Norton: Stuart Garner condenado a pena de prisão

By on 4 Abril, 2022

O caso Norton está a chegar ao fim, pois Stuart Garner, ex-proprietário da marca, acaba de ser condenado pelos tribunais britânicos.

Stuart Garner comprou a Norton Motorcycles em 2008 e trouxe o fabricante de volta com o relançamento da produção Commando e o início de novas motos. Mas enquanto a empresa planeava uma expansão por meio de uma nova produção em parceria com a China, problemas financeiros acabaram por acabar com a aventura.

Enquanto a empresa estava a ser processada pelas autoridades do Reino Unido por impostos não pagos , a investigação revelou problemas muito mais sérios. A Norton foi então colocada na administração antes de ser adquirida pela TVS Motor na primavera de 2020 .

Mas enquanto a gigante indiana reestruturava a empresa para retomar a produção, Stuart Garner viu-se processado por ter reinvestido ilegalmente as contribuições previdenciárias dos 227 funcionários da empresa. Enquanto as regulamentações locais permitem que apenas 5% das pensões sejam reinjetadas, o patrão comprometeu nada menos que 11 milhões de libras esterlinas.

No início de fevereiro, o empresário admitiu os seus erros e declarou-se culpado para comparecer perante o Tribunal do Condado de Derby. A audiência marcada para 28 de fevereiro foi adiada por um mês. O tribunal finalmente decidiu e sentenciou Garner a três penas de prisão de 12 meses. No entanto, estes foram reduzidos para 8 meses, mas com um adiamento de dois anos.

Por outras palavras, Stuart Garner não irá para a prisão se não cometer um novo delito. O Tribunal aqui manteve a boa fé do ex-líder que admitiu os seus erros, mas garantiu que ele agiu sem saber que suas ações eram ilegais. Garner também foi proibido de ocupar um cargo de gestão por três anos e terá que reembolsar £ 20.716,69 em custas ao Tribunal.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments