Harley-Davidson WLA FLSS: Inspirada na mítica WLA da 2ª Guerra Mundial

By on 12 Abril, 2022

Inspirada na antiga moto militar norte-americana que desembarcou no Velho Continente durante a Segunda Guerra Mundial, a HD WLA FLSS alia uma linha simples e robusta, a tecnolgia moderna, sem prescindir do charme imutável da marca de Milwaukee. Um trabalho de customização da Harley-Davidson Shizuoka.

Em 2012 surgiu a FLS Softail Slim, que era a base desta máquina. Posteriormente, foi lançada em 2016 uma evolução do modelo, a FLSS que nesse ano adoptou a cor genuína “Olive Gold Denim”. Escusado será dizer que este modelo, que segue em grande estilo “Bobber” da era antiga, é viciado na atmosfera clássica, não faltando a inevitável estrela branca adotada do veículo militar…  claramente inspirada na “WLA”.

Em 1940, surgiu o modelo inicial, e o modelo de válvula lateral que se tornou a principal moto militar dos militares dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial.

No que respeita ao motor a WLA FLSS emprega uma versão atualizada do Softail Slim, o “S”, que passou dos originais 1801 cc para 1923 cc de cilindrada incorporando o kit ‘Screamin Eagle’. A cabeça também foi substituída. A alimentação por injeção ficou a cargo de um kit Vance & Hines, o filtro de ar foi substituído por um S & S e o silenciador foi substituído por um Bells Performance.

A estrela branca desenhada no depósito, o tradicional pára-brisas e o assento de sela solo com mola foi realizado pela HD Shizuoka, compondo o estilo exatamente como pretendido.

Anexar uma bolsa lateral como uma mala de ferramentas ao braço oscilante esquerdo também é um dos aspetos que nos dá a ideia de um veículo militar robusto.

A História da Harley-Davidson WLA

De 1940 a 1945, as forças armadas americanas adquiriram 23.403 WLA, tornando-a de longe a moto militar mais numerosa dos EUA, ultrapassando em quase 4 para 1 o número de menos de 1.000 “grandes gémeos” Harley-Davidson e aproximadamente 5.500 motos Indian de vários modelos adquiridos durante a guerra.  Por comparação, a Ford e Willys-Overland produziram mais de 640.000 jipes entre 1941 e 1945.

A WLA, cujo nome sob o sistema de designação da Harley-Davidson representa a série WL, modelo do Exército – era uma versão militar da moto Forty-Five da Harley-Davidson, de 45 polegadas cúbicas (750cc) de tamanho médio, introduzida pela primeira vez em 1929.  Era uma moto típica americana da época, com um motor de válvula lateral, suspensão dianteira “springer” sem qualquer amortecimento hidráulico, e sem suspensão traseira.  Era o modelo mais pequeno e barato da Harley-Davidson, diferente das Twin maiores com motores de válvulas laterais e mais de 1000 cc de cilindrada, mantendo a disposição de válvulas laterais.  O seu maior desenvolvimento durante a década de 1930 foi a introdução de um sistema de recirculação de óleo em 1937,  melhorando significativamente a lubrificação, arrefecimento e durabilidade do motor.  Uma outra melhoria foi a introdução, em 1939, de cabeças de cilindro de alumínio em alguns modelos, o que melhorou ainda mais o arrefecimento.  Com o início da Segunda Guerra Mundial, a WL foi alvo de um desenho completamente depurado, não havendo dúvidas sobre a sua fiabilidade após uma década de desenvolvimento.

Em 1939 o exército americano fez o pedido de uma moto mais adequada para uso militar do que os modelos civis. Os protótipos da WLA, com maior distância ao solo, uma placa de derrapagem, e um motor com as cabeças de alumínio recentemente introduzidas, relação de compressão extra baixa de 5,0:1, e um filtro de ar concebido para condições severamente poeirentas, competiam contra motos da Indian e da divisão Delco da General Motors, que entrou na competição de motos com uma cópia de uma BMW com motor oposto horizontalmente, com transmissão por eixo fechado, e garfo dianteiro telescópico com amortecimento hidráulico. 

O Exército reconheceu as vantagens do arrefecimento superior do motor, do sistema de transmissão final resistente à sujidade e à lama, e de uma condução mais suave do design BMW/Delco, e teve a Harley-Davidson e a Indian a criarem modelos experimentais com estas características.  A Harley-Davidson comprou um BMW R71 e copiou as suas principais características no Modelo XA, enquanto que a Indian criou o único Modelo 841 com um motor V-twin transversal de 90 graus.

Mas a WLA estava em forte contraste com as motos militares alemãs, nomeadamente por se tratar de uma moto bastante mais ligeira e ágil.  Os serviços armados alemães utilizavam as motos extensivamente em todas as suas estruturas de força, e depois de comprar numerosos modelos comerciais durante o seu rápido rearmamento durante a década de 1930, a Wehrmacht mandou a BMW e a Zundapp desenvolver máquinas militares propositadamente construídas, capazes de transportar três soldados totalmente equipados em condições adversas fora de estrada.  A BMW R75 e a Zundapp KS750 resultantes, significaram um passo de gigante na engenharia, com sistemas nunca antes utilizados numa moto: quatro velocidades, mais transmissão de marcha-atrás com engrenagens altas e baixas, dando oito velocidades para a frente e duas de marcha-atrás; roda de carro lateral motorizada com um diferencial de bloqueio para situações de baixa tracção; e três travões de roda com assistência hidráulica de potência, necessários para parar estas máquinas maciças que pesavam 419,5 kg com os seus carros laterais.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments