wisconsin, nos EUA e toda a sua vida gira em torno do design e da engenharia.


Já o seu pai é um piloto obcecado por motocicletas que também reconstrói aviões – o que quer dizer que Jake passou incontáveis horas ajudando no hangar quando era criança. Ele construiu a sua primeira moto personalizada aos dezassete anos, conseguiu um emprego num fabricante de aviões em kit e acabou por estudar engenharia mecânica.
“Eu nunca fui um bom aluno”, diz Jake, “e passava a maior parte do meu tempo desenhando motocicletas, ou na internet à procura da mais recente bomba personalizada”.


A partir desse devaneio, Jake começou a desenvolver uma ideia: um design de quadro perimetral, com uma linha contínua que ia das mesas da direção até o eixo traseiro. Outras considerações incluíam ergonomia funcional para o piloto e materiais que criariam um contraste natural entre as várias formas.
“Havia apenas uma opção que realmente chamou minha atenção”, diz ele, “e foi a Yamaha MT-07. O motor é leve e estreito o suficiente para se envolver pelo quadro, mas ainda tem bastante potência.

Antes de comprar a moto doadora, Jake decidiu fazer um protótipo da sua ideia. E foi aí que ele começou a modelar a sua miniatura à escala em aço inoxidável.
“Não foi a maneira mais fácil de prototipar algo”, diz ele, “mas foi muito giro e gostei do processo”.

Antes mesmo de completar o modelo à escala, Jake colocou-o em pausa e começou a procurar uma MT-07 na sucata para arranjar um motor, mas acabou por ficar impaciente…
“Decidi comprar uma moto nova. Foi um grande compromisso para mim na época, como era apenas um estudante universitário falido, mas as motocicletas são uma doença. Eles fazem-nos fazer coisas estúpidas, mesmo quando não estamos a andar nelas…”
“Não muito tempo depois de comprar a moto dadora, fiz outra coisa estúpida – decidi tirar um sabático da universidade para construir a moto dos meus sonhos. Não foi uma decisão que tomei de ânimo leve, mas era quase como se não tivesse escolha. ”

Jake encontrou um modelo MT-07 de 2016, tirou-lhe o motor e desmontou-o completamente. O bicilíndrico de 689 cc da Yamaha acabou instalado num quadro perimetral de alumínio formado manualmente, que flui para baixo para se ligar a um braço oscilante de alumínio personalizado.

O motor está ligado a fixações de aço personalizadas e a uma subestrutura dianteira, e há um chassis auxiliar de aço inoxidável apoiando a seção traseira e o assento.
As condutas de ar na frente são funcionais; estão cobertas por seções de malha de aço formadas à mão e também têm faróis Yamaha R1 escondidos dentro delas.
Tanto o tanque de combustível como a cauda afunilada são também peças de alumínio formadas à mão. Jake construiu um farolim traseiro integrado, com uma lente acrílica personalizada. As tampas laterais do radiador e a placa frontal também são obra sua.


Jake usou o amortecedor traseiro da Yamaha, mas modificou a articulação para trabalhar com o braço oscilante. Os garfos dianteiros e mesa de direção foram tirados de uma Yamaha R6. A moto acabou por fica bastante alta, graças a um conjunto de rodas Morris, 21 à frente e 18 atrás, da Roland Sands Design.
Para o cockpit, Jake soldou um conjunto de tirantes feitos à mão no tê superior polido da R6. Também introduziu alguns detalhes estilo motocross, como pedais e controles estilo MX, guiador ProTaper e pregas semelhantes a garras na capa do assento de couro cor de vinho tinto.


Os travões são Brembo, melhorados com tubos de malha de aço inoxidável. Mas isso é todo o conteúdo de material comprado ao balcão – tudo o resto nesta Yamaha foi construído do zero.
Isso inclui o reservatório de fluido de travão, as tampas do veio do braço oscilante, os ajustadores do eixo traseiro, a tampa do veio primário e um monte de detalhes menores.


Ah, sim, e aquele glorioso sistema de escape de aço inoxidável também – completo com o seu silenciador quadrado, de saída lateral. Jake manteve os acabamentos na sua base Yamaha, mas escolheu contrastes marcantes. As vigas do quadro e o braço oscilante são polidos, mas o resto das peças foram pintadas em preto brilhante pela Blue Moon Kustoms, com um logotipo em pérola com o nome “Omen” que Jake desenhou.


Todo o acabamento final recebeu muita atenção – como o triângulo contrastante na chapa frontal. A única coisa que Jake não conseguiu terminar ainda é a instalação elétrica final do Omen. Mas no restante, as imagens falam por si…

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!