Ralph Hudson não resiste a acidente em Bonneville

By on 11 Setembro, 2020

RALPH HUDSON FALECEU AOS 69 ANOS DE IDADE, NÃO TENDO RESISTIDO AOS FERIMENTOS SOFRIDOS NUM ACIDENTE A 250 MILHAS POR HORA – 402 KM/H – NO LAGO SALGADO DE BONNEVILLE, NOS EUA. 

Detentor do recorde do mundo de velocidade terrestre, Ralph Hudson morreu após sucumbir a lesões sofridas enquanto tentava bater outro recorde.

Hudson, 69 anos, estava a competir na Bonneville Speed Week numa tentativa oficial da Southern California Timing Association (SCTA) a 14 de Agosto de 2020, quando uma rajada de vento a mais de 400 km/h o fez perder o controlo da sua moto.

Embora inicialmente estabilizado enquanto estava a ser tratado de ferimentos graves no Intermountain Medical Center em Salt Lake City, Hudson infelizmente perdeu a sua luta pela vida a 6 de Setembro de 2020.

UM TREMENDO LEGADO

Hudson deixa um legado tremendo, como um dos mais bem sucedidos e distintos concorrentes da corrida de velocidade terrestre, onde continuou a competir até perto dos 70 anos de idade.

Ralph Hudson continua a ser o detentor do recordo do mundo da FIM na corrida mais rápida do mundo em linha recta, tendo em julho de 2018 registado um outro recorde pessoal de 297 mph (477.9 km/h) nas salinas do Salar de Uyuni, na Bolívia.

Na mítica corrida de Bonneville, Hudson bateu o seu próprio recorde de 300 milhas por hora (482.8 km/h) ao chegar a 489.2 km/h, mas como não conseguiu atingir as 300 mph na sua segunda tentativa, esse registo não pôde ficar oficialmente registado.

Hudson tinha feito planos para regressar à Bolívia no futuro, numa tentativa de alcançar o esse marco da sua carreira. A memória dele permanece viva através do seu filho David, pela namorada Leslie Murray e em toda a vasta comunidade da Land Speed Racing onde era uma figura tão acarinhada e inspiradora.

Nas redes sociais lê-se num post da sua família:  “Agradecemos sinceramente a todos pelas suas amáveis palavras, orações e apoio durante este tempo tão difícil. Ralph quereria que todos se mantivessem fortes e continuassem a andar depressa”.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments