Festival Wheels and Waves: O regresso do culto custom a Biarritz

By on 22 Setembro, 2022

O famoso festival voltou no início do verão de 2022, após uma paragem de quase três anos devido à pandemia (Covid-19). O espírito rebelde e travesso do Wheels and Waves permanece intacto.

Fotos: Zep Gori

O festival Wheels and Waves é um dos importantes encontros da cultura Custom na Europa. Normalmente acontece todos os anos em Biarritz, há mais de 10 anos (desde 2012) e reúne fãs de motos custom, preparadas, convertidas, do surf e mais recentemente também os aficionados do skate. O denominador comum é o desejo de beleza, liberdade e também o fato de não se levar a sério.

Em 2020, as restrições relacionadas à pandemia inviabilizaram o evento. O pequeno comité de organizadores em vigor desde 2018 decidiu, portanto, focar-se no verão de 2021. Mas algumas semanas antes do evento, as autoridades políticas locais de repente decretaram que isso não era mais possível. Oficialmente, por causa do risco de saúde ainda ser muito alto. Extra-oficialmente, num cenário de tensões políticas internas, entre aqueles que não queriam mais ver as motos em Biarritz e aqueles que apreciavam a atmosfera e o ambiente único que o Wheels and Waves trouxe para a cidade litoral. Um recurso legal contra este decreto foi bem sucedido, mas já era tarde demais.

Finalmente 2022, marcou o regresso ao normal do Wheels and Waves. Nas datas habituais (final de junho a início de julho), quase como se nada tivesse acontecido, o motociclismo voltou a faz parte de um modo de vida maior, seja para os que deslizam nas ondas, seja para os outros que preferem as “ondas” no asfalto ou mesmo na terra.

As mais belas Rebels do Wheels and Waves 2022

Dez motos foram exibidas no stand da Honda Europe nesta edição de 2022 da Wheels and Waves. As dez preparações mais bem sucedidas após uma seleção inicial, foram apresentadas por concessionários e/ou preparadores de Espanha, Itália, Portugal, França e Reino Unido.

Uma dessas motos foi designada pelo público como “A mais bela”; trata-se da CMX 500 apresentada pelo preparador Motocicli Audaci, da Sardenha, e batizada de “Maanboard”. Ao contrário de muitas preparações baseadas na Honda Rebel, ela possui uma linha onde a frente é rebaixada – apesar de uma roda de 19 polegadas! – em relação à retaguarda. Para isso, os preparadores implementaram um sistema de garfo chamado “Springer”, um pouco como nas motos antigas, que permite mover o eixo da roda em relação ao garfo.

A inspiração está nas motos usadas para participar nas corridas de Flat Track. Daí a ausência do travão dianteiro e a linha de escape subida e a correr em linha reta do lado direito. E a cor azul brilhante é uma referência ao mar e às ondas, segundo o criador do Motocicli Audaci, Nicola Manca.

Note-se ainda, na edição deste ano, a forte presença da marca indiana Royal Enfield, que parece querer falar com este público com a sua nova geração de motos mono e bicilíndricas. Havia também alguns gigantes alemães trazidos por uma concessionária BMW. Uma marca que, depois da família R NineT, lançou recentemente uma nova gama de cruisers personalizáveis ​​de maior cilindrada, na forma da R18.

A francesa Brough Superior, que oferece motos artesanais muito especiais (e muito caras), também não quis faltar ao evento, situando-se ao lado do expositor da Breitling, o que não é por acaso. Porque as marcas de relógios também estão interessadas neste ambiente.

Outras marcas de motos que estão há mais tempo no mercado da customização, como a Harley-Davidson, que deixaram de estar presentes como marca no festival, estiveram representadas por meio de preparadores particulares.

El Rollo, um local secundário muito mais a norte de Biarritz (mais de uma hora de moto), no território de Magescq, recebeu uma corrida Flat Track, e também uma corrida de Enduro Vintage. Entre os eventos desportivos do festival também existe desde o início o “Punk’s Peak”. Uma corrida de arranque em estrada, um contra um, com largada de pistola e uma multidão a aplaudir ao longo das bermas. Acontece em frente a El Rollo, no Monte Jaizkibel, já do outro lado da fronteira, em Espanha!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments