BMW K 1100 de 1992 – Preparação Café Racer pela Art on Wheels

By on 6 Agosto, 2019

Ontem fomos visitar a Art on Wheels, conhecido atelier de preparação de motos, e falámos com Claudio Sousa, o seu mentor, sobre um dos projectos que se encontrava em fase final e que ilustrava da melhor forma a qualidade do trabalho que se desenvolve na Art on Wheels.

Claudio Sousa explicou que cada projecto é diferente mas que de início se trabalha sempre a partir da ideia que o cliente traz consigo. Uma vez definido o estilo, se é uma Café Racer, uma Scrambler, uma Bobber, uma Tracker ou outro, começa-se a definir que elementos irá integrar e que nível de intervenção a moto original irá sofrer para se chegar ao que o cliente pretende.

No caso concretamente deste projecto a moto base é uma BMW K 1100 de 1992, propriedade do cliente e que pretendeu transformar numa Café Racer. De início é dada uma ordem de grandeza em termos de orçamento mas muitas ideias e alterações vão surgindo ao longo do projecto, algumas sugeridas pelo cliente, sobretudo a nível de acabamentos e outras por sugestão da equipa da Arts on Wheels pelo que o processo é quase sempre dinâmico e o resultado final é consequência precisamente dessa relação de confiança e de partilha entre o preparador e o cliente.

E pelo resultado final desta preparação podemos afirmar que as “relações” funcionam pois a K 1100 transformou-se numa verdadeira obra de arte, uma peça única que integra na perfeição elementos originais da moto com novos componentes de forma a criar a tal visão partilhada no arranque do projecto.

Ao analisarmos pormenorizadamente o resultado percebemos que cada componente resulta ser um elemento fundamental na definição do estilo da moto e na sua personalização. Pouco resta da K 1100 original e apenas o motor e o veio de transmissão se mantiveram como tal embora obviamente recuperados sendo que no caso motor trabalhado ao nível da admissão devido à integração de filtros K&N e uma nova ponteira de escape. Para que a moto pudesse manter uma maior ligação estética ao seu passado foi também mantido o depósito original.

Do depósito para a frente e do meio do mesmo para trás tudo foi alterado começando pelo quadro e sub-quadro que foram cortados e adaptados para receber os novos componentes de acordo com estilo final pretendido. Na dianteira a maior evidência vai o conjunto suspensão, travões e jantes raiadas tubeless. A suspensão invertida provém de uma Suzuki Hayabusa assim como todo o sistema de travagem da Tokico. A roda dianteira monta jante de raios proveniente de uma BMW R 1150 GS e pneu Pirelli Scorpion Rally, um pneu com um comportamento em estrada admirável e perfeito para a jante raiada tubeless, a contribuir com o seu perfil misto para uma maior personalidade da Café Racer.

Na traseira as alterações são também assinaláveis já que o sub-quadro foi totalmente adaptado ao estilo pretendido, mantendo aquela linha horizontal de ligação entre a base do depósito e a base da baquet monolugar que caracteriza o estilo Café Racer. O banco foi totalmente realizado pela Art on Wheels e forrado a alcântara de cor antracite. Pormenor de requinte é o farol traseiro que parece inexistente mas que é uma tira de LEDS colocada no interior tubo que suporta a parte posterior da baquet.

A roda traseira integra também uma jante raiada proveniente de uma BMW 1150 GS, monta pneu Pirelli Scorpion Rally e amortecedor traseiro da YSS. Apenas a transmissão original da K1100 teve que ser adaptada para funcionar com a nova jante raiada da GS. A bomba a pinça e o disco traseiro são também provenientes da GS 1150.

Os dois guarda-lamas, dianteiro e traseiro, são também da autoria da Art on Wheels e produzidos em metal com acabamento negro. Também as peseiras que integram o selector de mudanças e o pedal de travão traseiro foram desenhadas e produzidas pela Art on Wheels.

A nível dos comandos e da electrónica optou-se por comandos de botão que se acionam por toque. Manómetros, comandos, interruptores, piscas, retrovisores e centralina são provenientes da MotoGadget. Reservatórios de óleo dos travões dianteiro e traseiro são da Rizoma e as manetes ajustáveis são da ITR. Os punhos de desenho clássico são da Biltwell.

O resultado final do ponto de vista estético é surpreendente e a integração dos vários componentes muito bem conseguida. A moto seria entregue ao cliente logo após a nossa passagem pela Art on Wheels pelo que não tivemos oportunidade de recolher as suas impressões. Ficará para uma outra oportunidade pois será interessante também ficarmos a conhecer o resultado em termos de desempenho na estrada de um projecto tão bem idealizado no espaço da Art on Wheels.

Contacto da Art on Wheels

Galeria de Imagens

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!