Mais elétricas em 2019 – Parte II

By on 30 Dezembro, 2018

As pranchetas de gabinetes de design pelo mundo fora estão neste momento preenchidas com a tarefa de planear a próxima geração de motos, e é quase certo não irão ser a gasolina, nem sequer com motores a explosão… Não, as elétricas são a próxima coisa a vir revolucionar o mundo dos transportes e apesar dos consideráveis problemas a ultrapassar, como excesso de peso e falta de autonomia, os próximo tempos deverão trazer novidades a um ritmo nunca visto.

2930

Energica Ego

Apesar de não ser estritamente uma nova moto, a Energica anunciou que o Ego (juntamente com todos os outros modelos) iria evoluir com tempos de carregamento 50% mais rápidos, punhos aquecidos, controle de tração e piloto automático para 2019.No entanto, este não é o verdadeiro motivo para se estar animado com esta moto. Não, o que torna a Ego tão especial é que ela será a base do primeiro campeonato mundial de MotoE, que vai rebentar na cena em 2019.

Destinada a acompanhar o “circo continental” da MotoGP em todo o mundo, a série vai ver pilotos de classe mundial como Bradley Smith e Sete Gibernau a competir para serem coroados campeões em Ego preparadas e marcar mais uma expansão da tecnologia de motos eléctricas na principal série de motociclismo de competição. Esta não é a primeira vez que a Energica Ego aparece em competição, já que na categoria de produção para elétricas no Tourist Trophy da Ilha de Man em 2018, a moto já se impusera com uma velocidade média por volta de 130 Km / h.

ZERO Motorcycles

Atualizando os seus modelos DS e DSR para 2019, a Zero está a trazer mais argumentos para apressar a chegada da era elétrica, vendendo mais motos do que todos os seus concorrentes juntos. Embora as atualizações de modelos existentes, por si só, não sejam desprezíveis, não é isso que garante a Zero um lugar nessa lista. Em vez disso, é sua crença que agora é o momento perfeito para mudar para o elétrico para muitos motociclistas existentes.

Numa entrevista dada na EICMA 2018, o diretor de tecnologia da empresa, Abe Askenazi, diz que as elétricas já tem argumentos válidos, e explicou:

“As turbinas elétricas ficarão menores e mais leves, enquanto as motos de combustão interna ficarão mais pesadas e mais complexas (devido à legislação anti-emissões). Com o tempo, as oportunidades de design ficam realmente empolgantes. A Zero ainda será uma motocicleta, mas evoluirá para algo mais limpo e mais prático.Para o que muitas pessoas usam, por exemplo, viagens curtas para o trabalho e viagens rápidas à noite, o alcance é mais do que suficiente. Sim, continuaremos a evoluir, e a tecnologia das baterias vai avançar, mas isso será mais como a cereja no topo do bolo “

Super Soco TC-Max

Oferecendo um equivalente ao fiável e económico motor 125 de quatro tempos das scooters de hoje, mas com ainda menos custos de combustível e um preço similar ou mais acessível, a Super Soco TC-Max poderá transformar os custos de fazer o seu trajeto casa-trabalho já em 2019.Revelado no Reino Unido no certame Motorcycle Live 2018, a pequena moto está a mundos de distância das motos de maior capacidade com as quais compartilha essa lista. Com uma velocidade máxima de um pouco acima de 100Km/h e cerca de 180 Nm de binário, a moto pretende rivalizar com a performance de um motor a gasolina de 125cc a quatro tempos.

O preço estimado é de apenas 4.500 Euros, e as baterias removíveis de 72v e 45Ah A de iões de lítio carregam completamente em apenas quatro horas e meia. Oferecendo um alcance máximo de cerca de 130 quilómetros, que é o ideal para trajetos urbanos, podem incluir ainda um pack de energia removível, o que significa que é possível levar consigo as baterias a carregar no escritório e não ter de procurar estações de recarga na rua.

Zapp Scooter

O fabricante britânico de scooters elétricas Zapp revelou mais detalhes sobre sua scooter i300 em Outubro passado, incluindo convenientes baterias removíveis tipo laptop e um tempo de 0-50 km/h de 2,4 segundos, o que a torna ideal para cidade.

Desenhada para bater engarrafamentos, a moto pesa apenas 90 kg e é alimentada por baterias leves de íões de lítio e um motor elétrico refrigerado a ar que não requer manutenção. Depois de removidas, as baterias podem ser carregadas usando uma ficha doméstica. Com sede em Hethel, Norfolk, a Zapp projetou a sua scooter para rivalizar com as convencionais até 300 cc no Reino Unido, antes de sub-contratar a produção para fábricas no exterior.

Já disponível para pré-encomenda em www.zappscooter.com agora, ela também usa um sistema de travagem regenerativa, que retorna energia às baterias quando o acelerador é fechado, para melhorar a autonomia.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!