Manutenção da travagem: Verificação e substituição das pinças

By on 6 Julho, 2021

Este é um tema complexo, uma vez que as pastilhas de travão são um elemento crucial para a segurança. Não o recomendamos a fazer você próprio, se não tiver o devido conhecimento desse serviço, mas ainda assim deixamos aqui algumas recomendações que lhe podem ser úteis. 

Nunca é demais realçar a importância do sistema de travagem. Pastilhas em mau estado, não só provocam falhas nos travões como danificam os discos, motivo suficiente para neste artigo lhe darmos algumas conselhos práticos. No entanto, não faça sempre que tiver a mínima dúvida, deixando essa tarefa para os técnicos de manutenção da sua oficina habitual. Assim terá sempre maiores garantias, até porque umas pastilhas em bom estado são um elemento crucial para a sua segurança.  

Há aqueles que travam com maior suavidade, outros o fazem com maior firmeza, mas chega sempre o momento em que a substituição das pastilhas de travão se torna inevitável. O desgaste depende realmente da moto, do seu estilo de condução e de muitos parâmetros. Portanto, não existe uma frequência de quilometragem típica. A melhor solução é verificar regularmente o estado de desgaste das pastilhas e não hesitar em substituí-las para evitar agredir o (s) disco (s) do travão, mas sobretudo para preservar ou mesmo melhorar o desempenho da referida travagem.

O princípio a seguir é o mesmo dos pneus. Uma ranhura está por hábito presente na altura das pastilhas, e quando essa ranhura já não existir, isso indica que as pastilhas estão em fim de vida útil é a única solução é… substituí-las. 

Verifique regularmente o estado das pinças

A verificação é simples. Se as pinças tiverem tampa, esta deve ser removida previamente para se ter acesso às pastilhas. Tão importante como verificar o seu estado, é saber escolher uma par de pastilhas novas.  

Colha a informação certa na secção de peças e acessórios da marca da sua moto, antes de empreender a compra. Mais caro não é necessariamente melhor, mas devem ser sempre as pastilhas de travão correctas para a sua moto. Não caia também no risco de adquirir as pastilhas mais em conta, questione a sua durabilidade/resistência para que não fiquem vidradas numas centenas de kms, tendo de comprar outras num curto espaço de tempo.

Cuidados a ter após a montagem

Um cuidado muito importante a ter após a montagem de um conjunto de novas pastilhas, é que após esse serviço ser feito numa oficina de marca ou pelo proprietário da moto – não incorra em riscos desnecessários se não o souber fazer! – é que existe um certo tempo para que as pastilhas de travão comecem a funcionar em toda a sua capacidade. Esse tempo, também é conhecido como “tempo de amaciamento” pelos mecânicos, sendo necessário até que as pastilhas se adaptem aos discos e comecem a funcionar a 100% na área de contato. Deve assim evitar velocidades elevadas nos primeiros kms, assim como fazer travagens bruscas, deixando as pastilhas acamar de forma correcta no contacto com o disco de travão. 

As pastilhas só funcionarão com força total após adaptarem-se aos discos. Isso porque, durante o processo de desgaste das pastilhas antigas, pequenas ranhuras naturais podem ter-se formado no disco, fazendo com que as pastilhas novas levem algum tempo para adquirirem o mesmo formato e ficarem totalmente em contato com o mesmo.

Porém, quando esse desgaste natural se torna muito desigual – depois de rodar muitos quilómetros com as pastilhas “já no ferro” -, o que vai acontecer é o desgaste excessivo das pastilhas novas, comprometendo a travagem e estragando a peça. Por isso, é preciso, também, verificar se o disco está em boas condições antes de realizar a troca das pastilhas.

Alguns ruídos na travagem são normais durante o designado período de amaciamento.  Afinal, o material novo é muito mais abrasivo do que as pastilhas gastas que estavam na moto. No entanto, se eles persistirem, é preciso analisar as peças novamente.

Alguns conselhos, se insiste em ser você a fazer a manutenção das pastilhas. NÃO o faça se tiver dúvidas!

Verificação e limpeza

  • Limpe o interior da pinça com uma pequena escova e água com sabão
  • Verifique o estado dos pistões. Estes não devem estar muito sujos ou corroídos.
  • Verifique o estado dos vedantes (sem vazamentos ou deformação), se puder vê-los claramente.
  • Puxe os pistões de travagem totalmente para trás (embolos que se movimentam com a ação da manete/pedal) usando por exemplo as antigas pinças (se possível)

Insira as novas pinças

  • Instale agora as novas pinças
  • Substitua os pinos e a placa de “mola”
  • Erga o máximo possível as novas pinças nas bordas das pinças para passar o disco
  • Tenha muito cuidado a fazê-lo, passe-as paralelas ao disco, para não correr o risco de danificar o forro ao substituir a pinça
  • Reconecte as pinças apertando com uma chave de torque

Líquido de travões

  • Verifique o nível do fluido no reservatório habitualmente situado junto à manete de travão 
  • Bombeie o liquido de travão, apertando a manete/pedal as vezes que for necessário para restaurar a pressão hidráulica

Nota final:

Tenha cuidado ao conduzir pela primeira vez após trocar as pastilhas: é necessário um amaciamento. Se eles já são eficazes na maioria das vezes, não devem ser alvo de sobreaquecimento. Também é possível que a força e a aderência das pastilhas no disco, não sejam as mesmas que tinha anteriormente. Cuidado, mas se tudo der certo, ao cabo de alguns quilómetros terá finalmente o seu sistema de travagem ‘au point’. 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments