Kawasaki Z650 da Foundry Motorcycle

By on 1 Fevereiro, 2019

Entre os construtores de motos personalizadas, o passado de Tom Simpson é especialmente incomum: ele treinou como metalúrgico antes de montar a Foundry Motorcycle, em Inglaterra, seis anos atrás.

Tom atualmente constrói café racers e bobbers muito elegantes na sua oficina de Chichester, West Sussex. Como se pode imaginar, tem uma mão habilidosa quando se trata de fabricação – mas esta Kawasaki Z650 é mais sobre modificações mecânicas inteligentes do que rodas de polir e martelos de esferas. “Originalmente, éramos dois na Fundição, mas o meu sócio foi-se embora quando descobriu como é difícil ganhar a vida nesta indústria!”, diz Tom.

“Felizmente, há vantagens em fazer algo que se adora como trabalho – além de ter uma esposa disposta a trabalhar arduamente para permitir que eu siga os meus sonhos.” Esta Kawasaki Z650, por exemplo, seria uma máquina de sonho para muitos fãs de clássicas, nós mesmos incluídos. O quatro em linha era o arquétipo da “motocicleta japonesa universal” e, em muitos aspetos, era uma moto muito melhor do que a antecessora irmã maior Z1.

 

Projetada por ‘Mr Z1’ Ben Inamura, a Z650 tinha duas árvores de cames à cabeça e bombava 64 cv do seu motor de 652cc – mas com muito melhor comportamento dinâmico que a 900. A construída pela Foundry é uma “B1” de 1976, o que a torna uma das primeiras Z650s. Pertence a um cliente regular da firma, Gary, um empreiteiro, mas a moto chegou à oficina num estado lastimável.

 

 “Gary chegou a contemplar construir a sua café racer na sua própria garagem. Mas felizmente para nós, ele é muito melhor na construção de casas do que na construção de motos! ” Antes de Gary entregar a Z650, o motor tinha sido todo reconstruído. Mas Tom e o seu aprendiz Alex acharam por bem desmontá-lo novamente, levando-o para os 725cc com um kit de aumento de cilindrada – e colocando todos os outros componentes de volta à especificação de fábrica.

“A ideia original era montar uma moto básica com uma construção rápida, com um assento que Gary forneceu e queria que usássemos”, diz Tom. “Mas convencemos Gary a deixar-nos fazer um pouco mais para acabar com um resultado mais original. A atração de peças polidas feitas sob medida era demais para recusar!”

 

O primeiro trabalho foi aproveitar ao máximo o motor melhorado. A Foundry reconstruiu e recondicionou os quatro carburadores Mikuni, instalou uma ignição e bobinas Dynatek, e um respirador de cárter personalizado. Eles também construíram um sistema de escape personalizado em aço inoxidável, com dois conjuntos de tubos de 2 em 1.

De origem, a Z650 ficava apenas a cerca de um segundo dos números para o quarto de milha da sua irmã maior Z1, graças a uma potência específica de 98 cv por litro e peso muito menor. O motor recém-preparado com componentes modernos deve reduzir essa diferença ainda mais….

 

Os travões foram atualizados para combinar, com novos discos perfurados EBC, tubos de malha de aço da HEL e uma bomba tirada de uma Honda CBR RR. Um velocímetro Koso foi instalado numa consola inoxidável personalizada logo à frente do tê superior, este último modificado e polido. Há um novo farol de 7 ” ao estilo clássico, montado em suportes personalizados e o painel de instrumentos é da Motone.

 

A Kellermann forneceu os piscas para instalar nas extremidades do guiador, neste caso avanços de corrida ajustáveis ​​Tarozzi. Os elementos elétricos ocultos por debaixo do assento estão ligados a uma unidade Motogadget, além de um a moto usar um sistema de ignição sem chave. As lindas rodas usam aros Morad suportados por novos raios inoxidáveis. Contacto com o solo é através de borracha Roadrider clássica da Avon e há uma cremalheira Talon no final da transmissão.

Toda a zona do sub-quadro foi desmontada e a extremidade traseira do guarda-lamas arqueada – com um farolim traseiro integrado. O conjunto é suspenso por novos amortecedores YSS com um braço oscilante tubular de seção de caixa JMC muito elegante a completar a traseira. O cliente Gary forneceu a unidade do assento, que a Foundry fez forrar de novo pela Trim Deluxe. O tanque de combustível é original, modificado ligeiramente para usar um tampão de combustível estilo Monza, e a impecável pintura verde e azul foi fornecida pelo especialista local S Jago Designs.

É quase tão brilhante como o que resta de metal em bruto, que foi polido até ficar com um brilho fino pela AM Metal Polishing.  “Gary foi muito paciente ”, diz Tom. “O que foi bom, porque as motos mais cuidadas levam sempre mais tempo a completar.”

Já dizia Einstein, o génio está na simplicidade. Nesse caso, o resultado final vale a pena: é uma das Kawasaki Café Racers mais bem acabadas que já vimos de há muito tempo para cá.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!