Teste Kawasaki Versys 650 2022 – A discreta atração

By on 13 Abril, 2022

Ensaio realizado por Alex Medina – Solomoto

A Kawasaki continua fiel à sua linha condutora com a nova versão 2022 da Versys 650 que, de forma discreta, silenciosamente e sem entrar em confronto directo com as Trail mais radicais, continua a propor uma moto que, como poucas, combina a sua vocação turística com um bom comportamento desportivo.

Kawasaki Versys 650 2022

A primeira versão da Versys data já de 2007, uma versão desenvolvida com base na ER-6N, com o objectivo de constituir uma família que tem vindo a dar uma enorme satisfação aos seus utilizadores.

Recordo-me do desempenho geral bastante agradável dessa primeira versão apesar de exibir uma frente algo discutível.  A Versys 650 nunca se afirmou como uma verdadeira Trail mas sim como uma Crossover de média cilindrada, num sector com pouca concorrência já que os SUV de duas rodas são normalmente de cilindradas superiores.

Kawasaki Versys 2007/2008

Já em 2010 a moto da firma de Akashi sofreu uma importante renovação e adoptou uma nova estética, com mais estilo mas novamente discutível, da sua carenagem dianteira.

Finalmente em 2015 chegou ao mercado uma nova versão que para além de exibir um excelente comportamento dinâmico, continuando a sua estética a não ser consensual, incorporou uma frente mais agressiva, muito em linha com os restantes modelos da marca.

Kawasaki Versys 650 2015

Na minha opinião e do ponto de vista estético a partir de 2015 a Versys deu um importante salto em frente, para além de melhorar o tacto do seu motor, dos seus travões e de outras importantes funcionalidades, acabando por se afirmar como uma versão mais madura daquela primeira Versys que tivemos a oportunidade de descobrir na apresentação realizada na Grécia num comparativo internacional aí realizado. Uma Versys que, apesar de ter tido uma evolução algo lenta e silenciosa, conseguiu vender no ano passado cerca de 1000 unidades no mercado francês.

Novos ares

Em 2022 chega agora uma Versys 650 renovada que, apesar de manter a estética da versão de 2015, monta agora iluminação full LED e apresenta-se mais completa em todos os sentidos, incorporando um écran regulável em altura e controle de tração, mantendo o seu posicionamento de uma GT com um ligeiro toque estético de Trail.

Na verdade no contacto que tivemos com a nova Versys a mesma revelou ser extremamente confortável em estradas rápidas e muito divertida em tramos revirados de estradas de montanha, ambiente onde se encontra especialmente à vontade, destacando-se pela sua agilidade e um bom tacto do seu motor ajudado por uma electrónica discreta e pouco interventiva.

Definitivamente, para além de ser uma excelente moto para o dia a dia apesar do seu assento um pouco alto , os seus 67 cv de potência para um peso de 219 Kg e uma ergonomia que proporciona uma posição cómoda com as mãos colocadas de forma natural e alta no guiador, a nova Versys continua a estar preparada para triunfar no seu segmento.

A marca definiu um perfil de utilizador para a sua Versys 650, com idade entre os 37 e os 40 anos, com muita experiência ou mesmo pouca, que vem de motos de maior cilindrada e potência e que procura uma solução mais tranquila e que lhe transmita a sensação de um maior controle.

No entanto houve também a preocupação por parte da marca de actualizar o modelo face à concorrência e dotá-lo de novas funcionalidades que se entendem fundamentais ao dia de hoje como a conectividade via Bluetooth através da utilização da App Rideology da Kawasaki.

Novidades

Não há dúvida que a nova Versys 650 tem uma certa parecença com  a sua irmã maior, a Versys 1000, realidade que é acentuada pelo facto de montar os mesmos apêndices aerodinâmicos que se encontram por debaixo dos faróis, fazendo com que a nova frente da Versys 650 se modernize e carregue consigo o mesmo estilo de família.

Entre as várias novidades destacamos o novo écran dianteiro regulável em 4 posições com 80mm de diferença. Também o painel de informação passou agora a ser um TFT a cores de 10,9 cm com a possibilidade que já referimos de se conectar com um Smartphone via Bluetooth.

Na sua versão Touring a nova Versys 650 incorpora malas laterais de série de simples fixação.

A rodar

Com uma posição de condução marcadamente de uma GT caracterizada por um guiador largo e ligeiramente elevado, destacamos a posição correcta dos poisa-pés e uma posição erguida e confortável com perfeita leitura do painel de informação e a consulta de informação facilitada pelos botões de controle situados junto ao punho esquerdo.

O Controle de Tração tem dois níveis no entanto a sua electrónica é algo simples e básica pois não inclui outros mapas ou modos de condução. O ABS porém permite ser desligado.

Relativamente ao écran dianteiro o mesmo não é possível de regular em andamento já que terás que utilizar as duas mãos para o fazer, sendo por isso recomendável ou mesmo imprescindível que o realizemos com a moto parada. A proteção aerodinâmica que proporciona é correcta que conjugada com a nova frente e os seus defletores oferece uma proteção extra e efectiva inclusivamente ao nível das próprias pernas.

As suspensões de curso generoso ajustadas na posição de série proporcionam suavidade e comodidade na condução garantindo um enorme conforto da Versys e poupando a nossa coluna vertebral nas zonas mais críticas do asfalto na estrada. As suspensões dianteiras são do tipo invertidas e podem ser ajustadas em pré-carga e extensão. O amortecedor traseiro pode igualmente ser ajustado em pré-carga de mola através da simples rotação de um manípulo colocado em posição acessível.

Motor progressivo

O motor da Versys 650 é já um velho conhecido que tem vindo a evoluir ao longo dos tempos, conservando o seu carácter e que pela sua montagem procura minimizar vibrações. O bicilíndrico paralelo monta cambota a 180º realidade que lhe confere um tacto muito peculiar. É progressivo e responde desde os baixos regimes, mostrando alguma vibração às 4.000 rpm e subindo de rotação rapidamente a partir de aí até às 8.000 rpm.

Numa condução mais agressiva o regime ideal é mesmo entre as 6.000 e as 8.000 rpm, no entanto podemos também rodar de forma muito tranquila abaixo das 4.000 rpm tirando partido do seu binário a baixa rotação e da resposta imediata do motor.

Uma Kawasaki Versys 650 de 2022 mais segura

A incorporação do Controle de Tração é sempre bem vinda em matéria de segurança e no caso da Versys a mesma funciona de forma pouco intrusiva. Com o ABS na travagem sucede precisamente o mesmo, está lá mas não se nota. Inclusivamente no travão traseiro permite-te travar a fundo sem que o mesmo actue de imediato, garantindo um maior controle para aqueles que gostam de utilizar o travão traseiro no ajuste de entradas em curva ou de travagem mais controlada e efectiva em simultâneo com o travão dianteiro. Na dianteira as pinças de travão são Nissin mas não radiais, o tacto é um pouco duro mas garante uma travagem efectiva.

 A Versys 650 monta pneus Bridgestone Battlax T32 em jantes de 17” o que resulta ser uma excelente combinação. Um pneu polivalente  com um bom comportamento em estradas de todo o tipo, para uma moto que, apesar de não ser a mais leve do seu segmento, transmite confiança pelo bom equilíbrio de massas e desempenho da sua ciclística.

Diferentes Versões

A Versys 650 está disponível em diferentes versões sendo a mais básica de cor negra a que é mais acessível ( 9.150 eur ).  As versões nas cores verde e cinza têm um PVP base de 9.350 eur. A versão Urban monta uma TopCase de 40 litros.

Kawasaki Versys 650 versão Urban 2022

Finalmente as versões Tourer ( base 9.995 eur ), que inclui proteção de mãos e malas laterais, sendo a versão Grand Tourer o topo de gama ( base 11.650 eur ), montando todos os acessórios das anteriores mais um apoio lombar na TopCase e suporte para GPS assim como uma tomada de 12 V.

Kawasaki Versys 650 versão Tourer 2022

A Kawasaki Versys 650 completa a oferta da marca num segmento que domina graças a um conceito original e polivalente. Sendo uma autêntica GT de 650cc, a Versys proporciona conforto em viagens longas e divertimento em condução mais agressiva, sendo mais generosa do que a concorrência em matéria de conforto de quem nos acompanhe. 

Kawasaki Versys 650 versão Grand Tourer 2022

O que mais gostámos e o que menos

MOTO +

  • Conforto e polivalência
  • Motor com personalidade
  • Bom desempenho da ciclística
  • Condução divertida entre curvas
  • Conforto para longas distâncias
  • Boa relação preço/qualidade

MOTO –

  • Caixa um pouco dura
  • Peso algo excessivo

Ficha técnica Kawasaki Versys 650 2022

  • Motor tipo: 2 cil em linha 4T LC SOHC 8 V
  • Diámetro x curso: 83 x 60 mm.
  • Cilindrada: 649 c.c.
  • Potência máxima: 67 CV a 8.500 rpm
  • Binário máximo: 6,2 kg a 7.000 rpm
  • Alimentação: 2 injectores de 38 mm.
  • Emissões de CO2: 107 g/km
  • Caixa: 6 velocidades
  • Embraiagem: multidisco en aceite accionado por cable
  • Transmissão secundária:  Corrente de O’rings
  • Tipo chassis: Tubular em aço
  • Geometría de direção: 25º/108 mm.
  • Braço oscilante: Duplo braço em aço.
  • Suspensão dianteira: Invertida barras 41 mm, regulável com 150 mm. de curso
  • Suspensão traseira:  Monoamortecedor lateral curso de 145 mm. Ajustável em pré-carga
  • Travão dianteiro:  Duplo disco de 300 mm pinça de 2 pistons c/ ABS
  • Travão traseiro: 1 disco de 250 mm. Pinçaa de 1 piston c/ ABS
  • Pneus: 120/70 x 17” (dianteiro)/ 160/60 x 17” (traseiro)
  • Comprimento total: 2.165 mm.
  • Altura máxima: 1.420 mm.
  • Largura máxima: 845 mm.
  • Distância entre eixos: 1.415 mm.
  • Altura assento: 790 mm.
  • Depósito: 21 l.
  • Consumo médio: 5,6 l
  • Autonomía teórica: 375 km
  • Garantía oficial: 3 anos
  • Importador: www.multimoto.pt/pt
  • Web: https://www.kawasaki.pt/pt/products
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments