Teste da Zontes M310 – A primeira scooter de uma nova gama

By on 29 Abril, 2022

Ensaio realizado por Jordi Mondelo – Solomoto

Já pudemos ensaiar a nova scooter Zontes M310. A marca tem muito claro de que pretende ser um dos actores protagonistas no mercado europeu e essa realidade passa por ter ter uma presença em cada um dos segmentos mais importantes. Até à data não tinha scooters em catálogo pelo que a M310 é a primeira a ser apresentada de uma nova gama que se prevê chegar muito em breve.

A apresentação desta nova scooter serviu também para que os seus representantes pudessem dar-nos a conhecer os planos futuros da marca e, pelo que ouvimos, parece que têm tudo muito bem definido.

A Zontes tem uma presença no mercado ibérico desde 2018 e desde então não parou de crescer. Os seus primeiros modelos foram duas motos de 310 cc, duas motos que rapidamente obtiveram bons resultados comerciais. A chegada de novos modelos de 125cc contribuíram para o aumento de vendas e maior visibilidade da marca no mercado.

No entanto a Zontes não pretende baixar os braços e os seus representantes anunciaram que nos próximos 2 ou 3 anos a sua intenção é de que a Zontes consiga alcançar o Top 5 no mercado e para tal definiram uma estratégia que passa por ter um modelo representante em cada um dos segmentos de mercado mais fortes.

De momento já foram reveladas várias novidades que se esperam para os próximos meses. A primeira, ainda este ano, será uma nova scooter do segmento GT com um motor de 350cc, sendo que no início de 2023 irá aparecer uma versão de 125cc da nova M310 aqui testada.

E para alcançar o ambicioso lugar no Top 5 do mercado a Zontes anuncia também a presença noutros importantes segmentos.  No segmento das motos revelou que no final de 2022 irá chegar uma tricilíndrica de 650cc com cerca de 88 CV de potência e para 2023 uma nova tricilíndrica de 800cc ou mesmo de 1000cc, pois ainda está por decidir.

“ Não pretendemos copiar ninguém… ”

Esta frase foi proferida por um alto responsável da marca e tem um sentido que vai para além do significado das próprias palavras.  Todos temos consciência de que muitos dos fabricantes chineses tratam de seguir os passos de algumas das marcas líderes de mercado, tanto é assim que alguns dos modelos são quase réplicas exactas de algumas motos que estão no top de vendas europeu.

E de facto a Zontes já demonstrou desde que chegou ao nosso mercado que os seus modelos são 100% originais, idealizados, desenhados, desenvolvidos e fabricados dentro das suas próprias instalações, sem olhar para nenhuma outra marca em concreto. Não recolhem referências do que os outros andam a fazer , seguindo o seu próprio caminho e mostrando a sua auto-suficiência em todo o processo de produção.  Logicamente que estão atentos às tendências de mercado e produzem aquilo que o consumidor pede.

E de facto um excelente exemplo desta realidade é precisamente a M310. Se repararmos na sua estética verificamos que não se parece com nenhum outro modelo actualmente existente no mercado. Podemos considerar que as suas linhas são, no mínimo, originais. Podemos gostar mais ou menos, que é o que normalmente acontece quando a estética rompe com o habitual, mas há que reconhecer que souberam arriscar e muito com a estética da sua primeira scooter. O frontal nada tem a ver com qualquer outra scooter do mercado mais parecendo uma mistura estética de elementos adoptados em motos naked de grande cilindrada e em desportivas.

Precisamente, um dos grandes acertos da Zontes está sem dúvida na estética do frontal da sua M310, com as duas entradas laterais de ar, que não são meramente estéticas, e servem para refrigerar um dos dois radiadores que dispõe o motor; mais adiante falaremos deste pormenor técnico.

Em volta destas duas entradas foram sendo desenhados os restantes elementos. Em cima dois pequenos faróis de formato rasgado que realçam o estilo agressivo da M310. No centro, entre as duas entradas de ar, uma nova entrada que apenas dá acesso… à buzina, adornada no seu perímetro por iluminação e formato de túlipa. Estes três elementos luminosos são os que são responsáveis por nos iluminar a estrada quando não haja luz. Porém a ótica principal situa-se mais acima junto à base do écran para-brisas.  Com a sua forma hexagonal, tem no seu interior duas óticas, uma com os médios e outra com os máximos. E claro que todo o sistema de iluminação é constituído por tecnologia LED.

Com bom gosto

Vista de lado a M310 já aparenta uma estética mais convencional, embora inclua pormenores que chamam a atenção e soluções estéticas originais.  Por exemplo os intermitentes encontram-se colocados nuns apêndices da parte alta dos laterais da moto e os poisa pés do pendura estão tão bem integrados nos laterais que há que perder algum tempo até perceber a sua localização. Depois de percebermos onde estão há que decifrar como se abrem… bastando empurrar os mesmos para dentro. Pormenores que caracterizam o a estética cuidada e original da Zontes M310.

Já na parte interior do frontal é muito discutível o seu formato e acabamentos embora disponha de dois úteis compartimentos, onde se podem colocar pequenos objectos, sendo que uma das quais, onde se encontram duas tomadas USB, pode ser bloqueada.  Também não nos convenceu a estética adoptada para a caixa do filtro de ar situada na lateral esquerda da scooter, com uma dimensão desproporcionada chegando quase ao eixo do braço oscilante. No entanto há que reconhecer que quanto mais olhamos para a M310 mais a apreciamos. A primeira reação de estranheza resulta precisamente pelo facto da estética da M310 sair do convencional.

Quanto ao resto há que reconhecer também que a estrutura do chassi passa de forma subtil pela plataforma, encontrando-se o tampão de acesso ao depósito de gasolina precisamente no centro e cuja localização trata de baixar o centro de gravidade do conjunto e melhorar as prestações dinâmicas da scooter. A sua largura porém penaliza ligeiramente o espaço nas plataformas disponível para colocar os pés .

Contrariamente às linhas agressivas e angulosas que encontramos na frente da M310, a estética adoptada para as laterais suavizam e simplificam as suas formas, dando-lhe uma imagem mais consensual e na nossa opinião acertada. Já o conjunto ótico traseiro exibe também um design muito próprio, original e chamativo, sem cair em exageros.

O farol principal traseiro é constituído por 8 tiras verticais que têm a função de luz de presença e ao travarmos acendem-se de forma mais intensa outras tantas, posicionadas de forma intercalada entre as primeiras. Já os intermitentes estão localizados nas laterais da moto de forma mais dissimulada, contribuindo para estética elegante da M310, quase dentro de um certo estilo automobilístico de vanguarda.

Equipamento de alto nível

Outro dos pontos fortes da M310, tal como na restante gama de modelos da Zontes, é o alto nível do equipamento que oferecem. Além da iluminação ser totalmente LED também há que salientar que todos os comandos são retro-iluminados em vermelho a partir do momento que acendemos os médios, um pormenor que poucas scooters actualmente no mercado incluem. Outro pormenor de destaque é o facto de podermos regular eletricamente a altura do écran dianteiro em duas posições, a partir de um botão no guiador.

Também para acedermos ao compartimento mais seguro, onde se localizam as tomadas USB, assim como ao tampão de gasolina, temos dois botões situados um no painel do interior da scooter e o outro no guiador que acionados permitem desbloquear o acesso aos mesmos. A M310 inclui também sistema de chave eletrónica, tipo Keyless, com o pormenor de a mesma ser uma pulseira do tipo Smartwatch de pequena dimensão, muito prática, permitindo por proximidade o acesso a todas as funcionalidades na M310.

O painel de informação é um TFT a cores carregado de informação permitindo selecionar entre 4 interfaces gráficos distintos para que adaptemos ao nosso gosto o formato de como toda a informação nos é apresentada, podendo ainda ser regulada a intensidade do seu brilho.

O que mais destacamos é o facto de que qualquer informação que necessitemos está disponível no painel. Por exemplo a pressão dos pneus, uma informação inédita em qualquer scooter do mercado. E ainda a temperatura dos mesmos ( do ar no seu interior )… essa nem nas motos topo de gama da maioria das marcas de maior prestígio. Função esta que nos permite saber se os pneus já atingiram a temperatura ideal para garantirem uma maior segurança a rodar. A M310 monta de origem pneus CST que demonstraram um bom desempenho geral.

E por fim dispõe também de computador de bordo, que nos permite saber o consumo médio e instantâneo, velocidade média e a autonomia, embora esta última não nos indique os Kms que podemos ainda percorrer quando estes baixam dos 100 Km.

Outros pormenores de destaque: manetes reguláveis, bateria de gel, espaço debaixo do assento para um capacete integral, forrado e com luz de cortesia quando acedemos ao mesmo, um sistema que fixa o assento uma vez aberto, suspensões reguláveis em pré-carga… sobre esta última funcionalidade há que referir que o ajuste do amortecedor direito se faz com facilidade, no entanto o esquerdo obriga a desmontar a caixa do ar, razão pela qual recomendamos que os ajuste de ambos se faça de uma vez só num ponto intermédio para evitar estar constantemente a repetir o processo.

O motor mais potente

Passemos agora à mecânica que monta a M310. O motor da nova scooter é fabricado pela própria Zontes e dispõe de uma arquitectura super completa com uma alta taxa de compressão: um monocilíndrico a 4 tempos, com dupla árvore de cames ( DOHC ), refrigeração líquida e 4 válvulas. Dispõe ainda de um eixo de equilíbrio, embora algumas vibrações sejam notórias no guiador e nas plataformas. Em termos de valores de potência há que destacar que o motor da M310 debita praticamente 33 CV sendo o motor mais potente do mercado na sua categoria. Para além da potência máxima a distribuição da mesma está presente em praticamente todos os regimes de rotação do mesmo, proporcionando acelerações surpreendentes. Alcança os 80 Km/h desde parada em poucos segundos e mantendo o punho a fundo em estrada aberta e a direito chegou aos 156 Km/h .

Se a estética e o equipamento surpreenderam-nos pela positiva, o desempenho deste motor não fica atrás. Agradece-se o facto de que ao circularmos a velocidades normais de 80 a 100 Km/h ainda resta muita potência disponível com o simples rodar de punho, realidade que nos permite superar qualquer situação que possa surgir ou realizar ultrapassagens de forma rápida e mais segura. Em termos de potência poderíamos compará-lo com o de uma Honda SH300, no entanto a resposta do motor da M310 está mais perto daquela que uma scooter elétrica de alta potência proporciona em termos de aceleração.

Por certo, a Zontes decidiu entretanto mudar de fornecedor dos sistemas de alimentação, passando a montar, face às exigências do Euro 5, módulos da Bosch em vez dos anteriores sistemas de injecção da Delphi, realidade que também veio permitir a inclusão de toda a electrónica agora disponível na M310.

Dispõe ainda de um botão ECO no lado direito do guiador que altera a entrega de potência aplicando uma curva mais suave, ideal para quando rodamos em asfalto molhado ou com pouca aderência.  Uma vez o modo ECO selecionado o motor não supera as 7.000 rpm se bem que no conta Kms podemos atingir os 140 Km/h.  Por exemplo conseguimos rodar a 100 Km/h à 5.500 rpm e ainda ter margem para acelerar.

A marca anuncia um consumo de de 3,2 litros aos 100 Km. Durante o teste que realizámos e graças à informação disponível no computador de bordo, pudemos comprovar que, no percurso misto que realizámos de estrada e cidade, atingiu uns aceitáveis 3,8 l de média. Porém, se formos mais cuidadosos com o acelerador conseguimos baixar os consumos sem problemas até aos 2,5 L de consumo instantâneo a uma velocidade constante de 100 Km/h.

A agilidade é o seu ponto forte

A rodar notamos que não estamos propriamente numa scooter GT. Aliás a marca define o seu posicionamento como uma scooter GT compacta, já que pelo seu tamanho e peso não chega às cifras que habitualmente vemos nas GTs mais populares do mercado como a Yamaha X-MAX, a Honda Forza 350, ou a Kymco Super Dink 350, para dar alguns exemplos.

Assim e com uma distância de eixos de apenas 1.380 mm e um peso em ordem de marcha de apenas 168 Kg, a Zontes M310 consegue uma agilidade surpreendente tendo em conta a imagem que projecta. Para conseguir uma scooter tão compacta a Zontes optou por colocar dois radiadores de refrigeração em separado, o primeiro colocado na parte traseira do frontal e o segundo na frente do próprio motor. Porém o facto de ser uma scooter tão curta tem também influência na sua ergonomia. Por exemplo, apesar de ter duas plataformas na frente da moto estas não são utilizáveis por se encontrarem demasiado perto do assento.

Em utilização em ambiente urbano não conseguimos encontrar-lhe nenhum defeito. Com uma excelente brécage e um tamanho compacto aliada a agilidade e à pouca altura do assento, o rodar em cidade por entre os carros é pura diversão, sempre com uma enorme sensação de controle.

No entanto, aquilo que é uma virtude em cidade em termos de leveza e agilidade, faz com que em estrada tenhamos uma sensação de alguma imprecisão da dianteira. Não chega obviamente a “flutuar” no entanto o pouco peso que sentimos sobre a roda dianteira cria alguma insegurança a entrar em curva. É uma particularidade que acabas por te habituar e rapidamente começas a tirar partido da mesma sobretudo em trajectos sinuosos onde tenhas que encadear curvas rápidas sem ter que lutar contra a resistência nas mudanças de direção.

Porém, a sensação de que a dianteira não tem a estabilidade necessária é constante, embora em nenhuma situação ao longo do teste realizado tenhamos tido qualquer sensação de insegurança ou estranheza e acabámos precisamente a jornada a elogiar também a sua agilidade em estrada.

Mais tarde, já em auto-estrada, também não notamos movimentos laterais estranhos da M310 . Apesar das prestações excepcionais do seu motor não nos parece ser uma scooter  ideal para realizar trajectos longos. O principal culpado desta realidade é o assento que não oferece o conforto necessário para garantir a realização de viagens mais longas pois ao fim de algum tempo começas a sentir-te incómodo e a ter que colocar mais peso nos pés. Também o écran para-brisas mesmo na posição mais alta não tem suficiente proteção aerodinâmica, deixando os nossos ombros algo expostos. Na nossa opinião a M310 é uma scooter excelente para trajectos urbanos ou de médio curso  para quem viva fora da cidade e tenha que realizar um trajecto mais longo entre casa e escritório., não sendo por isso uma autêntica scooter GT.

Notas finais

Tentando realizar uma análise global da primeira scooter da Zontes, diríamos que a mesma obtém nota alta.  Não sabemos se tanto equipamento não acabará por penalizar a scooter em termos da sua fiabilidade e bom funcionamento, pois quantos mais gadgets lhe colocas maior é a possibilidade de algum falhar, no entanto com o preço base que tem o modelo de 4.868.- euros, é uma relação preço/ equipamento/ desempenho difícil de bater no seu segmento.

Se dividirmos a nossa análise em 5 apartados: estética, equipamento, ciclística, mecânica e ergonomia, apenas este último teria uma nota menos favorável, tendo em conta a largura do seu chassi que penaliza os espaço para os pés na plataforma e também a pouca proteção aerodinâmica ( para uma GT, que não o é ) e finalmente por algumas vibrações em determinados regimes de rotação que se tornam incómodas.

No resto a M310 arrasa… com uma ciclística notável, uma enorme agilidade e um pack de equipamento completíssimo, coloca-se num patamar acima da concorrência no seu segmento. O desempenho das suspensões é mais do que correcto e o sistema de travagem garante uma potência mais do que suficiente para o peso desta scooter.  Além do mais dispõe de um dos melhores sistemas de ABS para scooter existentes no mercado: o Bosch 9.1M, sistema que assiste a travagem em circunstâncias adversas da estrada sem se mostrar demasiado intrusivo quando o asfalto está em boas condições.

Ficamos por isso na expectativa de conhecer os próximos modelos da gama que a marca já anunciou, tanto a versão 125 da M301 como a nova GT com motor de 350cc. Se considerarmos os modelos da Zontes que testámos até ao momento e o resultado do teste agora realizado com a M310 não será difícil aceitar que a estratégia definida pela marca de nos próximos 2 ou 3 anos conseguir alcançar o Top 5 de vendas globais no mercado, possa ser exequível.

O que gostámos mais e o que menos

MOTO +

  • Potência do motor
  • Elasticidade na entrega
  • Equipamento
  • Agilidade

MOTO –

  • Estabilidade a alta velocidade
  • Proteção aerodinâmica
  • Vibrações

Zontes M310 – Ficha técnica

  • Motor: Monocilíndrico 4T LC DOHC 4V
  • Diâmetro x Curso: 72,0 x 76,0 mm
  • Cilindrada: 309 c.c.
  • Potência máxima: 33 CV (24,2 kW) às 7.500 rpm
  • Par motor máximo: 32 Nm (3,26 kgm) às 5.500 rpm
  • Taxa de compressão: 11,8:1
  • Alimentação: Injecção electrónica Bosch
  • Arranque: Motor eléctrico
  • Ignição: Electrónica CDI
  • Caixa: Variador automático CVT
  • Embraiagem: Automática centrífuga a seco
  • Transmissão secundária: Por correia trapezoidal
  • Tipo chassi: Estrutura simples de berço desdobrado,  em aço
  • Geometría de direção: N.d.
  • Braço oscilante: Grupo motopropulsor oscilante
  • Suspensão dianteira: Forquilha telehidráulica com 109 mm de curso
  • Suspensão traseira: 2 amortecedores ajustáveis em pré-carga , 86 mm curso
  • Travão dianteiro: Disco 265 mm e pinças de 2 pistons, ABS Bosch 9.1M
  • Travão traseiro: Disco 265 mm, pinça de 1 pistón, ABS Bosch 9.1M
  • Rodas: 110/80 x 14” y 140/70 x 14”
  • Comprimento total: 2.010 mm
  • Altura máxima: 1.350 mm
  • Largura máxima: 770 mm
  • Distância entre eixos: 1.390 mm
  • Altura assento: 760 mm
  • Peso em ordem de marcha: 168 kg
  • Depósito de gasolina: 12 litros
  • Consumo médio: 3,8 l/100 km
  • Autonomía teórica: 315 km
  • Preço: 4.868.- euros
  • Garantía oficial: 2 anos
  • Importador: Terra Bastos lda.
  • Teléfono: 256 600 540
  • Website: www.zontesmotos.pt

Espaço para transporte de bagagem:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments