‘Project Origin’, uma réplica fiel da primeira Royal Enfield

By on 2 Junho, 2022

Uma das maiores curiosidades da Royal Enfield no último EICMA de Milão foi a apresentação da ‘Project Origin’, uma réplica fiel da primeira moto da marca.

A Royal Enfield produz motos desde 1901. Como o 120º aniversário devia ser comemorado no ano passado, uma equipa de entusiastas da própria marca quis reconstruir a primeira moto de sempre da marca, algo que não foi nada fácil a início.

A ideia da “Project Origin” surgiu depois de Gordon May, historiador corporativo da Royal Enfield, dar às equipas de design e engenharia da Royal Enfield uma tarefa difícil. Esta girava em torno da primeira moto real da marca, concebida em 1901 pelo francês Jules Gobiet e o co-fundador e designer chefe da Royal Enfield de então, Bob Walker Smith.

Em 1901, esse primeiro protótipo foi apresentado em Londres, mas ainda não foi encontrado nenhum modelo funcional da moto original. Não existiam plantas, não existiam desenhos técnicos, enfim, nada que pudessem fornecer pistas úteis para a construção da moto. Tudo o que havia eram algumas fotografias contemporâneas, alguns anúncios e alguns artigos de jornal ilustrados desse ano. A quantidade de informações para se basear era, na melhor das hipóteses, escassa, mas isso tornaria o trabalho ainda mais emocionante…

Foi então criada uma equipa de voluntários da Royal Enfield e começou uma busca quase impossível. Com a colaboração das equipas dos Centros Técnicos Royal Enfield do Reino Unido e Índia, bem como da Harris Performance e outros especialistas da comunidade de motos clássicas, começou então uma verdadeira ‘caça ao tesouro’.

O que ficou claro desde o início foi que aspectos como a mecânica, tecnologia e ergonomia da época, nada tinha a ver com os padrões atuais. Uma das diferenças mais óbvias, a localização do motor de 1,75 cv na cabeça de direção acima da roda dianteira, a qual acionava a roda traseira por meio de uma longa correia de couro cruzada. Ao contrário da maioria dos outros motores, o cárter do Royal Enfield foi dividido horizontalmente, o que evitaria o perigo de haver algum derrame de fluidos sobre a roda dianteira – algo que os cárteres divididos verticalmente poderiam gerar.

Tecnologias de outros tempos

Apesar da escassa documentação técnica, muitos aspetos puderam ser descobertos sobre a tecnologia da primeira moto da Royal Enfield, como por exp. a válvula de admissão que ao abrir permitia uma carga de mistura ar-combustível no cilindro.

A partida da moto exigia a operação do pedal e, uma vez que o motor funcionava, o carburador era aberto de marcha lenta para aceleração total por uma alavanca manual no lado direito do depósito de combustível. Não havia punho de acelerador, a velocidade era regulada através de uma alavanca no guiador. Para desacelerar, o condutor através dessa alavanca abria a válvula de escape. Assim que a tocava em sentido oposto, fechando a válvula de escape, o motor ganhava compressão de novo e disparava.

A roda dianteira tinha um travão de cinta (correia) que era operado pela mão esquerda do condutor usando uma alavanca e cabo. A roda traseira também tinha um travão de cinta, mas este era comandado pela roda pedaleira. O selim era de couro Lycette La Grande e as rodas de 26″ foram equipadas com pneus clipper 2×2.

Fabricar a ‘Project Origin’ não foi fácil

Com todas estas informações básicas reunidas, foi então responsabilidade da equipa construir uma réplica fiel da primeira moto da Royal Enfield. Assim, à medida que a construção foi começando a tomar forma, rapidamente se tornou claro o quanto de habilidade e perícia eram necessárias para fabricar certas partes da moto. Um dos elementos mais complexos foi a construção do depósito de latão dobrado, que foi dobrado, formado, martelado e soldado à mão a partir de uma única folha de latão, usando ferramentas e técnicas antigas quase esquecidas na fabricação moderna de hoje.

A estrutura tubular do quadro foi fabricado em latão pelos especialistas britânicos da Harris Performance, assim como as várias alavancas e interruptores acabados à mão. A equipa quis tornar a moto o mais original possível desde o início e, sem projetos ou diagramas de engenharia como referencias, foram estudadas cuidadosamente as poucas fotos e ilustrações de 1901 disponíveis, para desenvolver projetos CAD para cada componente, que foram moldados individualmente à mão ou fresados a partir de um bloco.

A equipa da Royal Enfield também fez as pegas de madeira à mão, os travões das rodas dianteira e traseira e mandou reconstruir completamente o carburador. As peças originais obtidas na viragem do século, tais como a lâmpada de parafina, a buzina, a sela de couro e as rodas, foram minuciosamente restauradas e niqueladas para ficarem o mais próximo possível da primeira moto da Royal Enfield. Assim nasceu a ‘Project Origin’, uma réplica perfeita do modelo original de 1901.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments