Vendas globais da Ducati resistiram na sombra do Covid-19

By on 14 Janeiro, 2021

A Ducati tornou-se uma das primeiras grandes marcas a anunciar os seus números anuais de vendas na esteira da crise global COVID-19, que atingiu fortemente o setor durante um período de 2020, revelando uma queda de -9,7% em relação a 2019.

 Apesar da complexa situação global e da paragem de sete semanas na produção mesmo no período alto da época, que afetaram fortemente os primeiros seis meses, a Ducati Motor Holding concluiu 2020 com um segundo semestre recorde.

Graças aos resultados obtidos de julho a dezembro, a Ducati conseguiu entregar um total de 48.042 motos em 2020, limitando o diferencial de vendas comparado com 2019 a -9,7%. Este é um resultado significativo se considerarmos o impacto da pandemia e o encerramento forçado da fábrica da Ducati entre março e abril.

A tendência de crescimento que caracterizou a marca nos últimos anos na China continua, com 4041 motos vendidas (+26%), e o país a tornar-se assim no quarto maior mercado para a companhia de Borgo Panigale. Um aumento nas vendas comparativamente com 2019 foi também registado na Alemanha, com 5490 unidades (+6,7%), e na Suíça (+11,1%). Itália é o primeiro mercado no mundo, com 7100 unidades.

“2020 foi um ano complexo de vários modos e um desafio totalmente novo para toda a gente no mundo. Inevitavelmente, acabou de uma maneira diferente daquela que teríamos gostado, mas a Ducati foi capaz de aproveitar ao máximo a tendência de recuperação do mercado das duas rodas que começou em junho, conseguindo uma excelente segunda metade do ano com um resultado que foi melhor do que aquele que esperávamos em março. Ao redefinir os métodos de trabalho e os processos conseguimos manter a segurança dos nossos empregados, ficar perto dos fãs e consolidar a marca Ducati no mundo ao crescer em alguns mercados, como a China. Também conquistámos o Título Mundial de Construtores em MotoGP pela segunda vez na nossa história”, disse Claudio Domenicali, CEO da Ducati.

Apesar da situação global, 2020 foi caracterizado pela conquista do Título Mundial de Construtores em MotoGP, pela continuação do processo de reforço da rede comercial, a abertura da nova subsidiária australiana e o começo de produção de séries únicas e limitadas, tais como a Superleggera V4 e a Diavel 1260 Lamborghini.

A Streetfighter V4 foi o modelo mais vendido com 5730 unidades, enquanto que a Ducati Scrambler foi a família mais vendida, com 9265 motos. A Ducati Scrambler é um mundo pleno de liberdade, alegria e autoexpressão. A “Land of Joy” marca o regresso à verdadeira essência do motociclismo, garantindo acessibilidade e diversão em completa segurança.

“A parte final de 2020 foi caracterizada por uma excelente segunda metade, que permitiu à Ducati, com 48.042 motos vendidas, recuperar parte do intervalo de vendas que se formou nos primeiros meses do ano. A companhia confirmou a sua tendência de crescimento em mercados como a China, Alemanha e Suíça, registando melhores números do que em 2019”, acrescentou Francesco Milicia, Vice-Presidente e Diretor Comercial Global da Ducati. “Durante 2020, a Ducati também se comprometeu em apoiar a sua rede comercial em todo o mundo, desenvolvendo o programa Ducati Cares, que permitiu aos Ducatisti conseguirem voltar a visitar os seus concessionários de confiança em completa segurança, ou a interagir digitalmente para fazer uma marcação ou avaliar a compra de uma moto remotamente. Tudo sem parar o processo de expansão que prosseguiu com a abertura de novos concessionários e uma nova subsidiária australiana”.

A tendência positiva que distinguiu o final de 2020 permitiu a uma sólida Ducati olhar para o futuro com otimismo e confiança. Para 2021, a gama de produtos está mais completa que nunca, e o interesse dos entusiastas foi imediatamente refletido no caderno de encomendas, que é o maior jamais observado no início do ano.

As primeiras entregas da Multistrada V4 – a primeira moto no mundo equipada com radar dianteiro e traseiro – já começaram e, nos próximos meses, os concessionários Ducati irão também receber outras novas motos da Gama 2021, incluindo a Panigale V4 SP, a SuperSport 950, a Monster e a Ducati Scrambler Night Shift.

“Estamos a começar 2021 com a certeza de que temos uma gama cada vez mais completa que tem o cuidado de ir ao encontro das necessidades de diferentes tipos de motociclistas. Os novos produtos levaram a um caderno de encomendas muito positivo no início do ano e este é um claro sinal da apreciação dos nossos fãs. Motos como a nova Multistrada V4, que com a sua tecnologia estabelece um novo marco para o mundo das duas rodas, ou a Monster, que representa a essência da Ducati na forma mais compacta, essencial e leve possível, para a diversão no dia a dia. Mesmo a próxima temporada desportiva irá ver-nos a participar com um grupo de jovens e talentosos pilotos, que nos estão a ajudar a olhar para o futuro com otimismo e um constante desejo de melhorar”, concluiu Claudio Domenicali, CEO da Ducati.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments