Max Biaggi e a Voxan Wattman batem a sua própria marca: 454 km/h!

By on 4 Dezembro, 2021

A Voxan aprimorou a moto elétrica Wattman para quebrar os seus próprios recordes e conseguiu estabelecer 19 novos recordes, entre os quais se destacam os 454 km/h alcançados na distância da milha lançada por Max Biaggi.

As melhorias da nova versão da Voxan Wattman permitiram que Max Biaggi batesse um novo recorde de velocidade para motos elétricas , superando o estabelecido há pouco mais de um ano.

Os 454 km/h de média, com velocidades máximas de 466 km/h, estabelecidos na milha lançada com a versão parcialmente aerodinâmica da moto, representa um novo recorde que se soma a outros 18 conquistados em outras distâncias e tipos de saída (estática ou lançada), alcançados com diferentes variantes da moto, com ou sem carenagem e com pesos acima ou abaixo dos 300 quilos.

Em menos de um ano a Voxan conseguiu reduzir o peso do Wattman em 300 quilos, aumentar a sua potência para 320 kW (429 cv), mantendo a capacidade da bateria de 15,9 kWh. Também melhorou a estabilidade e penetração aerodinâmica, readaptando as dimensões da moto. O seu motor, é aproximadamente quatro vezes maior que o das motos elétricas mais icónicas do mercado, como as da Zero Motorcycles, Harley-Davidson ou Energica, embora tenha bateria com capacidade semelhante. Outra diferença é que a Voxan Wattman consome toda a sua energia em poucos minutos. E faz isso oferecendo desempenho máximo em todos os momentos. Tanto que o seu sistema de propulsão é arrefecido com gelo seco.

Na realidade, a Wattman não é apenas uma moto elétrica, mas sim, três:  as versões aerodinâmica, parcialmente aerodinâmica e padrão , todas desenvolvidas para se tornar a mais rápida do mundo e quebrar todos os recordes de velocidade existentes. As três versões diferem externamente, mas são idênticas internamente.

Ao modificá-la com carenagens e reatores, ela pode encaixar-se em várias categorias diferentes, permitindo que aspire e bata uma série de recordes. No final de novembro de 2021, a Voxan Wattman fez uma aparição por uma semana numa pista já desativada no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, que antes era usada pelo Space Shuttle da NASA. Foi nesse cenário que se conseguiu estabelecer 19 novos recordes mundiais em diferentes categorias e modalidades de corrida: abaixo e acima de 300 quilos de peso, parcialmente carenado ou sem carenagem e com uma largada em velocidade ou estacionária. Desta forma, foi batido o recorde anterior da Wattman, estabelecido no ano passado de 407 km/h.

Ao seu comando, Max Biaggi, que tem atrás de si seis campeonatos mundiais, conseguiu estabelecer os seguintes recordes:

Categoria inferior a 300 quilos :

1 milha, saída rápida, parcialmente aerodinâmica: 454 km / h.

1 milha, início rápido, não aerodinâmico: 368 km / h.

Quarto de milha, início rápido, parcialmente aerodinâmico: 293 km / h.

Quarto de milha, início rápido, não aerodinâmico: 285 km / h.

1 milha, partida estacionária, parcialmente aerodinâmica: 273 km / h.

1 milha, partida estacionária, não aerodinâmica: 260 km / h.

1 km, partida estacionária, parcialmente aerodinâmica: 223 km / h.

1 km, partida estacionária, não aerodinâmica: 219 km / h.

Quarto de milha, partida estacionária, não aerodinâmica: 156 km / h.

Quarto de milha, partida estacionária, parcialmente aerodinâmica: 149 km / h.

Categoria acima de 300 quilos:

1 km, início rápido, parcialmente aerodinâmico: 408 km / h.

1 milha, saída rápida, parcialmente aerodinâmica: 404 km / h.

1 milha, início rápido, não aerodinâmico: 367 km / h.

1 km, início rápido, não aerodinâmico: 364 km / h.

1 milha, partida estacionária, parcialmente aerodinâmica: 255 km / h.

1 km, partida estacionária, parcialmente aerodinâmica: 216 km / h.

1 milha, partida estacionária, não aerodinâmica: 216 km / h.

Quarto de milha, partida estacionária, não aerodinâmica: 153 km / h.

Quarto de milha, partida estacionária, parcialmente aerodinâmica: 142 km / h.

Para Gildo Pastor, presidente do Grupo Venturi, “estes 21 recordes (somando os do ano passado e os novos) são mais uma magnífica recompensa para o Grupo Venturi, para Max Biaggi e para os nossos parceiros Saft, Michelin e Mercedes. Tenho o prazer de pensar que a experiência adquirida com este projeto contribuirá para melhorar a eco-mobilidade. Compartilho estes registos com o meu país, o Mónaco, que tanto tem feito para promover o desenvolvimento sustentável ”.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments