Históricas: A lendária Ducati Supermono de Terblanche

By on 7 Abril, 2021

Nascida para correr numa categoria própria com motores de um único cilindro, a Ducati Supermono foi uma das mais originais criações de Pierre Terblanche. Repousa hoje no Barber Vintage Motorsports Museum, e merece a distinção. porque com o seu conceito singular ela revolucionou o mundo da moto em 1993. 

Por Ricardo Ferreira

O conceito Supermono, consistia básicamente num motor monocilíndrico que acoplado a uma ciclística ultra-leve, resultaria em motos desportivas singularmente ágeis. A ideia nasceu no arranque do anos 90, impulsionando a criação de uma competição própria em Itália, despoletando a adesão de vários fabricantes e, inclusivé a ideia de com isso se criar um campeonato do mundo. 

São desse tempo a Bimota BB1, a monocilíndrica Yamaha SZR 660 e a Aprilia RS 660 que com motores de média cilindrada foram bem aceites no mercado, mas o mote para um novo segmento foi dado com a bem-sucedida Ducati Supermono, que com os seus 550cc no motor Desmo debitava 75 cv para somente 118 quilos de peso.   

O cilindro único refinado e elegante de quatro tempos, seria desenvolvido pelo designer Pierre Terblanche com a supervisão de Massimo Bordi, materializado em pura técnica por Claudio Domenicali. O motor tinha uma ampla gama de componentes e recursos de alta tecnologia (arrefecimento a água, injeção eletrónica, bielas duplas) e contribuiu para o sucesso da moto que rapidamente se tornou um exemplo de criatividade e engenharia. Hoje em dia, a Ducati Supermono – incontornável icone da história do motociclismo italiano – repousa em destaque no “Barber Vintage Motorsports Museum” do Alabama, EUA. 

O seu criador nascido e com o curso de design concluído na Africa do Sul, Pierre Terblanche, foi o criador de inúmeras motos únicas, tornando-se famoso a criar alguns dos modelos mais icónicos da Ducati, fabricante onde foi responsável pelo design e criação das primeiras Hypermotard e Multistrada, da MH900E, da famosa desportiva Ducati 999 e da singular Supermono de 1994. No vídeo que a seguir podem ver, Pierre Terblanche explica ao designer Brian Case os processos que levaram ao produto final, junto de uma Ducati Supermono com o número de série 34 e datada de 1993:

No mercado, a Ducati Supermono foi uma edição especial limitada a apenas 67 unidades, sendo hoje uma joia para exposição e colecionadores. O motor monocilíndrico de 550 cc com distribuição de duas árvores na cabeça, 4 válvulas por cilindro e sistema desmodrómico, permitia na época extrair uma potência de 75 cv às 10.000 rpm para um reduzido peso de 118 kg. O quadro treliça e a suspensão Ohlins foram também essencia para que a Supermono se tornar-se numa das motos mais ágeis de sempre.

A CONCORRÊNCIA

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments