7 coisas que não deve fazer ao comprar uma moto

By on 23 Maio, 2020

No ato de compra de uma moto, às vezes podemos cometer um erro ao escolher a nossa nova companheira. Dizemos-lhe os erros mais comuns, para que não caia neles e fazer uma boa compra.

Ricardo Ferreira

Poucos momentos são tão emocionantes como quando vai comprar uma moto nova. Mas escolher a moto apropriada não é uma tarefa fácil e, às vezes, devido à pressa ou desconhecimento, podemos cometer erros dos quais geralmente lamentamos mais tarde.

Pense cuidadosamente sobre qual é a melhor opção para si, se a moto que pretende comprar atende às suas expectativas, se ela se adapta às suas necessidades, o tipo de uso que lhe vai dar – somente deslocações diárias, quotidiano e passeio ao fim-de-semana, viagens, etc. – nunca esquecendo o tipo de emoções que pretende partilhar com ela.

Para que não falhe na sua escolha, recomendamos que você leve em consideração 7 coisas que não deve fazer ao comprar uma moto.

  1. Não se apaixone à primeira vista

É fácil apaixonar-se pelo encanto de muitas motos, mas os amores à primeira vista são improdutivos neste caso. Como as sereias que tentaram seduzir Ulisses, o design de muitas motos entra pelos nossos olhos sem nos deixar pensar em mais nada, sem que qualquer outra coisa tenha importância. Mas não, existem fatores infinitos a serem considerados além de um design bonito.

Aquela que foi a moto dos seus sonhos na sua adolescência pode não atender às suas necessidades ou ao seu nível de experiência. Ou talvez sim, mas é importante saber antes de se deixar levar por um rosto bonito.

2. Não escolha uma moto acima da sua experiência

Uma moto grande ou poderosa é uma moto exigente, e isso requer experiência. Ao escolher uma moto, deveremos ter um certo nível de conhecimento, poderemos ser um iniciado ou alguém experiente, mas sobretudo é importante que não escolha uma moto muito acima do seu nível.

Como poderá imaginar se já anda a pensar na compra há algum tempo, no mercado existem uma infinidade de propostas, destinadas cada uma a diferentes níveis de experiência. Seja realista e pense nisso: qual é a sua experiência? Escolha a que melhor se adapta ao seu nível. Se estiver num nível de iniciação, não se preocupe, o tempo e a prática o levarão a motos mais poderosas mais tarde.

3. Não compre o que não pode pagar

Lembre-se de que o preço de uma moto não é apenas o preço da própria moto. Existem motos baratas, motos com preços razoáveis, motos caras e motos realmente muito caras, mas não se esqueça: uma moto acarreta outros custos adicionais.

Pense que, dependendo da moto, o preço do seguro pode variar, e também os custos de assistência, a taxa de circulação, a troca de pneus … tudo tem o seu preço. Dependendo da moto, você pode pagar mais ou menos seguro, as revisões são mais caras ou mais baratas, a troca de pneus é mais ou menos frequente. Esses são pormenores que você também deve levar em consideração.

4. Não compre uma usada sem a experimentar

 Se pretende comprar uma moto em segunda mão … experimente antes! Além de uma observação visual, é essencial que você tente verificar por si mesmo que não haja nada anormal, e que tudo esteja em ordem para que um sonho não vire pesadelo.

Ao experimentar a moto que pretende, além de comprovar se existe algum problema ou não, deve verificar se é o tipo de moto que precisa ou não, se é confortável e se adapta às suas necessidades.

5. Não compre o que não usa

Parece surreal, mas nem imagina a quantidade de motos que estão paradas em garagens, simplesmente porque o proprietário não pensou no ato de compra ou foi levado por um impulso.

É possível que a moto atenda a todos os requisitos que já falámos, que responda às suas necessidades, à sua experiência e ao seu orçamento, mas se você não tiver a oportunidade de usá-la por qualquer motivo (por vezes até de ordem familiar), qual é o sentido de ter uma moto parada em casa?

6. Não faça uma escolha errada

Como certamente sabe, existem inúmeros géneros de motos no mercado. Você pode escolher entre motos de Turismo, naked, desportivas, scooters, trail, motos de enduro… O que importa saber é o tipo de moto que você precisa?

Se o uso que você vai dar à moto é eminentemente urbano, onde o trânsito e estacionamento é um problema, uma moto grande de Turismo não é a melhor opção. Ou vice-versa, se você só irá usar a moto para viajar de férias. Talvez uma moto pequena e ágil (125cc), uma naked ou mesmo uma scooter sejam as melhores soluções… as trail também são muito escolhidas para esse género de utilização devido à sua versatilidade.

Que tipo de utilização vai dar à sua futura moto? Pense nisso e escolha uma à medida das suas necessidades.

7. Não compre o que não gosta

Tudo o acima referido é importante, mas talvez este seja um dos aspetos mais importantes de todos. Não compre uma moto que não gosta! Sobretudo precisa de amar a sua moto, sabendo que o fará feliz toda a vez que a usar… É como um matrimónio, se não escolher a noiva certa, o mais provável é que o casamento acabe num divórcio.

É bom que siga os conselhos de amigos especialistas em motos, mas isso não o obriga a comprar uma moto que não gosta.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x