Ensaio-Triumph Street Cup 2017 – Uma verdadeira Café Racer

By on 6 Março, 2017

StreetCup-CaféRacer

As motos clássicas estão definitivamente na moda e os conceitos revivalistas das Café Racers e das Scramblers marcam a tendência Hipster urbana e um novo estilo de vida que tem evoluído significativamente nos últimos anos e ao qual as marcas estão atentas, desenvolvendo novos modelos e produtos em torno do mesmo.

Cup-3

Não é por isso de estranhar que uma marca como a Triumph, que sempre manteve uma linha de motas clássicas na sua gama de produtos, venha reforçar essa mesma oferta com outros modelos dentro do mesmo conceito e espírito.

É o caso da Triumph Street CUP, ao mais puro estilo Café Racer que vem agora completar a oferta da nova gama Street Twin, onde recentemente também já assistimos à apresentação da sua ainda mais recente Street Scrambler.

Cup-2

A Bonneville T120 monta agora o novíssimo motor de 1200cc e a Triumph decidiu criar uma nova linha de motos neo-clássicas com o motor de 900cc e com a designação “Street”. São motos mais leves, mais pequenas e menos caras, que se destinam a um target mais jovem e a que procura uma moto clássica pela primeira vez, trendy, fácil de pilotar e a um preço acessível.

Cup-6

A Street Cup é o modelo mais desportivo da gama “Street”, mais simples e menos sofisticada que a Thruxton, e dentro do estilo que marcou os famosos anos 60 em Londres quando os Racers se juntavam com as suas Triumph, BSA e Nortons no Ace Café.

Cup-4

Em termos de ciclística a Street Cup partilha muitos dos componentes da gama Street, tais como as jantes, o depósito e o motor, e marca o seu estilo Café Racer com a sua baquet mono-lugar convertível em bi-lugar, um pequeno écran defletor de vento, espelhos retrovisores montados no topo dos avanços, dois manómetros ao mais puro estilo retro, peseiras recuadas ao estilo da Thruxton e uma série de outros elementos que reforçam a imagem desportiva retro da Street Cup.

Cup-7

Em relação à Street Twin o quadro da Street Cup sofreu algumas alterações no sentido de assegurar maior rigidez numa condução mais desportiva. A posição é ligeiramente puxada à frente e mais alta e os avanços ao mais puro estilo dos anos 60 que, apesar de numa posição desportiva, não deixam de ser confortáveis.

Cup-10

O travão da frente é um Nissin de 2 pistons, uma versão melhorada do que montam as Street Twin e Street Scrambler, mas ainda assim poderia ser revisto pois falta-lhe um pouco mais de efectividade.

O motor de 900cc com 52,6 cv é o mesmo que monta a gama Street e o seu fantástico torque a baixa rotação acompanhado pelo magnífico som das ponteiras de escape, mais curtas e volumosas, dá-nos a impressão de estarmos numa moto mais potente.

Cup-8

Do ponto de vista da electrónica a Triumph Street Cup beneficia de acelerador Ride by Wire, com regulação de control de tração. Monta ABS de origem e suspensões Kayaba à frente não ajustáveis. Os amortecedores de trás são reguláveis apenas em pré-carga .

Tivemos a má sorte de termos 3 dias de temporal e chuvas pelo que os testes foram realizados entre abertas, mesmo assim apanhámos alguns “chuveiros” e a estrada bastante molhada. No último dia conseguimos fazer a sessão fotográfica e rodar livremente em vários tipos de piso e estradas para conhecermos melhor todo o potencial da Street Cup.

Cup-12

Apesar do guiador tipo avanços, a Cup mostrou-se bastante confortável, não sentindo peso excessivo nos pulsos, nem cansaço nos braços graças também à correcta posição das peseiras , sem serem demasiado atrás ou acima.

Cup-14

A aceleração da Street Cup pareceu-nos adequada e de acordo com as características do modelo, fazendo-nos voar literalmente no tempo e dando-nos a sensação de estarmos numa verdadeira Café Racer dos anos 60, mas sem as vibrações e com uma enorme suavidade e conforto. Há quem lhe sinta falta de maior “cariz” desportivo e a acuse de demasiada suavidade, mas para mim é perfeita, uma moto que não te cria ansiedade e que não te leva a ter que provar coisíssima nenhuma , que te inspira a desfrutar do melhor da vida em todas as situações. Desportiva QB mas sobretudo cool… muito cool and wise.

Cup-15

Para além da posição de condução desportiva mas confortável gostei também da sensação de segurança da Street Cup em curvas rápidas e a facilidade com que se encadeiam curvas mais apertadas. Mas sempre dentro de um espírito moderado pois é aquele que a Street Cup te inspira a levar.

O pequeno defletor de vento revela-se insuficiente a altas velocidades, sobretudo considerando que para manter o estilo decidimos levar um capacete aberto, um Nexx X70 Freedom, com óculos clássicos de aviador que se revelaram pouco confortáveis e nada eficientes para quem está mais habituado a usar capacetes integrais. Valeu-nos a viseira escura retrátil do capacete Nexx que aumentou substancialmente o conforto durante o ensaio.

Cup-11

A Triumph Street Cup está disponível em duas cores , um Racing Yellow e um Jet Black, que foi a versão que testámos. Os acabamentos de pintura e os elementos que monta em alumínio escovado e design retro, reforçam a qualidade e imagem do conceito Café Racer da Street Cup.

O seu preço de 10.400 eur,  menos 3.400 eur que a mais desportiva e sofisticada Triumph Thruxton de 1200cc, permite-nos ter mais fácilmente acesso a uma moto Triumph desportiva, bem concebida, equilibrada e bela, que invoca todo um histórico relacionado com a própria marca e um “Life Style” tão na moda, marcado nos anos 60 pelos Racers frequentadores do Ace Café em Londres.

Screen Shot 2017-03-06 at 12.25.18

 

Deixe um comentário

1 Comentário em "Ensaio-Triumph Street Cup 2017 – Uma verdadeira Café Racer"

pirolito142
Visitante

Moto interessante, parecendo muito equilibrada. Claro que para distâncias grandes deverá ser preciso ter atenção à velocidade e protecção ao vento.