Descobertas na Alemanha novas patentes para um V4 Honda

By on 7 Julho, 2022

A Honda continua a patentear sistemas para um novo motor V4, o mais recente dedicado a reduzir o consumo e a poluição. Será para uma futura SBK ou para uma futura ‘touring’ da marca alada?

Corre desde há muito o rumor de que a Honda estaria para lançar uma nova desportiva baseada na sua MotoGP , ou seja, com o motor V4. Acontece que a chegada da CBR 1000 RR-R veio baralhar as coisas, tanto que nos fez pensar que essa seria a última “mil” motor desportiva de quatro cilindros.

Porém, no final de junho de 2022, a Honda registou no escritório de departamento de patentes alemão uma novidade com condutas de admissão variáveis ​​e controladas por um motor elétrico, gerido por sua vez por um dispositivo de acelerador eletrónico. A tecnologia patenteada pela Honda é semelhante à já utilizada na Yamaha R1 e R6, não é revolucionária. Outra peculiaridade interessante é que a moto desenhada para a patente se parece muito com uma Honda RC213V de MotoGP , só que desta vez com farol. Isto, em primeira análise, talvez signifique que o icónico V4 Honda ainda não tenha chegado ao seu fim de vida.

V4 Honda para uma SBK?

A possibilidade de desconectar um cilindro é usada há muito tempo pelos fabriantes automóveis, mas também nas motos. Assim, menos cilindros são usados ​​na cidade, o motor faz menos esforço e economiza-se combustível. Marcas como a Harley-Davidson ou Ducati têm experimentado essa possibilidade. O problema que surge é que, apesar de cortar a injeção e a ignição, o oxigénio chega ao sistema de escape, o que pode afetar a capacidade de purificação dos gases.

A nova patente do Honda V4 permite que o motor funcione como um V2 em baixas rotações e fazer trabalhar todos os quatro cilindros nas rotações mais elevadas. A patente sugere que os engenheiros da Gold Wing, conseguiram garantir que o catalisador não seja afetado e que gases nocivos, como o monóxido de nitrogénio, não sejam produzidos.

O mais notável é que o V4 funcionaria como dois cilindros em baixa velocidade, enquanto a plena carga os quatro cilindros entrariam em ação. Este tem algumas semelhanças com o famosos V-Tec da VFR 800 que já desapareceu do catálogo europeu com o Euro5. Já se sabe que a Honda tem um carinho especial pela configuração V4 que também usa há anos no MotoGP. Mas, por outro lado, sabemos que uma moto em configuração V4 é mais complicada (e cara) do que uma de quatro ou dois cilindros em linha…

Então, o que a Honda pode estar a preparar? O que parece é que a marca alada está a querer desenvolver um quatro cilindros em V capaz de alcançar grandes economias de consumo e emissão de gases nocivos. Isto dá a entender que possa ser um motor para aplicar numa futura moto de Grande Turismo, ou totalmente nova ou uma evolução provável da Gold Wing. Porém, também não é de menosprezar o aparecimento de uma sucessora a curto-médio prazo da icónica VFR.

Só o tempo dará a resposta a esta questão, até agora tão bem guardada nos gabinetes do maior contrutor mundial em Tóquio.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments