Fiquei sem bateria na minha moto…. E agora ?

By on 22 Julho, 2019

Existem razões múltiplas para que uma bateria vá perdendo carga … muito tempo a moto parada, ou a moto ficou ligada, ou um ou outro acessório entretanto instalado pode estar a consumir carga, ou a bateria já está em final de vida e acusa esforço no arranque da moto e “morre” ao fim de algumas tentativas… enfim, ao longo das nossas vidas de motociclistas certamente muitos já viveram a experiência de chegar à moto, todo equipado para sair, e a moto pura e simplesmente não arrancar.

Há uns corajosos ( dependendo do peso da moto ) que arriscam pegá-la de empurrão, colocando a moto em 2ª ou em 3ª para diminuir a resistência do motor.  E outros ( como eu ) que têm sempre um cabo à mão e pedem ajuda ao primeiro motociclista que passe. O esquema passa por ligar as peseiras de ambas as motos ( nunca o guiador da vossa moto a qualquer apoio da moto que vos reboque ) e é sempre a peseira esquerda da vossa moto ligada à peseira direita da moto que vos reboque. Assim mantém o ponto de reboque num local o mais baixo possível onde provoca menos desequilibrio na moto sendo que quem reboca vai mais esquerda da via e quem é rebocado mais à direta da via. ( e claro mão na embraiagem com a 2ª ou 3ª engatadas ).

Nota: Não se esqueçam que normalmente as motos de injecção electrónica não pegam de empurrão pois a bomba de gasolina para o sistema de injecção só funciona com corrente da bateria.

Starter Boost ( Portátil )

Outra solução é a de tentar arrancar a moto com sistemas de backup da bateria ( Starter Boosts ) alguns até portáteis e específicos para motos e que podem resolver a situação.

Booster portátil de arranque de bateria

Mas a solução mais óbvia, e aquela que com tempo podemos realizar, será a de desmontar a bateria e colocá-la à carga durante as próximas horas ( 12 horas caso esteja totalmente descarregada ) confirmando que a mesma aceita carga já que muitos carregadores testam a bateria assim que a mesma é ligada e se a mesma estiver totalmente “flat” muitas vezes não procedem ao seu carregamento. Se a mesma estiver mesmo no final de vida e já não aceitar carga então está na hora da sua substituição.

Se a bateria for das antigas, daquelas com pequenas tampas no topo que se abrem para colocarmos água destilada e já estiver “morta” há algum tempo é melhor substituí-la de imediato por uma das recentes sem manutenção. As antigas baterias de chumbo e ácido exigem manutenção constante, sobretudo dos níveis de líquido do seu interior sendo que se perderem totalmente a carga por 2 ou 3 vezes apresentam grande dificuldade de recuperação. No entanto com manutenção adequada poderão ser mais duradouras que as versões seladas do tipo  AGM e de GEL.

Bateria tradicional Yuasa

As baterias AGM ( Absorvent Glass Mat ) têm no seu interior pequenas placas de lã de fibra de vidro e são mais leves, não exigem manutenção ao contrário das tradicionais, aguentam cargas mais elevadas e são mais eficientes.

Bateria AGM da Varta

Existem ainda as baterias de GEL, também seladas e sem manutenção, que permitem ser colocadas em qualquer posição na moto e que em vez da lã de vidro têm um gel de alta densidade que preenche o interior da bateria e que funciona como condutor/electrólito. Estas baterias são mais dispendiosas que as duas anteriores e podem exigir um tipo de carga especial.

Bateria de GEL

Algumas desta baterias seladas incluem às vezes uma pequena válvula para escape dos gazes quando atingem demasiada pressão durante o carregamento e são apelidadas de VRLA – Valve Regulated Lead Acid

Tanto as baterias do tipo AGM como as de GEL são mais caras que as tradicionais mas não exigem manutenção, são mais eficientes e não obrigam a uma colocação vertival.

As baterias do tipo seladas devem ser sempre mantidas com carga para uma manutenção ideal. A bateria do tipo AGM avisa quando o seu ciclo de vida está a chegar ao fim enquanto que as de GEL acabam repentinamente.

Bateria de Lítio de última geração

Finalmente temos as baterias de última geração, as de iões de lítio, são também seladas, mais leves que a todas as anteriores, de menor dimensão e não egigem qualquer tipo de manutenção. No entanto são baterias sensíveis não só a sobrecargas e grandes variações de temperaturas. Se tem que constantemente recarregar uma bateria de lítio por que perde geralmente a sua carga total, precisa de o fazer com cuidado e de acordo com as instruções do fabricante. Já aconteceu numa exposição as baterias de lítio explodirem por excesso de carga provocada pela utilização de um carregador de uma outra amperagem. ( e as explosões são mesmo assustadoras e muito perigosas ).

ATENÇÃO : Nunca tentar arrancar a sua moto ligada com cabos à bateria de um carro com o motor do mesmo em andamento já que poderá danificar todo o sistema eléctrico da moto. É possível fazê-lo ligando ambas as baterias mas com o carro desligado.

 

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!