Ducati Panigale V4 e V4 S 2022: Ainda mais focada em ‘roubar’ segundos

By on 26 Novembro, 2021

Com a experiência adquirida no Mundial de SBK, a Ducati tornou a Panigale V4 ainda melhor, mais rápida e mais forte. Com ela só temos um problema: deixa-nos ‘presos à pista’ e a perder a noção das horas. Parece nascida no departamento da Ducati Corse e nem Pecco Bagnaia dispensou umas voltinhas para as fotos!

A Ducati Panigale V4 é uma das motos mais velozes do seu género. E o vermelho assenta-lhe bem, transmitindo o efeito de agressividade e desempenho da icónica Superbike de Borgo Panigale.  Para o modelo do ano 2022, os engenheiros da Ducati incorporaram grande parte da experiência adquirida no Campeonato do Mundo de SBK no modelo de produção. O objetivo foi proporcionar uma moto ainda mais rápida em pista e, ao mesmo tempo, mais intuitiva e menos cansativa para uma ampla faixa de motociclistas. Em resumo, oferecer uma grande e compensadora dose de emoção tanto para o piloto profissional como para os amadores.

Aerodinâmica e ergonomia

A nova Panigale V4 foi melhorada em traticamente todas as áreas: aerodinâmica, ergonomia, motor, ciclística e eletrónica. Começando pela aerodinâmica, os novos elementos de asa (winglet) estão presos aos flancos da carenagem, o que reduz a resistência do ar, mas deve fornecer força descendente no nível da asa anterior. Mais compactas e finas, as novas asas devem trazer também maior eficácia a velocidade lançada, uma vez que a Ducati continua a prometer 37 kg de downforce a 300 km/h. Mais abaixo na carenagem, também as ranhuras de ventilação foram redesenhadas, por forma a garantir uma melhor dissipação de calor do motor. Na secção traseira o assento ficou mais plano para que na condução o condutor possa deslizar melhor para trás durante durante a travagem.

Esta alteração permite rodar mais rápido e por mais tempo. Graças a esta nova ergonomia, o piloto fica completamente integrado na moto e, desta forma, ganha de um modo geral mais conforto; mesmo a área de contacto dos braços quando se ‘sai’ da moto, nomeadamente ao inclinarmo-nos completamente em curva fica melhorada segundo a Ducati. Em comparação com a versão de 2021 o depósito foi completamente redesenhado para termos também um melhor suporte de apoio, sendo aumentado o seu volume em um litro.

Evolução do V4 Stradale

O coração da moto é representado pelo motor Desmosedici Stradale de 1103 cc derivado do MotoGP, que sofreu uma série de atualizações. A evolução deste V4 foi conseguida em diversos aspectos. A nova bomba de óleo usa menos força motriz e as aberturas ampliadas do silenciador destinam-se a aumentar o fluxo de gás. Com um sistema de gerenciamento de motor melhorado, a Ducati afirma ter medido 215,5 cv @ 13.000 rpm e conseguido um binário máximo de 123,6 Nm @ 9.500 voltas sob os requisitos do Euro 5. Com isto temos um pico de potência aumentado em 1,5 cv.

Um pormenor que diz muito sobre a evolução que ressalta deste motor de 2022 é a a nova caixa de velocidades que conta com um alongamento das relações para a primeira, segunda e sexta velocidades. Esta nova relação de caixa SBK tem assim uma orientação mais “racing”, mais adaptada à utilização em pista. A primeira velocidade foi alongada 11,6%, enquanto a segunda é mais longa 5,6%.

Graças a esta nova caixa, é agora mais fácil atacar as curvas mais apertadas em primeira velocidade, desfrutando de um maior travão-motor e de melhor aceleração à saída de curva. Para além disto, o pequeno salto em velocidade entre as duas primeiras relações permite ao DQS (quickshifter), agora com nova calibragem, trabalhar com mais eficácia, oferecendo melhor performance. Combinando o aumento de potência do motor com a nova caixa, a Ducati afirma ter-se conseguido um aumento na velocidade máxima de 5 km/h, portanto superior à Panigale V4 de 2021.

4 configurações de motor e 215,5 cv!

Os quatro modos de condução selecionáveis também foram completamente recalibrados nas 4 configurações de motor apresentadas pela Panigale V4: Full, High, Medium, Low. As configurações Full e Low foram redefenidas, enquanto as configurações High and Medium utilizam uma nova ‘estratégia’. O Power Mode Full é o mais desportivo alguma vez adotado por uma Panigale V4, permite ao motor expressar todo o seu potencial com curvas de binário sem filtros eletrónicos, exceto na primeira velocidade. Um novo sistema de gestão do mapa Ride by Wire foi desenvolvido para os Power Modes High e Medium; agora dedicado a cada uma das seis variações, o que garante ao piloto uma possibilidade de ter sempre uma aceleração ideal quando abre o acelerador. O Power Mode Low, por outro lado, foi concebido para tornar a condução em estrada ainda mais agradável.

O escape segue a configuração 4-2-1-2, com dois catalizadores e quatro sondas lambda para corresponder ao Euro 5. Adicionalmente, é possível escolher o escape de titânio Akrapovic opcional, recentemente desenvolvido, com silenciadores na parte traseira e que fica abaixo de 105 décibeis, permitindo este uma redução de 5 quilos no peso. Com o mesmo, aumenta o redimento do motor V4 para um total de 228 cv. O binário máximo também aumenta para, 131 Nm.

Forquilha Ohlins NPX na V4 S

A Ducati muniu a variante V4 S com melhor equipamento ao nível das suspensões. A nova Panigale V4 S conta com uma nova forquilha pressurizada Öhlins NPX 25/30 controlada eletronicamente que usa um sistema de amortecimento por cartucho pressurizado derivado das forquilhas de competição da Öhlins, minimizando o risco de cavitação do óleo comparativamente a um modelo tradicional.

O resultado é um melhor apoio à travagem e, ao mesmo tempo, melhor absorção dos ressaltos, que se traduz nas melhores sensações de condução para o utilizador. A nova forquilha tem um curso de 125 mm (+5 mm em relação à equipa a Panigale V4 2021),o que permite adotar regulações mais suaves (a rigidez das molas passou de 10 para 9,5 N / mm ), melhorando a suavidade da resposta, mesmo em asfalto mais irregular, e a aderência em condições críticas. E claro, um melhor tacto nas travagens mais exigentes.

A nova forquilha trabalha em combinação com o amortecedor traseiro Öhlins TTX36 e o ​​amortecedor de direção Öhlins, ambos com um sistema de comando ‘event based’. Este sistema oferece ao piloto a oportunidade de customizar a intervenção das suspensões de acordo com diferentes situações de pilotagem (travagem, curva, aceleração), bem como alterar os parâmetros operativos dos componentes de hardware. Para o piloto, isto significa um maior nível de controle sobre a dinâmica da moto, beneficiando a segurança em estrada e os tempos por volta em pista. Adicionalmente, o pivô do monobraço oscilante em alumínio está posicionado 4 mm mais acima do que na versão de 2021 da moto.

A Panigale V4 S está equipada com jantes em liga leve de alumínio forjado de 3 braços, que têm montados pneus Pirelli Diablo ™ Supercorsa SP (120/70 ZR17 na frente e 200/60 ZR 17 atrás). O sistema de travagem conta com pinças monobloco Brembo Stylema® na frente, com quatro pistões de 30 mm cada, trabalhando em discos com 330 mm de diâmetro que garantem um poder de travagem excecional, enquanto atrás se encontra um disco de 245 mm com pinça de dois pistões.

Mesmo a versão standard da Panigale V4 conta com uma ciclística de primeira linha, que inclui uma forquilha totalmente regulável Showa Big Piston Fork (BPF) de 43 mm, amortecedor de direção Sachs e amortecedor traseiro Sachs, também totalmente regulável, e jantes em alumínio fundido com desenho de 5 braços. A Panigale V4 2022 está equipada com um pacote eletrónico da mais recente geração , baseado na utilização da plataforma inercial de 6 eixos, capaz de detectar instantaneamente os ângulos horizontais, longitudinais e verticais da moto.

O facelift dos modelos Panigale V4 é completado por um novo display TFT com um alcance de display ainda mais expandido e conectividade Bluetooth.

No ecrã “Track Evo”, o tacómetro move-se numa escala horizontal posicionada na parte mais alta do painel, que é a mais visível, e a indicação de mudança engrenada surge no centro do ecrã. Na área do lado direito existem quatro setores de núcleos diferentes, cada um dedicado a um controlo eletrónico (DTC, DWC, DSC, EBC). Estes setores são iluminados individualmente quando a eletrónica está a trabalhar num determinado parâmetro, permanecendo acesa o tempo necessário para o piloto identificar que indicador está ativado.

A Panigale V4 e a Panigale V4 vão estar disponíveis a partir de janeiro de 2022 na clássica cor “ Ducati Red”. Os preços começam nos 25.295€, para a V4, aos 30.395€ no caso da melhor equipada V4 S.

FICHA TÉCNICA PANIGALE V4 (V4 S)

Motor: Desmosedici Stradale 90° V4, 4 tempos desmodrómicos, 4 válvulas por cilindro, arrefecido por líquido

Cilindrada: 1,103 cc

Diâmetro x curso: 81 x 53,5 mm

Taxa de compressão: 14,0:1

Potência máxima: 158,5 kW (215,5 CV) @ 13,000 rpm

Binário máximo: 123,6 Nm @ 9,500 rpm

Alimentação: Sistema de injecção electrónica de combustível com 2 injectores por cilindro. Acelerador elíptico a toda a velocidade

Caixa: 6 velocidades com Ducati Quick Shift (DQS) de duas vias EVO 2

Transmissão final: Por corrente

Embraiagem: Multidisco em banho de óleo, do tipo deslizante e controlada hidraulicamente

Quadro: ‘Fronte Frame’ com estrutura de liga de alumínio

Suspensão dianteira: Forquilha BPF Showa de 43 mm cromada e totalmente ajustável (Öhlins NPX25/30 totalmente pressurizado com bainhas de 43 mm com tratamento TiN. Ajuste de compressão e amortecimento de ressalto com com Öhlins Smart EC 2.0)

Suspensão traseira: Monoamortecedor Sachs totalmente regulável em posição central, acoplado num monobraço oscilante de alumínio (Monoamortecedor Öhlins TTX36 totalmente regulável. Ajuste eletrónico de compressão e amortecimento de ressalto com Öhlins Smart EC 2.0)

Rodas (FR.-TR.): Aros de alumínio forjado 3,50″ x 17″ –  6.00″ x 17″

Pneus (FR.-TR.): 120/70 ZR17 e 200/60 ZR17, Pirelli Diablo Supercorsa SP

Travão dianteiro: Discos semi-flutuantes de 2 x 330 mm, montados radialmente Brembo Monobloco Stylema® (M4.30) 4-pistões, com aBosch Cornering ABS EVO.

Travão traseiro: Disco de 245 mm, com pinças de 2 pistões com Bosch Cornering ABS EVO

Peso a seco: 175 kg (174 kg)

Peso em ordem de marcha: 198,5 kg (195,5 kg)

Altura do assento: 850 mm

Capacidade do depósito: 17 litros

Preço: A partir de 25,295€ (Panigale V4); a partir de 30.395€ (Panigale V4 S)

Disponibilidade: Janeiro de 2022

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments