Uma concorrente Aprilia para a Yamaha Niken?

By on 11 Janeiro, 2022

Uma moto com duas rodas dianteiras já existe na Yamaha, a conhecida Niken, mas patentes de uma nova três rodas da Aprilia, fazem supor o aparecimento em breve de uma concorrente italiana.

Sendo sabido que o Grupo Piaggio já tem na sua gama de scooters, e com grande sucesso no mercado, os seus modelos MP3 de 3 rodas, desenhos de patentes que surgiram em setembro de 2020 a mostrar pela primeira vez um design de uma nova moto Aprilia com duas rodas dianteiras. Agora, surgiram novas informações e pormenorizadas patentes que dão conta do avanço do projeto.

Suspensos numa construção de paralelograma ao redor da cabeça de direção, dois braços oscilantes são encaixados, cada um dos quais acomoda uma roda dianteira por meio de travessas transversais adicionais. Ao contrário da Niken, o trabalho de mola e amortecimento é feito por forquilhas convencionais. A Yamaha conta com duas forquilhas invertidas por roda e o sistema de travagem com um disco por roda está no interior.

A Aprilia combina a orientação das rodas dianteiras nos desenhos de patentes com a traseira de uma Aprilia Mana 850. É acionada por um V2 de 850cc com 76 cv e com  78,8 Nm de binário. Um dos destaques da Mana é a sua transmissão CVT, com sete marchas programadas. O condutor pode escolher entre a caixa manual e automática, combinando a conveniência de uma scooter com a sensação de condução de uma moto.

Nos novos desenhos de patente para o conceito de triciclo que surgiram em janeiro de 2022, os italianos permanecem fiéis ao design básico, mas alteram vários pormenores em relação ao primeiro rascunho. As rodas dianteiras são agora guiadas diretamente por um braço oscilante de um lado voltado para cima, a respectiva suspensão da roda move-se para o final desta construção do braço oscilante e é realizada por meio de uma forquilha invertida superdimensionada. As forças de direção transferem elementos entre os componentes suspensos e não suspensos.

O novo design lembra fortemente o sistema de eixo dianteiro da Gilera CX 125 do início dos anos 1990 – apenas duplicado. A transferência de tecnologia seria fácil, pois a Gilera também faz parte do grande grupo Piaggio.

A unidade desapareceu completamente dos novos desenhos de patentes. Aqui também seria improvável que um possível triciclo usasse o antigo motor Mana, que a Aprilia não usa há muito tempo. O que resta, no entanto, é a estrutura tubular que se liga a uma estrutura traseira feita de um perfil de aço retangular. As dimensões das rodas, também indicam claramente um conceito de moto.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments