Teste Harley-Davidson Sportster S – O primeiro capítulo da nova saga Sportster

By on 22 Setembro, 2021

A Harley-Davidson Sportster S é o novo modelo que dá seguimento à linhagem Sport-Custom da marca. Agora com um coração totalmente novo, o Revolution Max, promete um futuro cheio de emoções fortes. O nome Sportster carrega uma enorme responsabilidade dentro da casa de Milwaukee, dinamismo, versatilidade e desportividade  são o seu apanágio desde 1957. Com uma imagem lembrando as guerreiras das competições de flat-track, a Harley acertou em cheio.

Por Rui Domingues

Quando iniciamos a pilotagem da Sportster S entendemos logo à partida que estamos diante de uma moto de ciclística ágil e fácil de utilizar. O renovado e potente motor V-twin (60º, refrigeração líquida, 1252 cc, 122 cv @ 7500 rpm , 125 Nm @ 6000 rpm) faz parte integrante do seu chassi, apresentando agora refrigeração líquida e duas árvores de cames à cabeça com comando variável de válvulas. Muito semelhante ao da Pan América por nós já testada, utilizando apenas válvulas e sedes mais pequenas e desenho diferente nas câmaras de combustão favorecendo os regimes baixos e médios e também uma transmissão final por correia dentada, este novo conceito Revolution Max abre um novo capítulo nesta geração de motores V-Twin que já conta com mais de um século.

Na travagem (disco de 320 mm com pinça Brembo radial de 4 êmbolos no eixo dianteiro; disco de 260 mm com pinça Brembo flutuante de êmbolo simples no eixo posterior), a casa de Milwaukee deixou a cargo da prestigiada Brembo que cumpre muito bem quando se trata de parar este peso pluma (228 Kg em ordem de marcha). As suspensões (Forquilha invertida Showa de 43 mm e monoamortecedor Showa, reguláveis em ambos os eixos), funcionam bastante bem para o curso que apresentam, embora a traseira crie algum desconforto ao fim de alguns quilómetros, ou não estivéssemos a ensaiar uma sport custom.

No campo da conectividade, a marca americana disponibiliza uma aplicação para o telemóvel que ajuda e muito a programarmos as nossas viagens ou mesmo desfrutarmos da nossa playlist predileta, e visualizarmos isto tudo no bonito e compacto  visor TFT circular de 4″ . Os comutadores requerem algum hábito, principalmente para o cliente da marca uma vez que a disposição destes são totalmente diferentes de outros modelos.

A iluminação full LED satisfaz bastante e tanto nos ilumina o caminho com precisão durante a noite, como nos mantêm visíveis durante o dia. 

  As jantes de alumínio com  pneus de grandes dimensões marcam um estilo muito próprio neste modelo onde a  Dunlop desenvolveu o composto certo para conseguirmos manter a direcção no sítio ao mesmo tempo que enrolamos punho como se um traço no alcatrão estivéssemos a desenhar.

  O escape altos e desenhados para afastar o calor tanto das pernas do condutor, como da traseira da moto não fazem o ruído equivalente aos cavalos do motor, mas ainda assim não passam despercebidos em uma qualquer fila de trânsito.

O depósito de combustível de desenho atrativo deixa-nos chegar com alguma dedicação aos 200 kms de autonomia. Com 11,8 L, conseguimos consumos na ordem dos 5,7 L/100km, em ritmo de ensaio.

   A presença de um cruise control, que cada vez mais é item requisitado por muitos motociclistas, trás ao modelo com caráter mais desportivo da marca a possibilidade de fazer algumas viagens com conforto acrescido. Parabéns Harley!!

Os mais puristas provavelmente não se vão identificar com esta nova saga da Harley Davidson, mas esta traseira fortemente inspirada na XR 750, a frente com este farol retangular e o pneu dianteiro de largas dimensões fazendo lembrar uma Fat Bob não deixam quaisquer dúvidas. Se o Sr. Harley e os irmãos Davidson de erguessem novamente , sem dúvida que reconheceriam a linhagem da marca.

Sem dúvida alguma que esta Sportster não deixa ninguém indiferente à sua passagem. A paixão por esta moto cresce a cada quilómetro que percorremos com ela. As minhas costas não acharam o mesmo, mas deixemo-nos de pieguices, esta moto não é para meninos.

  Este novo motor Revolution Max é sem dúvida o Santo Graal desta nova saga da Harley Davidson. Funciona bem em todos os regimes mas é a partir das 6000 rpm que nos questionamos se estamos mesmo aos comandos de uma Sport Custom.

 

Ficha Técnica:

Motor

MotorBicilindrico em V a 60º, refrigeração líquida
Cilindrada1252 cc
Potência122 cv @ 7500 rpm
Binário125 Nm @ 6000 rpm
TransmissãoCaixa de 6 velocidades, final por correia

Ciclística

QuadroEstrutura em treliça com motor auto portante
Suspensão Dianteira / TraseiraForquilha invertida de 43 mm com ajustamento de pré-carga. Triple clamps da forquilha em alumínio / Monoamortecedor de montagem vertical com link, ajuste de pré-carga da mola hidráulica
Travagem Dianteira / TraseiraDianteiro: pinças radiais, monobloco, de 4 pistões / Traseiro: pinça flutuante de pistão único
Pneus160/70-R17 ; 180/70-R16

Dimensões e Preço

Altura do assento753 mm
Distância entre eixos1520 mm
Capacidade do Depósito11,8 L
Peso228 Kg em ordem de marcha
PreçoDesde 17 362,80 €

 

Cores e Acessórios:

 

Concorrentes: 

  • Indian Scout Bobber

Desde 14,790 € ; 98 cv ; 255 Kg
  • Ducati X Diavel Dark

Desde 19,595 € ; 160 cv ; 221 Kg
  • Triumph Bonneville Bobber Black

Desde 14,850 € ; 78 cv ; 251 Kg

 

Galeria:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments