BMW M 1000 RR: A superbike mais extrema da BMW

By on 23 Setembro, 2020

BASEADA NA BMW DO CAMPEONATO DO MUNDO DE SUPERBIKE, A NOVA BMW M 1000 R SURGE PARA SE TORNAR NA MOTO MAIS RADICAL DA FIRMA ALEMÃ.

Se a BMW S 1000 RR já era uma das referências entre as superbikes da atualidade, a BMW M 1000 RR dá um passo adiante para ser de longe a moto mais desportiva e extrema da empresa bávara. Com base na S 1000 RR da BMW, os técnicos trabalharam para criar uma moto muito parecida com a que Tom Sykes e Eugene Laverty concorrem no Campeonato do Mundo de Superbike.

Com ela aparece a nova família M da BMW, onde as motos são exclusivas e desportivas como poucas outras. Aqui tudo visa oferecer o máximo de desempenho possível e as modificações que vemos em relação ao modelo padrão têm apenas um objetivo: obter a máxima performance.

Espírito de corridas

O seu espírito competitivo impulsiona-a. Alta performance, materiais de alta tecnologia, a mais alta qualidade de trabalho e exclusividade até ao último detalhe: a M RR é o primeiro modelo M da BMW Motorrad. Os seus genes provêm directamente das corridas profissionais. O pacote M RR e M RR com M Competition oferece pura tecnologia de corrida para as mais altas exigências de desempenho no desporto motorizado e para os perfeccionistas adrenalino-driven na estrada.

Duas versões, um objectivo: Pura performance

Cada RR M representa a dedicação absoluta e a vontade de actuar. Na sua versão básica, é feito para corridas – e para trabalhar em gramas e milissegundos. Com o Pacote de Competição M, ostenta peças fresadas M e peças de carbono M e destaca o aspecto desportivo.

M RR em branco claro/M Motorsport: nascido na pista de corridas. E é exactamente para lá que o seu M RR o levará de novo e de novo. Sempre em busca da perfeição. Até ao milímetro.

M RR com M Pacote de Competição: é aqui que a experiência do hipódromo, como o M GPS Laptrigger, e o design se juntam em cultura pura. E vai ter muitos olhares na estrada.

Uma moto vencedora

A montagem do M RR foi desenvolvida em corridas desportivas e aperfeiçoada para a estrada. Para este fim, foi aumentada potência do motor de quatro cilindros em linha da RR, para um binário mais elevado na gama média de rotações. Foi ainda aumentada a rotação máxima em 500 rpm, para 15.100 rpm. As bielas de titânio são mais leves, os balancins são 1,5 mm mais estreitos, a entrada da caixa de ar foi encurtada para melhores mudanças de carga: trabalho milimétrico por milissegundos. Além disso, existem pistões forjados de 2 anéis com fendas cruzadas e cabeças de cilindro com nova geometria de canal e suportes reforçados.

Resultado global: Mais dinâmica e inércia de massa reduzida. Para uma relação mais curta, mesmo a roda dentada foi dotada de um dente e a própria corrente e a distância entre eixos também foram alongadas. A embraiagem anti-hopping funciona sem auto-reforço – para o perfeito ‘Launch Control’ nas partidas.

Como não poderia ser de outra forma, a eletrónica também tem um papel fundamental e é elevada ao máximo expoente, como se fosse uma moto de corrida. Aos modos habituais de Rain, Road, Dynamic e Race são adicionados mais três modos de circuito: Race Pro1, 2 e 3. Neles você pode ajustar parâmetros como elevação dianteira, retenção do motor ou controle de tração com mais precisão.

Mais pressão: as Asas M

A pressão de contacto também determina a vitória ou a derrota. As asas M feitas de carbono geram uma downforce de 16,3 kg. Em combinação com o pára-brisas alto, é possível converter mais potência em pura propulsão. Antes da curva, na curva, e ao acelerar para fora da curva. A roda dianteira puxa directamente para o vértice e o garfo mantém contacto com o solo; o DTC tem de intervir menos.

Os spoilers de fibra de carbono foram incluídos nas laterais da carenagem e têm duas missões, impedindo que a moto se levante em acelerações e aumentando a carga no trem traseiro, para que o controle de tração seja aliviado..

Feedback Intuitivo, claro, honesto e directo

O chassis e a geometria do M RR são recortados para a pista de corridas. Para mais desempenho na pista e nas boxes. A dirigibilidade, a travagem e a compensação do passo inicial proporcionam mais sensação para a roda dianteira e traseira. Mesmo em estradas rurais. A maior distância entre eixos torna o M RR muito mais confortável. O ponto de pivot facilmente ajustável foi redimensionado e aumentado.

E o novo eixo traseiro – também graças ao pistão de travagem adaptado – permite mudanças rápidas das rodas traseiras. É aqui que o pit lane vai ao encontro da sua vontade de perfeição.

As novas pinças M

Nos travões, a BMW usa pela primeira vez pinças chamadas M, o resultado do desenvolvimento realizado ao lado da Nissin no Mundial de Superbike. Elas são exclusivos deste modelo, azul e discos de mordida 320 mm ligeiramente mais grossos que os da S 1000 RR.

Como podem imaginar, no painel de instrumentos encontramos uma tela TFT de 6,5″ na qual encontramos tudo. É totalmente configurável e a partir dele temos acesso a todos os parâmetros da moto. Como um extra, você pode instalar um controlador OBD com GPS que contém dados de 300 circuitos no mundo.

Para as cores a BMW escolheu para a nova M 1000 RR as míticas cores branca, vermelha e azul da família M. E, embora seja inestimável no momento, já podemos imaginar que a sua diferença em relação à BMW S 1000 RR “padrão” será facilmente percetível.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments