Kawasaki Versys 650 – Mais genuína

By on 25 Janeiro, 2019

A Versys 650, com novas cores para 2019 e pack de malas incluído no preço, permanece uma moto Aventura polivalente, com bons argumentos no seu conforto, simplicidade e nível de equipamento, mas especialmente na docilidade do seu motor pronto a tudo. Lembro-me bem da Versys original de há uns 10 anos. Um pacote competente, fácil de guiar, ajudado por aquele motor muito redondo e flexível, um formato que a Kawasaki faz quase tão bem como a ex-libris quatro em linha e dotada de ciclística competente, realçada pelo mono-amortecedor montado unilateralmente, mas algo prejudicada por travões assim-assim e estética algo duvidosa.

Agora a marca de Akashi reviu justamente os pontos menos e a Versys 650 actual é outra coisa, mais esbelta e com estética atualizada. Para 2019, mudam apenas as cores, vai-se o branco da nossa moto de ensaio e vêm cores mais cuidadas, um verde-escuro com filetagem a lima Kawasaki e um negro antracite com filetagem a amarelo. Além destas, há uma versão especial com malas Kawasaki, cor mate e faróis spot adicionais por cerca de 1.000 Euros acima do preço da Versys “normal” de 8.990 Euros.

Da anterior Versys, permanece a alma da moto, o bicilíndrico paralelo de 659cc com 69cv e um caráter muito redondo, especialmente agora que uma ligeira modificação ao faseamento do veio balanceiro do motor o torna menos temperamental em baixas, outra melhoria nesta versão. O motor é tão redondo e agradável que, por vezes, nos surpreendíamos com a fatal de resposta a sair de rotundas só para constatar que estávamos a tentar fazê-lo em quinta ou coisa parecida…

Por outro lado, a travagem motor é eficiente, basta fechar o punho e reduzimos substancialmente o movimento antes de ter de recorrer aos travões… que ilustra outro ponto forte do motor, uma injeção perfeita, sem hesitações nem patamares, a permitir uma condução fluída e contínua.

Uma posição de condução quase perfeita é o primeiro que notamos ao arrancar nesta Versys 650, guiador direito e amplo tipo motocross, banco algo rijo mas com o suporte adequado e especialmente, a estreiteza suficiente para colocarmos os pés firmemente no chão da sua altura de 840mm. E ainda bem, já que a Versys é algo larga e volumosa no topo, especialmente com as malas da Shad, que pelo preço de 8.990€, fazem parte do pacote proposto pelo importador Multimoto.

O vidro (ajustável facilmente em segundos afrouxando e voltando a apertar manualmente dois apertos) provavelmente ajuda a essa impressão da frente alta, mas faz um bom trabalho de proteger os ocupantes. Mesmo na posição mais baixa, defletia eficientemente o ar do capacete do condutor e só o pendura se queixou de ainda sentir pressão, por ir sentado mais acima e mais atrás…

Em movimento, o motor é de facto a estrela do conjunto, mas o chassis também dá grande estabilidade e a suspensão ajustável lida com o que venha sem dramas. Nota máxima também para a suavidade e precisão da caixa, mesmo numa unidade ainda muito presa devido aos escassos quilómetros rodados. Até os consumos se revelaram frugais, e também estes deveriam melhorar pela mesma razão.

A travagem tem uma nova mordida, fruto mais dos discos pétala decerto que das pinças Nissin de dois êmbolos, algo desatualizadas. Pelo menos as manetes são ajustáveis Em vista do bom desempenho das suspensões, e do conjunto motor/caixa/embraiagem, de uma suavidade a toda a prova apesar da escassa quilometragem do modelo ensaiado, é mesmo o único ponto a rever. Do lado da informação, o painel LED tem todo o essencial Km, parciais, horas, combustível, mudança selecionada e velocidade em números maiores claramente visíveis, emparelhados com o conta-rotações analógico cujo semicírculo domina a consola na parte superior.

Com a capacidade de bagagem em alta, devido às malas e top case Shad, muito práticas e de atuação intuitiva dos fechos, se bem que horrivelmente largas na traseira, a requerer alguma habituação, a Versys 650 é uma opção excelente para quem queira ir à aventura sem sair muito do alcatrão, ressalvando as naturais limitações em TT, vistas as rodas de 17” e pneus de estrada…

FICHA TÉCNICA AQUI

Edição Especial 2019

Agradecemos à Rame Moto de Odivelas a gentil cedência da moto ensaiada.

Cores: Verde escuro; Cinza; Negro mate (edição especial)

Preço com Malas 8.990€

CONCORRÊNCIA

Benelli TRK502X  6.480€,  47,6 cv, 235 Kg

BMW F750GS 9.468€,  77 cv, 224 Kg

CF Moto 650MT 6.990€,  70 cv, 193 Kg

 

FICHA TÉCNICA Kawasaki Versys 650
Motor Bicilíndrico paralelo com refrigeração por líquido, 4 tempos, cabeça DOHC de 8 válvulas
Diâmetro x Curso 83 x 60 mm
Alimentação Injeção eletrónica Keihin, corpos 38 mm
Taxa Compressão 10,8:1
Emissões CO2 110 g/km de CO2
Cilindrada 659 cc
Potência máxima 51 kW (69 cv)/8.500rpm
Binário Máximo 64 Nm/7.000rpm
Embraiagem Húmida, multi-disco, DCT
Ciclística Quadro em tubo de aço de alta resistência
Caixa 6 velocidades
Dimensões 2.165 x 840 x 1.400/1.450 mm
Suspensão

Frente

Forquilha telescópica invertida de Ø 41mm, 153,5mm de curso. Ajuste de pré-carga e ressalto
Traseira Monoamortecedor assimétrico
Pneus, Frente – Trás 120/70 R17 – 160/60 R17
Travão dianteiro Duplo disco pétala 300 mm, pinças dois pistões
Travão traseiro Disco pétala 250 mm, pinça simples
Trail 108 mm
Altura do assento 840 mm
Distância entre eixos 1.415 mm
Distância livre ao solo 170 mm
Transmissão final Por corrente
Peso, ordem de marcha 217 Kg
Depósito de combustível 21 litros
Importador Multimoto, S.A.

 

 

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!