Cinco passos para manter e ajustar a corrente

By on 26 Maio, 2020

Aproveite este período de confinamento associado ao Covid-19, para fazer algum trabalho de manutenção na sua moto, coisas simples e práticas que você mesmo pode fazer em casa. Começamos com o kit de transmissão.

A corrente de moto é a responsável pela transmissão da energia do motor para a roda de tração. Ela é o único elo entre a caixa de velocidades e o cubo da roda traseira, por meio do conjunto de transmissão secundária. Assim, mantê-la em perfeito estado de conservação é essencial para que a moto funcione bem.

Como fica exposta, a areia, terra, sal e outros detritos acabam por se alojar na corrente. Essa sujidade contribui para acelerar a sua corrosão, retirando a sua lubrificação. Por isso, o kit de corrente deve ser alvo de uma manutenção cuidada, por forma a durar e preservar as suas qualidades.

Por exemplo, se a corrente estiver mal conectada às engrenagens, transferirá a energia de modo errado, causando esforço excessivo nos componentes e uma consequente perda de potência ou mesmo quebra da coroa e do pinhão.

Ainda, o travamento de um elo, a sua quebra ou no caso da corrente escapar de uma das engrenagens, pode acarretar um acidente pela perda de tração ou travamento repentino da roda. Siga estas 5 etapas para a manutenção do kit de transmissão.

VERIFICAÇÃO

A manutenção da corrente começa por uma boa verificação visual e manual. É preciso observar se a corrente apresenta aparência húmida e lustrosa, o que indica que a lubrificação está em dia, e se não há borras, girando a roda para ver toda a sua extensão.

LIMPEZA

Antes de lubrificar, limpe primeiro. Para isso, deve utilizar uma bomba de pressão especialmente concebida para o efeito, geralmente equipada com uma escova e que possibilita remover as impurezas com mais facilidade.

A solução mais frequente é o uso de um pulverizador. Com a moto colocada no descanso central e a roda desengrenada para girar, deve aplicar o spray num pano, fazer girar a roda manualmente (aviso: nunca o faça com uma marcha engrenada e o motor a funcionar ou arrisca-se a ficar sem um dedo) e com o pano limpar toda a corrente. Fazendo girar de novo a rodas, aplique depois o spray em toda a corrente, e passe uma escova por toda a extensão da corrente. 

Outra solução, pouco dispendiosa e igualmente eficaz: petróleo desaromatizado. Encontra-o em supermercados ou em lojas de bricolage e limpa na perfeição a corrente!

LUBRIFICAÇÃO

A lubrificação deve ser feita semanalmente ou a cada 400 ou 500 km. Dependendo do tipo de uso, se for em estradas ou vias não pavimentadas, praia etc., esse tempo pode ser inferior.

Devem ser usados produtos lubrificantes específicos para correntes de moto, ou usar óleo lubrificante de motor com alta viscosidade, evitando massas ou óleo de lubrificação de uso geral.

Uma vez a corrente limpa, é preciso lubrificá-la. Pode fazê-lo com massa lubrificante utilizando um pincel mas lembre-se do seguinte: não aplique demasiada massa, apenas uma fina camada ou mesmo só o spray lubrificante. Uma quantidade exagerada de massa tende muito mais a concentrar areias e outro detritos na corrente, acelerando a sua deteorização.

Assim, com a moto no suporte central ou (caso a sua moto não tenha, sobre outro suporte), , gire a roda manualmente enquanto pulveriza a corrente. Com um suporte lateral, avance a corrente por etapas pulverizando-a, até que tenha percorrido toda a corrente.

Uma vez mais este aviso: nunca aplique o spray com o motor a trabalhar e uma marcha engrenada e o motor a funcionar, porque a possibilidade de perder um dedo é elevadíssima.

AJUSTAR A TENSÃO

A tensão da corrente deve ser ajustada sempre que for verificada folga ou tensionamento excessivo. No manual do proprietário da moto está normalmente indicada a folga ideal para o bom funcionamento da corrente.

A tensão da corrente é medida pela sua folga. Deve ter pelo menos 3 cm, mas nunca exceder os 5 cm. Faça medições em vários locais, porque a corrente pode ter um “desvio”, ou seja, estar mais apertada em alguns lugares do que em outros.

Se a corrente estiver muito solta, afrouxe o eixo da roda usando uma chave de bocas. Se não o conseguir fazer manualmente, use o pé.

Para definir a tensão da corrente de forma correta, use os marcadores, normalmente assinalados no braço oscilante junto ao eixo da roda traseira. Se apertar demais de um lado, a roda traseira ficará torta. Após ajustar e tensionar a corrente, aperte o eixo da roda e a contraporca.

ALINHAMENTO

Uma corrente desalinhada pode causar uma torção nos elos e o consequente desgaste excessivo da coroa e do pinhão. O desalinhamento pode ocorrer na troca do pneu traseiro ou na regulagem da tensão. É preciso corrigir os esticadores laterais para resolver o problema.

Como vimos, fazer a manutenção da corrente de moto é essencial para a conservação de todo o conjunto de transmissão secundária. Além disso, é um componente vital para o bom funcionamento da moto e uma manutenção correta pode evitar ‘panes’ e até acidentes.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!