Revolução elétrica na capital da Tailândia

By on 29 Dezembro, 2021

As ruidosas ruas cheias de scooters e moto-táxis de Banguecoque, podem em breve acalmar. O governo tailandês está a iniciar um ensaio em Banguecoque, no qual scooters eléctricas vão substituir as suas homólogas a gasolina. A experiência poderá ter grandes implicações não só para Banguecoque, mas também para muitas outras cidades sobrelotadas de motociclos na Ásia.

Se já visitou a Tailândia, terá certamente visto duas das suas formas mais populares de transporte público, pouco vulgares aqui no Ocidente: Tuku-tuks e moto-táxis. Enquanto em muitos lados do mundo é normal chamar um Uber, em Banguecoque é muito mais rápido e fácil chamar um moto-táxi.

Acontece que com os moto-táxis, motociclos e scooters privadas, o barulho pode muitas vezes ser insuportável e há ainda as emissões a considerar. Por essa razão, a Autoridade de Produção de Electricidade da Tailândia (EGAT) está a realizar uma experiência com 51 scooters eléctricas para serem utilizados pelos condutores dos moto-táxi. As scooters eléctricas serão instaladas no distrito de Bang Kruai em Banguecoque, onde três estações de troca de baterias foram montadas para facilitar a sua utilização contínua.

As scooters incluem motores de 3 kW (4 cv) e têm uma velocidade máxima de cerca de 80 km/h, sendo capazes de atingir um alcance por carga de aproximadamente 100 km. Quando a bateria estiver fraca, os operadores param numa das três estações de troca de bateria para substituir a bateria esgotada por uma bateria recém-carregada.

A maioria do Ocidente continua fascinada com a perspectiva dos carros eléctricos, mas as motos e scooters eléctricas têm impactos muito maiores na Ásia, onde as duas rodas são frequentemente o meio de transporte dominante.

As baterias removíveis permitem aos condutores transportar a bateria dentro de casa para carregar em casa durante a noite, ao contrário de muitos carros eléctricos que requerem acesso a uma estação de carregamento de veículos eléctricos ou a uma tomada de parede. Para qualquer pessoa sem garagem, encontrar uma tomada de parede à beira da rua pode ser um problema.

Muitas famílias em toda a Ásia deslocam-se em veículos de duas rodas em vez de carros, levando a marés de scooters e motociclos a encher as ruas da cidade. O ruído e as emissões associadas tornaram-se uma praga constante, mas que poderia ser resolvida de um dia para o outro através da troca por motos eléctricas de duas rodas.

Empresas como a Gogoro estão a trabalhar arduamente para atingir este vasto mercado. Esta marca de scooters eléctricas com sede em Taiwan, e o fabricante de baterias permutáveis, anunciou no início deste ano que estava a entrar no mercado indiano e a associar-se à Hero Motorcorp, o maior construtor de motociclos do mundo.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments