O estado do motor e bateria de uma scooter elétrica após 100.000 km

By on 22 Julho, 2021

Uma scooter elétrica da Ara Vinc, uma empresa de distribuição dos arredores de Barcelona – que tem 55 unidades da Silence S02 a rodar diariamente na entrega de encomendas – percorreu 102,965 km em cinco anos. Saiba o seu estado.

A eficácia ao longo do tempo dos veículos elétricos é frequentemente questionada, principalmente devido à perda de eficácia da bateria e à desconfiança de muitos com os motores elétricos. Porém, há notícias como esta que são esclarecedoras. 

A empresa Ara Vinc foi criada em 2017, colocando então 25 scooters Silence S02 em permanente trabalho. Durante esse período de cinco anos, as suas scooters elétricas percorreram as ruas de Barcelona diariamente, alguns dias fazendo mais de 110 km, embora a média total de cada uma seja ligeiramente inferior a 100 quilómetros por dia.

Passado esse tempo, a satisfação da empresa catalã é tamanha que decidiram adquirir mais 30 unidades da scooter elétrica em questão, tendo ficado surpreendidos com a resistência mecânica e o bom desempenho da bateria S02, tendo agora a empresa a rodar em Barcelona um total de 55 scooters elétricas Silence.

A Silence não se alheou desta história particular, e o fundador e CEO da marca espanhola, Carlos Sotelo, apareceu para materializar a entrega das 30 novas unidades novas à Ara Vinc.

A empresa também analisou a bateria da S02 após um total de 102.965 quilómetros. Joan Ferrao, engenheiro de P&D da Silence, garantiu que esta S02 em particular “ainda tem um longo caminho a percorrer”. Quando era nova, a bateria tinha capacidade de 106 Ah (amperes), e passados cinco anos e mais de 100.000 km percorridos caiu para cerca de 89,7 Ah, o que se traduz numa perda de eficácia de 15,4% a cada 100.000 quilómetros percorridos .

Ferrao também analisou o desempenho do motor desta scooter elétrica, um motor elétrico que, colocado dentro da própria roda traseira, quase não possui elementos mecânicos. O engenheiro da Silence sublinhou que “não há diferenças notáveis entre um novo motor elétrico e o desta S02”.

Antonio Pardo, gerente de frota da Ara Vinc, destacou sobretudo a resistência mecânica na S02: “O que me surpreendeu é a mecânica. Numa moto temos desgastes de motor, cilindros, roletes, embraiagens… Nesta scooter elétrica, o desgaste resume-se aos pneus, discos e pastilhas de travão e coisas do género, pouco mais. A mecânica é incrível, nunca quebra, contando que se faça um uso correcto, é claro.”

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments