Teste Ducati Scrambler Urban Motard – Espírito Rebelde

By on 5 Dezembro, 2022

Teste realizado por Alfonso Sánchez – Solomoto

Aqueles que gostam de filmes clássicos recordarão certamente o personagem do pirata protagonizado por Burt Lancaster num filme retrata as aventuras de um pirata no Mar das Caraíbas. Aquele pirata era todo um acrobata capaz de enfrentar qualquer dificuldade. Exactamente igual a esta Ducati Scrambler Urban Motard.

Entretanto passaram muitos anos desde que o realizador Robert Siodmak dirigiu aquele filme em 1952, no entanto o espírito rebelde e irónico daquele personagem parece ter encarnado nesta última criação da marca de Bolonha. A Urban Motard faz gala desse carácter desafiante que tanta simpatia desperta ao ser capaz de ultrapassar todos os limites, não olhando métodos para atingir os seu objectivo final.

… e essa é a essência desta Ducati Scrambler

Aliás a própria marca não tem qualquer problema em classificar este modelo da sua gama Scrambler como uma “City Rebel”,  com uma marcada atitude desportiva e uma imagem enérgica e diferente, num estilo descontraído, próprio de uma estética mais urbana.

No entanto estamos a falar de uma Ducati que, pese embora na sua variante Scrambler, não deixa de ser uma Ducati.  E neste caso trata-se um modelo que segue a tradição mais clássica da família italiana, aquela que se mantém fiel aos antigos motores desmodrómicos refrigerados por ar, com uma mecânica que imprime um carácter singular e que marca o seu desempenho de maneira intrínseca.

A Ducati Scrambler Urban Motard vive essa natureza a cem por cento e passa a ser mais uma da tão prolífera família. Icónico como poucos, o clan Scrambler da Ducati conta com uma árvore geneológica com braços tão variados como atractivos. Nesse sentido esta versão inspirada no Hip Hop e no Trap, junta-se à referência original,  a ICON, com a mesma mistura de tradição e modernidade e também às versões mais obscuras e notívagas, a Nightshift e a Icon Dark, tendo a primeira um estilo mais Café Racer e a segunda uma versão escurecida da Icon.

Mais, para aqueles que se sentem atraídos por caminhos mais poeirentos a Scrambler Ducati propõe ainda a versão Desert Sled, que garante a possibilidade de nos aventurarmos for a do asfalto sempre que quisermos. Todas elas disponíveis na versão full power ou limitadas para carta A2.

Como em todas as famílias existe sempre uma “ovelha negra”, aquele que todos admiramos a sua rebeldia mas que é criticado por não seguir os esquemas e os limites estabelecidos, procurando o seu próprio caminho. Nesse contexto encaixa-se perfeitamente a Ducati Scrambler Urban Motard.

À sua maneira…

Esta “menina” que traja uma simples e reduzida indumentária num estilo urbano e underground. Dando resposta a um padrão que une desportividade e diversão, a Urban Motard desenvolve-se em volta de um eixo central marcado pelo seu depósito de combustível. Esta peça fabricada em aço dispõe de painéis laterais em alumínio  substituíveis, decorados com os nomes e apelidos de família num estilo inconfundível de grafiti urbano.

A base cromática combina apenas duas cores, o branco e o vermelho e a estética reduz ao mínimo outros elementos supérfluos, como já é habitual na gama Scrambler.  O guarda–lamas elevado destaca o farol redondo no seu formato característico que incorpora iluminação LED diurna e proteção em X que divide a sua visão em quatro elementos. O painel de instrumentos está reduzido à habitual esfera digital. Com uma leitura simples, completa e clara.

O guiador é uma peça de diâmetro variável que oferece uma ergonomia perfeita em sintonia com os poisa-pés em alumínio sem borrachas, colocados a uma altura normal e um assento plano de costuras vermelhas que se situa a cerca de 805mm do solo. Como resultado podemos mover-nos com grande facilidade sobre a moto e o guiador largo permite manter um controlo absoluto na condução.

Em curva os poisa-pés não chegam a roçar no asfalto apesar de permitir alcançar consideráveis ângulos de inclinação, permitindo-nos transitar entre uma postura cómoda erguida para circular em cidade e uma posição mais deitada sobre o depósito, com os braços mais abertos, para atacar sem piedade as curvas em estradas de montanha. Polivalência total !!!

Simples mas cheia de pequenos detalhes

Apesar do seu aspecto espartano, a Ducati Scrambler Urban Motard não renuncia à possibilidade de conectar-se com o mundo e está preparada para receber o Sistema Ducati Multimedia, que permite conectar um smartphone via bluetooth. Outro pormenor é a localização debaixo do assento de uma tomada USB para carregamento de dispositivos electrónicos.

A Urban Motard conta com o mesmo motor bicilíndrico em L, a 90º com 803cc, o mesmo que utilizam os restantes modelos da gama Scrambler, a última evolução do do veterano motor Desmo em L de refrigeração a ar, que entrega uma potência de 73 CV às 8.250 rpm e um binário máximo de 66,2 Nm à 5.750 rpm.

No geral encontramo-nos perante uma mecânica progressiva, com uma boa elasticidade, que brilha especialmente nos médios regimes e empurra bastante bem a partir de baixo, de forma linear e progressiva, embora sem grande brilho nas zonas mais altas do conta rotações.

Os 73 CV de potência podem saber a pouco a alguns , mas na hora da verdade são muito versáteis e estão sempre presentes quando mais os necessitamos. Em estrada é uma potência que não assusta, com uma entrega sólida mas suave, progressiva e controlável.  A filosofia da gama Scrambler não assenta em prestações puras e a Urban Motard não é excepção. O objectivo final é proporcionar diversão, realidade que é possível alcançar sem ter que correr riscos desnecessários. Além do mais das virtudes deste bicilíndrico é o fluir da sua potência sem excesso de vibrações, de forma firme e constante e em simultâneo descontraída.

Em termos de ciclística a Urban Motard também partilha de uma boa parte das soluções adoptadas pelas suas irmãs Scrambler, embora se diferencie claramente na opção adotada no que toca ao que une a moto ao asfalto, montando rodas na dimensão de 17”, na dianteira e traseira, aquela que é amplamente utilizada em motos de estrada.

As bonitas jantes de raios de 17” montam borrachas que indicam de imediato o tipo de utilização a que este modelo se destina… Os Pirelli Diablo Rosso III são símbolo inequívoco das suas intenções.

Soluções Clássicas

O seu quadro tubular, tão simples como efectivo abraça o bicilíndrico de Bolonha e exibe ainda suspensões assinadas pela Kayaba. Na dianteira com suspensões invertidas de 41mm, sem possibilidade de regulação, embora com uma afinação de série muito bem ajustada para todo o tipo de situações. Já no trem traseiro conta com um braço oscilante em alumínio de dois braços, tipo banana, e um amortecedor também KYB, ajustável em pré-carga, montado directamente.

Acaba por ser curioso que, apesar do seu aspecto compacto e os seu assento baixo de apenas 805mm, a Urban Motard parece uma moto comprida, baixa e longa. No entanto a sua distância entre eixos é de apenas 1.436mm, ou seja, longe dos 1.469mm de uma Panigale e mesmo a grande distância de, por exemplo, de algumas das suas concorrentes directas como a KTM SMC 690 com os seus 1.480mm.

Essa realidade traduz-se numa grande agilidade e uma fantástica facilidade no encadeamento de curvas, convertendo esta Scrambler numa autêntica devoradora de estradas de montanha.

Em matéria de travagem, o peso contido de 196 Kg e a potência de 73 CV da Urban Motard permite a adopção de apenas um disco dianteiro de 330mm, mordido por uma pinça radial da Brembo com 4 pistons. Na roda traseira o disco é de 245mm e conta com pinça de piston único. O conjunto conta com travagem assistida por Cornering ABS da Bosch que intervém de forma discreta mas evita que apanhemos alguns sustos.

A Urban Motard faz jus à sua marca e o seu desempenho em ambiente urbano é bastante bom. A sua baixa altura e agilidade jogam a seu favor, acompanhadas por um motor com uma entrega suave que ajuda a circular em cidade de forma fluida. Nesse sentido e apesar da sua desenvoltura neste ambiente, a Scrambler peca pelo imenso calor que emana na lateral direita onde se situa o coletor de escape que alcança temperaturas muito altas e desconfortáveis se chegamos a encostar a perna. Para além do desconforto do calor que emana, sobretudo em cidade com tempo quente, também o guiador largo e os retrovisores que monta dificulta o circular entre os automóveis no transito obrigando a algum contorcionismo extra para evitar tocar nos mesmos.

A rodar punho

Tal como todas as Ducatis e apesar do espírito de guerreira urbana no qual a Urban Motard se afirma, é em estradas abertas e reviradas que a mesma se revela.  Em estradas secundárias estreitas e com muitas curvas a sua veia de “motard” revela-se em todo o seu potencial.

Rápida e com excelente aceleração à saída das curvas, as suas rodas de 17” calçadas com os super aderentes Pirelli Diablo Rosso, catapultam a Urban Motard para outro nível. A Scrambler mostra-se agarrada ao asfalto, mantém uma enorme firmeza nas suas trajectórias, sem se mover um milímetro e quando à entrada das curvas permite apurar a travagem até bem dentro das mesmas e sair em aceleração com uma sensação de controle total.

As suspensões copiam o terreno na perfeição e imediatamente sentes que esse é o seu palco natural. Tudo acontece de forma natural e intuitiva e não é sequer necessário puxar pela mecânica para rodarmos rápido, pois permite um aproveitamento ótimo dos médios regimes e deixas que a ciclística faça o resto, tornando o encadear de curvas numa enorme diversão.

Também o assento plano permite-te ir ajustando a tua postura e colocar o peso onde necessário no momento que decidires passar para uma pilotagem mais agressiva e desportiva. Uma máquina muito divertida que gera adição.

No caso de termos que rodar por estradas mais abertas ou auto-estrada, aconselhamos a fazê-lo numa velocidade mais baixa e que se reduza ao máximo esse trajecto pois sem proteção de nenhum tipo rapidamente te sentirás desconfortável, obrigando a um excesso de força nos braços pela nossa postura erguida de braços abertos motivada pela largura do seu guiador.

Definitivamente esta nova Ducati Scrambler Urban Motard resulta ser uma excelente companheira para o dia a dia e para aqueles fins de semana que decides ir divertir-te com os amigos para aquela estrada de montanha ali ao lado onde certamente algumas desportivas terão dificuldade em acompanhar-te. A Urban Motard acaba por proporcionar uma forma diferente e excitante de levar a vida em duas rodas e ser uma porta de entrada de excelência para a grande família Ducati… caso tenhas espírito rebelde.

O que mais gostámos e o que pode melhorar

SoloMoto +

  • Motor veterano desmodrómico
  • Potência e entrega progressiva
  • Ciclística e suspensões
  • Agilidade e estabilidade
  • Cornering ABS

SoloMoto –

  • Calor que emana do escape
  • Ajuste dos retrovisores
  • Circulação em cidade ( guiador largo )
Ficha Técnica Ducati Scrambler Urban Motard
Motor tipo Bicilíndrico desmodrómico 4T, SOHC, refrigração por ar, 4V
Diámetro x curso92 x 81,5 mm
Cilindrada 803 c.c.
Potência máxima73 CV a 8.250 rpm
Par motor máximo66,2 Nm a 5.750 rpm
Alimentação Injecção electrónica
Emissões de CO2120 g/km
Caixa 6 velocidades
Embraiagem Hidráulica, multidisco em óleo
Transmissão secundáriaCorrente de O’rings
Tipo chassiTubular de tipo Trellissa em aço
Geometría de direcção24º, 94 mm avanço
Braço oscilante Duplo braço de fundição de aluminio
Suspenssão dianteira Forquilha invertida Kayaba de 41 mm com 150 mm de curso
Suspensão traseiraMonoamortecedor Kayaba, 150 mm de curso, ajuste de pré-carga
Travão dianteiroDisco de 330 mm com pinça radial de 4 pistons e ABS Cornering
Travão traseiroDisco de 245 mm com pinça de um piston e ABS Cornering
Rodas 120/70-17 e 180/55-17 / Pirelli Diablo Rosso III
Distância entre eixos1.436 mm
Altura assento805 mm
Peso em ordem marcha196 kg
Depósito 13,5 l
Consumo médio: 5,2 l/100 km
Autonomia teórica: 260 km
Garantía oficial 3 anos
Importador:Ducati Ibérica, Desmotron S.L.U.
Contacto: +34 90 2271149
Web: scramblerducati.com/pt/
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments