Yamaha EMF: Nova elétrica com sistema de troca de baterias

By on 21 Janeiro, 2022

A marca japonesa está apostada em expandir-se no mercado elétrico com o lançamento da Yamaha EMF. Uma scooter elétrica de visual atraente e cujas baterias podem ser trocadas, pelo que resulta num significativo aumento da sua autonomia. Foi apresentada em Taiwan.

A Yamaha e a Gogoro já trabalharam juntas na EC-05, sendo essa scooter elétrica na altura vista como um modelo Gogoro mas com o emblema da marca japonesa. Agora a situação muda, com a nova EMF a ser desenvolvida e contruída pela Yamaha, mas ainda com o prático sistema de troca de bateria da Gogoro.

Actualmente, a Gogoro tem mais de 10.000 baterias de reposição disponíveis em mais de 2.200 locais em Taiwan. A infraestrutura local é especialmente bem desenvolvida, e é por isso que a scooter Yamaha EMF será lançada primeiro lá, em março de 2022.

Design inspirado na família MT

Visualmente e com um pouco de imaginação, podemos estabelecer uma relação directa com a família MT, principalmente no que diz respeito à ótica dianteira com luzes sobrepostas. O design futurista da Yamaha EMF ‘combina’ com um motor elétrico com uma potência de 7,6 kW, que acelera de zero a 50 km/h em 3,5 segundos. O motor elétrico está em posição central e exerce a transmissão à roda posterior através de corrente, incluindo também um modo desportivo que otimiza a resposta do acelerador.

100 km/h e 114 kg

Para garantir a máxima segurança, é oferecido um conjunto de travões de quatro pistons, com sistema de travagem combinado (CBS) para evitar situações de risco em travagens fortes. A velocidade máxima desta scooter elétrica é de cerca de 100 km/h, enquanto o peso, incluindo as duas baterias, é de 114 kg.

A Yamaha EMF tem rodas de 10 polegadas equipadas com um pneu 110/90 na frente e um pneu 130/70 na atás. Dois discos com o sistema de travagem combinada CBS garantem a desaceleração.

Arranque com cartão

Não há chave de ignição clássica para a Yamaha EMF. Em vez disso, um cartão com o formato de um cartão de crédito é usado para destravar e travar, bem como para dar o arranque a esta scooter de belo design.

Acontece que há um obstáculo para a comercialização na Europa, uma vez que o sistema de troca de baterias da Gogoro ainda não foi implementado no ‘velho continente’. No entanto, também sabemos que um consórcio da Honda, Yamaha, KTM e Piaggio está atualmente a trabalhar num sistema padronizado para a substituição de baterias, pelo que é possível que as coisas entretanto se alterem… com ou sem a Gogoro.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments