Ducati Paul Smart 2.0: Personalizar uma moto de coleção

By on 11 Abril, 2021

O modelo customizado é uma Ducati Paul Smart 1000 de 2006, de edição limitada a 1000 unidades. Tony Prust, da Analog Motorcycles, sabia que teria de fazer o trabalho cuidadosamente, por forma a não perder a silhueta original e cometer um sacrilégio!

A Ducati lançou a Paul Smart 1000 LE em 2006 para comemorar a vitória do piloto na Imola 200 de 1972. Baseada na plataforma Sport Classic da Ducati, esta moto distingue-se pelo seu ar de desportiva neo-retro e a sua elegante silhueta numa distinta cor prata. Mas a Ducati Paul Smart não é só aspeto. O seu motor desmodrómico, um V-twin de 992cc refrigerado a ar, produz 92 cavalos de potência e 90,8 Nm. Com esta potente combinação e a sua produção limitada 1.000 unidades, tornaram-na numa clássica moderna e numa cobiçada moto de colecção.

Por essa razão, muitos consideram o Paul Smart 1000 LE como a moto perfeita. Para os ‘ducatistas’ alterar esta edição limitada equivale a um sacrilégio. Assim, quando um cliente pediu ao fundador da Analog Motorcycles, Tony Prust, para personalizar esta moto, ele sabia que o tinha de fazer com delicadeza.

“A ideia era construir uma Paul Smart que fosse suficientemente adaptada para que os entusiastas da Ducati olhassem para ela e dissessem ‘uau, isto é espantoso’, e não ficar chateado por termos adaptado uma moto de edição limitada”, disse Prust. “Tenho alguma integridade quando se trata de coisas que são raras e valiosas, por isso desenhei tudo para poder voltar à forma original se alguma vez for necessário”.

Prust propôs-se a preservar a silhueta icónica da Ducati. A equipa da Analog Motorcycles começou por fazer uma nova carenagem de bolha e uma nova peça de cauda. A nova carenagem da cauda deveria identificar-se com a forma do depósito, sendo depois colocada a nova carenagem assim como o assento revestido a couro em forma de bacquet desportiva. O frontal simplista confere à Paul Smart um novo aspecto escorregadio e esconde os faróis Denali M4 LED e os cilindros mestres Magura atualizados.

Estes reservatórios alimentam novas linhas de travões trançados, mas a Analog deixou intactas as pinças Brembo originais. A forquilha Ohlins também já existia, mas está agora acoplada a rodas Alpina e rotores EBC. O motor não precisava de uma actualização, mas o cliente queria uma revisão completa, por isso a oficina da Atlanta Ducati subiu a cilindrada  até aos 1.100 cc e acrescentou novas cames de alta performance. Uma nova embraiagem deslizante, refrigerador de óleo, entrada de ar, e filtros K&N melhoraram ainda mais o comportamento do V-twin a 90 graus.

Para completar a reconstrução do motor, Prust redesenhou o escape para sair sob a nova secção da cauda. Um revestimento de cerâmica preta torna o sistema quase imperceptível, simplificando ainda mais a silhueta da moto. 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x