A 916 de Massimo Tamburini em exposição no Museu Ducati

By on 2 Agosto, 2019

Borgo Panigale (Bolonha, Itália), 1 de agosto de 2019 – Como parte integrante das celebrações do 25º aniversário do início de produção da Ducati 916, o Museu Ducati conta agora com uma nova e incrível peça da sua história: a 916 de Massimo Tamburini. Uma verdadeira obra prima “propriedade” do lendário designer.

Esta exibição, tornada possível pela preciosa colaboração entre o Museu Ducati e Simona Tamburini, filha de Massimo e proprietária da moto, permite revelar alguns segredos por detrás desta moto lendária. A 916 exposta é um dos três protótipos com os quais Tamburini desenvolveu o modelo até à sua industrialização em 1994.

Massimo Tamburini, que já tinha desenvolvido a Paso 750 para a Ducati, com a 916 desenvolveu uma moto que foi uma verdadeira revolução no mundo do motociclismo. A aerodinâmica e o chassis da 916 foram desenvolvidos exclusivamente nas estradas em torno de Rimini e nos circuitos de Misano e Mugello. Durante seis longos anos, Tamburini estudou meticulosamente todos os pormenores, sem chegar a utilizar o túnel de vento.

A moto exposta no Museu conta com pormenores que são mais similares aos da série 916 SP, o modelo de maiores prestações na série 916. As carenagens da moto são quase completamente feitas de fibra de vidro, com as condutas de ar, guarda-lamas dianteiro, caixa de ar, escapes e placa de número feitas em fibra de carbono. Além do mais, a moto é embelezada com componentes de competição, com as jantes em magnésio de cinco braços e o aligeirado monobraço oscilante. Digna de nota é a ausência de indicadores de direção e odómetro: a única instrumentação é um conta-rotações e a indicação da temperatura da água.

A moto estará em exposição no Museu Ducati até 15 de janeiro de 2020.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!