Ensaio Honda CB650R 2019 – Evolução da “Espécie”

By on 12 Março, 2019

Continuando a evoluir na gama “Neo Sports Café” da Honda e depois de termos já testado as versões de 2018/19 CB125R e CB300R tivemos finalmente oportunidade de ensaiar a nova versão 2019 da CB650R, aquela que vem preencher o intervalo na família “Neo Sports” entre a 300 e a 1000.

Praticamente idêntica na ciclística e na motorização à sua irmã carenada CBR650R, também apresentada este ano, versão que estamos em paralelo a ensaiar e que será brevemente fruto da nossa análise, a Naked CB650R é a evolução aguardada da anterior versão de 2017/18 e que se vem juntar, por uma questão de coerência da gama, às Naked anteriormente existentes da família Neo Sports Café, a 125, a 300 e a 1000.

Dirigida a um target de mercado mais experiente e que pretende uma naked mais desportiva, a nova CB650R vem com novos atributos na sua ciclística e motorização para captar aqueles que procuram evoluir para uma moto mais potente e com uma ciclística mais apurada. Suspensões, travões, quadro, equipamento e um design contemporâneo e vanguardista com um toque “vintage” e que define o estilo designado pela Honda de “Neo Sports Café” constituem uma proposta difícil de bater.

A posição de condução é ligeiramente mais desportiva que a versão anterior, mais deitada e baixa graças a um novo posicionamento do guiador, e também à colocação das peseiras mais recuadas e altas sem se tornarem desconfortáveis.

O motor de 649cc desenvolve cerca de 94CV às 12.000 rpm com um binário máximo de 64 Nm às 8.500 rpm. O motor é de uma enorme suavidade a baixas e médias rotações mostrando toda a sua vivacidade a partir das 7.000 rpm, comportamento característico de um 4 cilindros em linha cuja capacidade de subir rotação parece nunca terminar, atingindo o redline às 12.500 e o corte de ignição logo a seguir às 13.000 rpm.

A CB650R e a CBR650R partilham a mesma motorização, como já referimos, motor que revela uma evolução em relação ao modelo anterior, com cerca de 4CV mais e um aumento de cerca de 1.000 rpm, onde atinge o seu máximo de potência. Esta maior potência foi conseguida através de um diferente timing de abertura das válvulas e de pequenas alterações realizadas na admissão e no escape, com o respectivo tuning da electrónica. Esta alteração faz notar uma ligeiríssima falta de binário a baixa rotação que é compensada assim que o motor sobe de rotação e passa as 7.000/8.000 rpm, um pouco ao invés das versões 650/700 de dois cilindros da concorrência ( Kawasaki, Suzuki e Yamaha ) onde a entrega de binário se verifica em regimes mais baixos .

Uma evolução notória na diminuição da vibração sentida no guiador e nas peseiras foi conseguida através da utilização de placas de fixação do motor ao quadro em vez da anterior fixação directa ao mesmo, dotando assim a CB650R de maior conforto na sua utilização. Uma outra funcionalidade introduzida no motor da CB650R foi a embraiagem deslizante, com diminuição do seu acionamento o que, em transito urbano, torna a sua condução menos cansativa.

A CB650R tem agora duas condutas laterais de admissão de ar que contribuem, juntamente com o escape, para uma maior sonoridade do motor e é também facilmente convertível para a carta A2 com a substituição simples de um pequeno colector de admissão de ar, diminuindo a potência da moto através do estrangulamento do fluxo de entrada do ar.

A nível das suspensões a Honda optou por dotar as suas novas CB650 de Showas invertidas de 41mm ao contrário das telescópicas tradicionais anteriores. A suspensões dianteiras não têm possibilidade de serem ajustada se são do tipo “Separate Function Fork “ ou seja molas num lado e hidráulico no outro, um sistema que tem também sido utilizado em OffRoad e que permite um melhor funcionamento, com menos atrito e menos peso também. Na traseiro o amortecedor é também Showa com ajuste de pré-carga em 7 posições distintas.

A nova CB650R de 2019 clama um peso de 202Kg, ou seja 6 kilos menos que a versão anterior e que provêm de um “emagrecimento” global; um quadro mais leve, um braço oscilante mais curto e leve em cerca de 2 Kilos, um depósito com menos dois litros de capacidade de combustível e um motor também com menos óleo.

O menor peso da CB650R contribui necessariamente para a sensação de uma maior agilidade e manobrabilidade facilitadas também por um guiador plano e aberto, permitindo uma maior facilidade de colocação em curva e um encadeamento mais rápido das mesmas. O comportamento da CB650R em curva é absolutamente firme e estável uma vez colocada na trajectória. As suspensões dianteiras apesar de não terem afinação mostraram também um bom comportamento e um compromisso acertado e abrangente tanto para uma condução descontraída como para uma condução mais agressiva onde os pneus Metzeler contribuem com uma aderência máxima em qualquer situação.

A travagem é também excelente com pinças radiais duplas de 4 pistons e com discos ondulados flutuantes de 310mm de belo efeito estético e dinâmico. O disco traseiro é de 240mm e ambos são assistidos por ABS. A CB650R tem ainda controle de binário selecionável HSTC que mantém a tração sempre dentro de parâmetros de maior segurança. ( duas posições On/Off )

O painel de informação LCD tem boa leitura sempre e quando não incida directamente a luz do sol sendo que de noite a leitura é excelente. Inclui no painel a mudança engrenada e aviso de passagem de caixa. Outras funcionalidades como a temperatura da água, o conta-rotações, a velocidade e odómetro, Kms totais e parciais, hora e indicador de combustível complementam a informação do painel.

Os faróis são de tecnologia LED sendo que odianteiro tem um design em linha com as restantes motos da família “Neo Sports Café” nomeadamente da versão de topo a CB1000R que iremos ensaiar também em breve. Os piscas tem função dupla pois para além de avisarem a mudança de direção funcionam como aviso extra da luz do stop em caso de travagens bruscas.

A Honda com o seu estilo Neo clássico complementado por uma estética que evidencia claramente os seu motor de 4 cilindros em linha pela exposição dos seus belíssimos 4 colectores paralelos e direcionados todos para o lado direito do motor contrastam claramente com o look mais simples das suas rivais directas e bicilíndricas e com potências claramente abaixo dos 94 Cv da CB650, deixando assim “campo aberto” para que a Honda possa em 2019 arrebatar o título da liderança do segmento Naked de média cilindrada. A sua relação preço/potência/qualidade pode vir a definir um novo standard de mercado e a colocar a fasquia lá bem alto para a concorrência.

A Honda CB650R tem um PVP base de 7.990 euros e está disponível nas cores : Candy Red ( vermelho ) Mate Silver ( prateado ) Graphite Black ( preto ) e Mate Jeans Blue ( azul bluejeans ).

Tem também disponíveis dois Pack de acessórios :

  • O Sport Pack que inclui proteção de cárter, tampa do banco do pendura, proteção de depósito e sistema de passagem de caixa automática quickshifter.
  • O Confort Pack que inclui punhos aquecidos, écran frontal fumado e tomada de 12 volts.

Características Técnicas 

Motor

DIÂMETRO X CURSO (mm) 67 x 46 mm
ALIMENTAÇÃO Injeção eletrónica PGM-FI
TAXA DE COMPRESSÃO 11,6 : 1
EMISSÕES C02 (g/km) 112 g/km de CO2
CILINDRADA (cm3) 649 cm³
TIPO DE MOTOR Motor a 4 tempos, 4 cilindros em Linha, 16 válvulas DOHC, arrefecimento por líquido
IGNIÇÃO Totalmente transistorizada
POTÊNCIA MÁXIMA 70 kW (95 cv) / 12.000 rpm (95/1/EC)
BINÁRIO MÁXIMO 64 Nm / 8.500 rpm (95/1/EC)
ARRANQUE Elétrico
CORPO ACELERADOR 32 mm

Transmissão

EMBRAIAGEM Húmida, multi-discos
TRANSMISSÃO FINAL Corrente
CAIXA DE VELOCIDADES 6 velocidades

 

Rodas

TIPO DE SISTEMA ABS ABS de 2 canais
TRAVÕES FRENTE Disco de 310 x 4,5 mm com pinça de 4 êmbolos
TRAVÕES RECTAGUARDA Disco de 240 x 5 mm com pinça de 1 êmbolo
SUSPENSÃO – FRENTE Forquilha Telescópica invertida com 41 mm
SUSPENSÃO – RECTAGUARDA Amortecedor com 7 posições de ajuste de pré-carga de mola
RODA – TAMANHO – FRENTE 17 M/C x MT 3,50
PNEUS – FRENTE 120/70 ZR17 M/C
PNEUS – RECTAGUARDA 180/55 ZR17 M/C
RODA – TAMANHO – RECTAGUARDA 17 M/C x MT 5,50
RODA – TIPO – FRENTE MultiRaios, Aluminio Fundido
RODA – TIPO – RECTAGUARDA MultiRaios, Aluminio Fundido

Ciclística

BATERIA YTZ10/FTZ10S 8,6h MF
COLUNA DE DIRECÇÃO 25,5°
DIMENSÕES 2.130 x 780 x 1.075 mm
QUADRO Em aço, tipo diamante
DEPÓSITO DE COMBUSTÍVEL 15,4 litros
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL 4,9 l / 100 km (20,4 km/l) (método WMCT)
DISTÂNCIA LIVRE AO SOLO 150 mm
LUZES LED
PESO EM ORDEM DE MARCHA 202 kg
ALTURA DO ASSENTO 810 mm
TRAIL 101 mm
DISTÂNCIA ENTRE EIXOS (mm) 1.450 mm

 

 

Concorrência

Ducati Monster 797   803cc / 73 CV / 193 Kg / 9.295 eur

Kawasaki Z650   649cc / 68 CV / 187 Kg / 6.990 eur

Suzuki SV 650 A SE   645cc / n.d. CV / 197 Kg / 7.599 eur

Yamaha XSR 700   689cc / 75 CV / 186 Kg / 7.895 eur

 

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!