Ensaio Harley-Davidson FXDR 114 de 2019 – Power Cruiser Americana

By on 28 Maio, 2019

Sempre que temos que ensaiar uma Harley-Davidson desenvolvemos uma espécie de processo de interiorização prévio que envolve um misto de contextualização da marca com o respeito por todo o histórico da mesma, como se de repente a Harley fosse quase como uma “máquina do tempo” que nos transporta para uma outra dimensão. Mais ainda quando o modelo em si significa aquilo que mais sofisticado a marca produziu até ao momento.

A Harley-Davidson FXDR 114 rompe com os padrões mais conservadores da marca e o seu estilo não é consensual entre os Harlistas que defendem uma postura mais tradicional da marca e dos seus modelos. Mas os tempos evoluem e a Harley sabe disso e vai à procura de novos mercados e de novos targets de clientes. Sinal dessa postura é a aposta que a marca está a realizar no segmento das motos eléctricas onde a Livewire representa o expoente máximo da HD neste segmento de futuro.

Aliás o estilo da FXDR 114 aproxima-se muito das linhas da sua irmã eléctrica Livewire, e também da descontinuada V-Rod, e onde vemos claramente que vai buscar inspiração às motos de competição de Drag americanas mantendo assim algum estilo do agrado dos seus clientes tradicionais e à imagem das sensibilidades e preferências do mercado norte-americano.

Para nós europeus uma naked do estilo power cruiser com quase 300 Kg e um motor de 1.868cc com 160 Nm de binário máximo, logo às 3.500 rpm, impõe respeito e exige algum “cabedal” para que a mesma perceba que apesar também deste lado do Oceano Atlântico existem “moços” que a sabem levar…

A primeira impressão causa de facto um enorme impacto e ao nos sentarmos pela primeira vez na FXDR 114 percebemos melhor as suas “dimensões” e aquilo que nos vai exigir para a conduzir. Um pneu 240 na traseira, com janela no guarda-lamas que permite visualizar a sua dimensão, aliado ao binário máximo disponível às 3.500 rpm define de imediato para o que a FXDR 114 está preparada… saiam da frente.

No percurso inicial de cidade à saída do stand da HD em Lisboa percebemos que o ambiente urbano com trânsito não é de facto a sua praia. No entanto temos a vantagem de que todos se afastam pela sua imponência e para a admirarem à sua passagem. Pesada na direção, que monta roda de 19” na frente, a colocação em curva e as manobras a baixa velocidade têm que ser bem calculadas e acompanhadas por um esforço extra nos braços. Afinal também não é nada que não seja habitual numa moto destas características. Pés lá na frente e guiador praticamente “flat” obrigam a uma posição dobrada, quase em concha, debruçada sobre a frente que favorece o facto da moto não ter qualquer proteção aerodinâmica mas torna a sua condução algo cansativa.

O motor de 2 cilindros em V de 1.868cc é o conhecido Milwaukee-Eight V-Twin, o motor mais potente que equipa a gama Softail da Harley-Davidson. A Harley não declara a potência e foca-se mais no binário mas fontes afirmam que terá cerca de 92 Cv, atingindo o redline à 5.500 rpm. As acelerações são por isso brutais mas asseguradas pelo pneu 240 na traseira. Apesar do peso e uma vez colocada em curva, aqui é necessário determinação e antecipação, a FXDR 114 demonstrou bastante estabilidade, sendo no entanto sensível a mau piso.

A FXDR 114 monta um escape 2 em 1, onde o desenho dos coletores está perfeitamente integrado na estética da moto, sobretudo o coletor do cilindro traseiro que descreve um U perfeito sobre a tampa da embraiagem terminando ambos numa ponteira única, do tipo megafone cortado em oblíquo do lado direito da moto. Esteticamente irrepreensível e de belíssimo efeito.

O braço oscilante em alumínio é uma peça também de referência na FXDR e cujo peso contido relativamente à utilização do aço contribui para a diminuição do peso total da moto sendo que é também um elemento fundamental no aumento de rigidez de toda a ciclística da FXDR. Para além de “encaixar” também a largura do pneu 240” o braço oscilante da FXDR contribui também para o aumento da agilidade do conjunto.

As suspensões invertidas de 43mm não são infelizmente ajustáveis e tem cerca de 150mm de curso. Em mau piso as suspensões dão-nos um mau trato ao nosso físico pelo que buracos e tampas são aconselháveis evitar caso não queiram ver a vossa conta das consultas do quiroprata aumentar. Atrás o amortecedor é ligeiramente melhor na gestão das imperfeições da estrada e perdoa melhor a nossa distração, e levantar o traseiro do assento quando vemos a inevitabilidade de um buraco não é tarefa fácil com os pés e as mãos bem lá na frente.

Apesar dos seus 300 Kg a Harley-Davidson soube retirar peso numa série de elementos e componentes da sua FXDR. Já comentámos o braço oscilante em alumínio ao contrário das restantes Softail que são mais pesados em aço, mas também os guarda-lamas que são em material compósito e o sub-quadro as jantes que são também em alumínio.

O assento monolugar e do tipo Dragster, com suporte reforçado na zona traseira, tem uma tampa na secção traseira que dá acesso a um pequeno habitáculo onde podemos colocar alguns items como estojo de ferramenta ou documentação. A altura do assento ao chão é de apenas 720mm pelo que facilmente chegamos com ambos pés ao solo.

O sistema de travagem conta com dois discos dianteiros de 300mm com pinças de 4 pistons. A travagem está acima de outros modelos da HD, com bom tacto da manete e sem esforço, com um doseamento leve, preciso e progressivo. Na traseira encontramos apenas um disco de 292mm com pinça de 2 pistons que dada a aderência acrescida do pneu de 240” acaba por ter um comportamento de maior eficiência. Os pneus Michelin Scorcher 11S que a FXDR monta demonstraram uma boa aderência em curva, mesmo ao limite dos 33º de inclinação que a FXDR permite, sem roçar com as peseiras.

Em matéria de electrónica a HD FXDR apenas conta com ABS e apesar de todo o binário que desenvolve não vem com controle de tração o que implica um cuidado acrescido no rodar do punho sobretudo se tiver o piso molhado. A informação está toda contida num pequeno LCD, minimalista, mas bem integrado na estética da moto, e inclui duas informações cruciais da moto; a mudança engatada e o nível de combustível. O depósito de combustível aliás tem a capacidade de 16,6 litros de gasolina e garante uma autonomia acima dos 300 Kms, segundo a marca.

Para concluir referir que a FXDR 114 é uma moto de estilo, diria mesmo de “grande estilo”, um objecto de desejo, que nos alimenta o ego e que transmite o lado rebelde da nossa personalidade. Uma moto que combina a tradição e visão de futuro da marca e que procura explorar novos caminhos com diferentes estratégias de mercado, dentro do processo de renovação que a marca decidiu encetar. Uma moto para rodar a sós ou em grupo onde a partilha não está contemplada já que é exclusivamente monolugar. A Harley-Davidson inclui ainda uma lista extensa de componentes para personalização da FXDR.

As opções cromáticas standard são várias :

. Vivid Black

. Black Denim

. Industrial Gray Denim

. Wicked Red Denim

. Bonneville Salt Denim

. Rawhide Denim

Os PVP’s refletem também as opções de uma só cor ou múltiplas:

. Versão Vivid Black                   25.700 euros

. Restantes versões Denim       25.950 euros

 

Ficha Técnica ( ver aqui também )

MOTOR

MOTOR2 Milwaukee-Eight® 114

CILINDRO 102 mm

CURSO 114 mm

CILINDRADA 1.868 cc

RÁCIO DE COMPRESSÃO 10,5:1

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL Injecção de combustível de porta sequencial electrónica (Electronic Sequential Port Fuel Injection – ESPFI)

SISTEMA DE ESCAPE 2-em-1, catalisador na cabeceira do escape

 

PERFORMANCE

MÉTODO DE TESTE DO BINÁRIO DO MOTOR EC 134/2014

BINÁRIO DO MOTOR3 160 Nm

BINÁRIO DO MOTOR (RPM) 3.500

ÂNGULO DE INCLINAÇÃO, DIREITA (GRAUS) 32,6

ÂNGULO DE INCLINAÇÃO, ESQUERDA (GRAUS) 32,8

MÉTODO DE TESTE DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL EU 134/2014

CONSUMO DE COMBUSTÍVEL: CIDADE/AUTOESTRADA ESTIMADO 5,4 l/100 km

MÉTODO DE TESTE DE EMISSÕES DE CO2 EU 134/2014

EMISSÕES DE CO2 126 g/km CO2

TRANSMISSÃO

TRANSMISSÃO PRIMÁRIA Corrente, rácio de 34/46

 

CHASSIS

JANTES, TIPO DIANTEIRO7 Preto acetinado/brilhante, disco sólido, alumínio fundido Ace com gráficos gravados a laser

JANTES, TIPO TRASEIRO Preto acetinado/brilhante, disco sólido, alumínio fundido Ace com gráficos gravados a laser

TRAVÕES, TIPO DE PINÇA Dianteira fixa de 4 pistões e traseira flutuante de 2 pistões

 

COMPONENTES ELÉTRICOS

LUZES (CONFORME LEGISLAÇÃO DO PAÍS), LUZES INDICADORAS6 Máximos, sinais de mudança de direção, ponto-morto, pressão baixa do óleo, diagnóstico do motor, ABS, segurança, tensão baixa da bateria, nível baixo de combustível

MEDIDORES Ecrã LCD com área visível de 2,14 pol. com velocímetro, indicador de velocidade engrenada, conta-quilómetros, indicador do nível de combustível, relógio, conta-quilómetros parcial, indicador de autonomia e conta-rotações

 

 DIMENSÕES

COMPRIMENTO 2.425 mm

ALTURA DO ASSENTO, SEM CARGA 720 mm

DISTÂNCIA AO SOLO 140 mm

INCLINAÇÃO (CABEÇA DE DIREÇÃO) (GRAUS) 34

TRAIL 120 mm

DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 1.735 mm

PNEUS, ESPECIFICAÇÃO DIANTEIRA 120/70ZR-19 60W

PNEUS, ESPECIFICAÇÃO TRASEIRA 240/40R-18 79V

CAPACIDADE DE COMBUSTÍVEL 16,7 l

CAPACIDADE DE ÓLEO (C/ FILTRO) 4,7 l

PESO, CONFORME ENVIADO 289 kg

PESO, EM ORDEM DE MARCHA 303 kg

 

Concorrência

Ducati Diavel      1262 cc / 159 CV / 244 Kg / 19.695 euros

Ducati XDiavel S   1262 cc / 159 CV / 247 Kg / 23.045 euros

Triumph Rocktet 3    2500cc / nd CV / 290 Kg (aprox) / 28.000 eur ( aprox )

 

Galeria de Imagens Harley Davidson FXDR 114

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!