História: As raízes Bávaras da BMW

By on 27 Julho, 2021

A história da ‘Bayerische Motoren Werke’, ou BMW, começou em 1923. Primeiramente vocacionada para a construção de motores de aviões, a fábrica Bávara voltou-se para os motores de motos após a derrota e o desarmamento da Alemanha no rescaldo da guerra.

Foi em 1923 que apareceu a primeira BMW com um motor de dois cilindros planos ou Boxer criado por Max Friz, que teve um relativo sucesso, apesar do alto preço de venda. Alguns modelos então compunham a gama do construtor que seria reformulada em 1928, com o surgimento de novas motos. Além da produção, a BMW continuava muito presente na competição e as motos alemãs iam batendo recordes de velocidade. Com a entrada da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, a fábrica da BMW, que também produzia motores para aviões, seria fortemente afetada pelos bombardeamento dos Aliados. A fábrica foi então proibida de construir meios de transporte motorizados, impedindo assim o reinício da produção de motos.

Somente em 1948, a BMW seria autorizada a retomar a produção de motos. Rapidamente, a fábrica alemã apresenta a R24. Equipada com um motor monocilíndrico de 250 cc, o seu sucesso foi imediato, tanto dentro do país quanto para exportação. Outra unidade de um só cilindro é produzido no ano seguinte, a R25, que ainda hoje detém o recorde de modelo mais vendido da BMW de sempre; seria produzido até 1955. As motos BMW estavam finalmente a rodar de novo na Europa.

O RENASCER DO BOXER NO PÓS-GUERRA

O ano de 1951 marcaria o renascimento do conceito de motor mais famoso da marca bávara: o motor Boxer de cilindros deitados e em posição oposta, batizado com este nome por ser semelhantes à luta entre os punhos de dois praticantes de box. Nascia então a R51.

A R51 anuncia a “clássica” linha BMW que durará até 1969. Esse modelo conhece uma variante desportiva um ano antes, a famosa R68 que seria a primeira moto de produção a ultrapassar a velocidade máxima de  160 km/h. Se os alemães são mais rápidos, é porque visam atrair o público que admira as atuações dos ingleses da época.

O outono de 1969 viu o surgimento de 3 modelos de 500, 600 e 750 cc e da série 5, cuja silhueta foi totalmente renovada com o abandono da forquilha Earles, em favor de uma forquilha telescópico. O próprio motor Boxer torna-se então  mais potente, mais resistente e, acima de tudo, menos pesado.

Em 1973 e na comemoração do seu Cinquentenário, a BMW  apresentou a série 6 com os modelos R60, R75, R90 e a R90 S, uma topo de gama desportiva, reconhecível pela sua carenagem e assento em forma de bacquet. Equipada com dois discos à frente, foi cronometrada a 195 km/h.

DESDE A K100 À INOVAÇÃO COM O TELELEVER

E chegamos a 1976, quando a série 7 foi apresentada em três opções de cilindrada: 600, 750 e  1000 cc. O motor Boxer de 1000 cc foi então  instalado na série R. Em 1984, a fábrica apresentou a sport-touring K100 com o revolucionário motor de 4 cilindros refrigerado a líquido, mas só no final de 1992 teve um novo modelo equipado com o motor de cilindros deitados e opostos. A R 1100 RS surgiu então equipada com o novo Boxer com 4 válvulas por cilindro e alimentado por injeção eletrónica.

A ciclística foi totalmente revista na época, passando o quadro totalmente novo a ter o motor como parte integrante da estrutura, coligado ao revolucionário sistema de suspensão dianteira Telelever. A suspensão e o amortecimento são fornecidos por um amortecedor combinado de mola / choque central alojado entre o braço oscilante e a parte frontal do quadro. A suspensão traseira é um sistema Paralever significativamente reforçado em comparação com a série 7. Este tipo de chassis irá equipar toda a gama de flat-twins da marca, todos agora disponíveis com ABS opcional.

Em 1994, a BMW apresentou a primeira trail de cilindro único de nova geração da marca, a F650, cuja transmissão final, uma heresia para os puristas, é feita por por corrente. Este modelo continuou a ser melhorada  nos anos seguintes.

No entanto, o modelo emblemático da marca continua a ser o motor Boxer. Este em 2001 viu a sua cilindrada aumentada para 1150 cm3 e sua caixa de velocidades, equipada pela primeira vez com uma sexta marcha. 2003 é um ano de grande inovação para a BMW, com uma redução de 30 kg na R 1200 S. Em 2006, a BMW produziu mais de 100.000 motos pela primeira vez. Já a fábrica da Bavária continua a melhorar o desempenho desses modelos, em particular com suspensões pilotadas da Esa ou controle de tração.

As vendas da BMW continuam a crescer e a arquitetura Boxer desenvolvida por Max Friz em 1923, ainda tem um futuro brilhante pela frente.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments