Dicas para evitar o cansaço numa longa viagem

By on 24 Julho, 2020

AO REALIZAR UMA VIAGEM DE MOTO, TEMOS QUE EVITAR A FADIGA, O CANSAÇO E MANTER-NOS HIDRATADOS COM REFRIGERANTES. AQUI DEIXAMOS ALGUMAS RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES PARA REDUZIR OS RISCOS DE ACIDENTE.

Só quem nunca realizou longas viagens de moto não o sentiu. Passadas horas a fio sobre a moto, as forças abrandam sobre os pulsos, os nossos braços relaxam, a nossa atenção reduz-se sobre os obstáculos, as mãos começam a ficar dormentes e as caibras musculares acentuam-se. Está na hora de parar e descansar!

E isto passa-se não só com o condutor. Nós próprios, durante uma longa viagem de moto, apanhámos um tremendo susto, quando a nossa ‘pendura’ adormeceu!!!

Consequências do cansaço sobre a condução

O cansaço pode resultar em perda de concentração, dormência, tonturas e até sonolência sobre uma moto. Tudo isto coloca em risco a nossa condução e a nossa segurança. Andar de moto durante muitas horas seguidas aumenta o risco de fadiga, levando à perda de atenção, desconforto, dor de cabeça ou cãibras musculares, fatores que se refletem negativamente na condução da moto aumentando o risco de acidente.

Lembre-se que, por alguma razão, os condutores de pesados que viajam por toda a Europa, são obrigados por lei a cumprir um X horas de descanso!

A fadiga e desidratação aumentam o risco de acidente

O próprio senso comum diz-nos que o cansaço produz uma diminuição no nosso desempenho físico e mental. Certas sessões de preparação física e fisioterapia, ajudam a lidar com o desgaste físico na condução da moto.

A desidratação também está relacionada com a fadiga. Essa fadiga causa o aumento de nada menos que 86% do tempo de reação a um imprevisto ou um obstáculo, o que significa um aumento significativo no risco de acidente.

Os dados que temos são eloquentes: 46% dos motociclistas admitem ter iniciado uma viagem após um dia de trabalho, 59% sofreram perdas de concentração na sua moto, 29% tiveram sonolência e 33% tiveram que parar devido à fadiga extrema.

Assim, para evitar a fadiga ao andar de moto, recomendamos seguir estas dez recomendações:

  • Aprenda a reconhecer os sintomas da fadiga para que possa reduzir os seus efeitos.
  • Durma no mínimo 7 horas antes de empreender uma viagem de moto, e evite viajar após o dia de trabalho.
  • Durante uma viagem de moto, lembre-se de descansar a cada 2 horas ou a cada 200 kms, reduzindo esta margem para 1 hora e meia ou 150 kms caso esteja a viajar em estradas nacionais e/ou de montanha.Reduza esse tempo se viajar à noite.

Em cada paragem, descanse pelo menos 15 minutos e realize exercícios de alongamento para recuperar a forma física.

  • Considere o tempo, já que, por exemplo, em dias muito quentes, há um risco aumentado de desidratação. Nós próprios ainda há dois a sentimos absorvendo de um trago uma garrafa de meio litro de água mineral. E numa das edições do Portugal de Lés-a-Lés, numa passagem por Évora com a temperatura a razar os 40 graus, ninguém resistiu a um mergulho na fonte mais próxima!
  • Evite uma condução agressiva. Além de aumentar o risco de acidente, causa aumento da fadiga.
  • Mantenha-se hidratado, pois a falta de líquidos causa, entre outras coisas, redução da atenção, dor de cabeça e fadiga muscular.
  • Baixo açúcar gera fadiga e desatenção. Evite que isso aconteça durante a viagem. Por exemplo beba um café pelo caminho e verá que redobra a sua atenção.
  • Em sentido inverso, evite o consumos de qualquer bebida alcoólica, porque mesmo que seja de baixo teor, reduz a atenção, a capacidade visual e auditiva, atrasa o tempo de reação e acelera o aparecimento da fadiga. Nunca beba álcool ao conduzir.
  • Ao parar, tome uma bebida refrescante, pois, além de hidratar, ajudará a limpar e melhorar os níveis de atenção. Uma bebida refrescante será o seu melhor combustível…
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments