Marcas: Bimota, a fabulosa fábrica de sonhos de Rimini

By on 2 Março, 2021

A italiana Bimota nasceu no início da década de 1970 com a associação dos seus três fundadores: Bianchi, Morri e Tamburini, cujas primeiras sílabas iriam compor o nome da marca.

A marca foi fundada em 1973 em Rimini (onde continua atualmente) por Valerio Bianchi, Giuseppe Morri e Massimo Tamburini. Originalmente, os três sócios tinham fundado uma empresa de ar condicionado, mas o seu negócio rapidamente se direcionou para o mundo das motos, com a criação de um notável quadro artesanal.

O sofisticado quadro foi considerado uma verdadeira obra tecnológica de arte e as equipas participantes no campeonato do mundo de velocidade rapidamente mostram interesse. O engenheiro Massimo Tamburini desenvolveu inicialmente uma Bimota com um motor Honda 750. No mesmo período, desenhou uma moto derivada da Yamaha TZ 350.

Bimota 750 SB2

Os anos 80 foram a era de ouro da Bimota, com um primeiro título mundial conquistado ao comando de uma de suas máquinas e o desenvolvimento de sua primeira moto completa: a SB2 com um motor da Suzuki GS 750. As inovações técnicas também causariam uma impressão duradoura, por exemplo, o depósito de combustível estava alojado sob o motor, a fim de diminuir o centro de gravidade.

É criada a KB1 com um motor Kawasaki posicionado acima da SB2 anterior e com um quadro treliça. A sua principal característica continua a ser a sua direção de geometria variável, graças às bainhas de suspensão excêntricas. As Bimota são então montadas à mão, a partir de componentes escolhidos pelo seu desempenho extremo, e exibem um preço relativamente alto o que nem sempre resulta num bom volume de vendas.

Bimota 500 VDue

No entanto, Bimota conseguiu escapar de muitas crises e foi com o DB1 com um motor Ducati V-Twin que o sucesso voltou, permitindo que a empresa estreitasse laços com a Ducati. A concorrência continua a ser primordial para a marca, especialmente com a SB4 que brilhará nas corridas. Em 1991, a empresa não esquece a sua busca constante por inovação com o desenvolvimento do novo equipamento dianteiro da Tesi. Marconi, que substitui Tamburini que partiu para Cagiva, rapidamente provou o seu valor com a inovadora suspensão dianteira de duplo braço oscilante.

Bimota Tesi V4 400 Honda

A marca dá um novo passo em frente, desta vez com um motor doméstico reivindicando 110 cv, a 500 VDue. Infelizmente, a VDue apresentará problemas graves de injeção que acabariam com a sua carreira, mas a Mantra permitiria que a Bimota retornasse ao sucesso comercial durante algum tempo.

Apesar dos seus altos e baixos, o fabricante italiano entrou com um pedido de falência em 2001 e foi assumida pelo industrial Roberto Comini. Em seguida, a empresa revelaria a DB5 e, em seguida, a sua DB6, envolvendo-se na Moto2 em 2010 com a HB4. Em 2011, no certame do EICMA de Milão foram apresentados dois novos produtos da marca: a DB9 e a DB10. Em 2012, a Bimota apresentou nada menos que 19 modelos no seu stand de Milão.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments