Estará o tuk-tuk à beira da extinção devido à política de redução de CO2!?

By on 30 Março, 2022

O “Tuk-tuk”, que é um veículo típico na Tailândia, é frequentemente usado em táxis turísticos e vendas móveis no Japão… onde de facto nasceu.

O ‘táxi’ de três rodas tuk-tuk é um veículo muito popular na Tailândia, assim como noutros países do sudeste asiático, como a Índia e Filipinas, onde é frequentemente usado por turistas e moradores locais como um dos principais meios de transporte. Existem vários tipos na Tailândia, não necessariamente com apenas uma roda dianteira e duas rodas traseiras. Em Portugal, a ‘febre’ do tuk-tuk também já pegou e basta uma visita às ruas estreias de Alfama para o vermos passar todo orgulhoso…

Mas na verdade não foi na Tailândia que ele nasceu, o tuk-tuk é um veículo originário do Japão. Cerca de 30 carros usados ​​do “tipo Daihatsu Midget DK” foram vendidos no Japão em 1957 e depois importados para a Tailândia. Inicialmente, o tipo Daihatsu Midget DK foi amplamente utilizado na Chinatown de Bangkok.

Além disso, foi na antiga cidade de Ayutthaya que é conhecida como Património da Humanidade na Tailândia, que o tipo Daihatsu Midget MP começou a ser usado em larga escala devido ao seu baixo preço.

Naquela época, não se chamava “tuk-tuk”, mas simplesmente “thermlow kluang”, que significa veículo de três rodas, e era vendido pela Honda, Hino, Mitsubishi, Toyo Kogyo (atualmente Mazda), etc.

Depois disso, quando os veículos de três rodas não eram mais produzidos no Japão, as empresas tailandesas começaram a fabricá-los de forma independente, e o design e a forma do tuk-tuk, familiar no Japão, estabeleceram-se. No início, era um tuk-tuk que era usado para transportar bagagem, mas aos poucos começou a ser usado como táxi. E, de acordo com o povo tailandês, o som do motor funcionava com um ruído de “tuk-tuk”, ganhando por isso esse nome.

A partir de 2017, diz-se que existiam 20.389 veículos registados para uso comercial e 1.636 para uso pessoal, para um total de 22.025 veículos na Tailândia. Cerca de 46% deles estão em Bangkok. Em Bangkok, há pessoas que colocam uma rede no lado direito ou na parte de trás do veículo como uma contramedida contra o roubo, mas basicamente é comum usar um carro normal enviado de fábrica.

Basicamente, um tuk-tuk tem um guiador do tipo moto, e o acelerador gira no punho. O pedal de travão é no pé direito e no pé esquerdo está a embraiagem, tendo uma alavanca de marchas no volante, que é um método de condução entre a moto e o carro.

Para se conduzir um tuk-tuk na Tailândia, é preciso ter uma “carta de condução de triciclos” e não pode ser conduzido com uma carta de carro normal. Além disso, existem licenças para uso pessoal e uso comercial e, claro, há uma licença de uso comercial para operar como táxi de três rodas.

Agora, o governo tailandês está a considerar a conversão do tuk-tuk para VE (veículo elétrico), mas também há preocupações… O tuk-tuk, que usa gasolina e gás natural como combustível, enfrenta a barreira da redução de CO2, que é um problema ambiental que se tornou uma tendência global nos dias de hoje. Assim, o governo tailandês está a avançar com um plano para eletrificar todos os tuk-tuk até 2036 (“eTukTuk”), e desde o ano de 2017, cerca de 100 unidades já foram introduzidas. Se o tuk-tuk for totalmente eletrificado, economizará cerca de 20.000 toneladas de petróleo anualmente. Portanto, o tuk tuk não está em vias de extinção, mas perderá o ruído que lhe deu nome!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments