Suzuki Hayabusa com fim à vista

By on 18 Dezembro, 2018

A Suzuki decidiu, ao fim praticamente de 20 anos, terminar a produção de um dos seus icons, a Suzuki Hayabusa.

A Suzuki Hayabusa marcou toda uma época e mantém vivo o seu espírito. Em 1999 quando do seu lançamento, a Suzuki Hayabusa era a moto de série mais rápida de então, atingindo uma velocidade máxima de 312 Km/h .

A sua inspiração provinha de uma ave de rapina, o Falcão Peregrino, a ave mais rápida do mundo e cujo nome em japonês é precisamente “hayabusa”. Com um motor de quatro cilindros em linha e uma potência de 173 cv, a Hayabusa tinha uma estética inconfundível que ainda hoje mantém.

A primeira geração de Hayabusas era de uma enorme exuberância e destacava-se em tudo das restantes motos do mercado quer pelo seu aspecto compacto e volumoso, de linhas redondeadas, quer por pormenores de ostentação como era por exemplo o conta kilómetros a marcar 350Km/h.

Somente no ano de 2008, e praticamente 10 anos depois do seu lançamento, a Suzuki decidiu realizar o primeiro restyling da Hayabusa. O seu motor cresceu de cilindrada para os 1.340cc e a potência subiu também para os 197cv, tendo sido limitada a sua velocidade para os 296Km/h para não ultrapassar a fasquia dos 300, por acordo entre várias marcas japonesas. Passou também a montar travões da Brembo e ABS de série.

As imposições da norma Euro 4 e o limite de 31 de dezembro deste ano para as marcas se desfazerem dos seus stocks de motos Euro 3 fez com que a Suzuki decidisse atirar a toalha quanto à continuidade do seu “Falcão”. Mas tal como vimos recentemente em termos de recuperação de um icon do passado, que foi o caso da Suzuki Katana, estamos certos que num futuro próximo iremos assistir ao renascer da Hayabusa, quem sabe com motor sobre alimentado para se bater com as Kawasaki H2. Na nossa visão e sensibilidade é quase certo que assim irá acontecer. “Hayabusa” é uma marca demasiado preciosa para ser guardada no esquecimento ou num passado histórico. Aguardemos pois.

Nota: a Hayabusa irá continuar a ser fabricada no mercado norte-americano

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!