Ensaio Mitt 125 MB Custom

By on 8 Maio, 2019

Não há muitas “Custom” no mercado desde os anos áureos em que este segmento vendia, vendia e vendia, aqui há 20 anos talvez… e 125, então, há pouquíssimas. Quer isto dizer que a 125 MB (eles dizem que o MB é para Muscle Bike, não se riam!) se vem inserir num segmento algo rarefeito, onde acaba por ter argumento estéticos, de desempenho e relação preço /qualidade muito atraentes.

As dimensões poderiam pertencer a uma cilindrada 4 vezes maior, menos o peso, que a 135 Kg é contido, mas o assento baixo de 680mm de altura ao solo e a posição de condução convidativa contribuem para tornar a 125MB pouco ou nada intimidante. O guiador largo também tem uma palavra a dizer neste capítulo, pois é bastante direito, não nos obrigando a levar os braços empoleirados ou esticados para cima, contribuindo para o que logo se provou ser um conforto geral bastante bom.

O motor de dois cilindros e 125cc é de uma suavidade surpreendente, se bem que poderíamos aspirar a um bocadinho mais de vivacidade, pois sobe de regime apenas gradualmente e acaba por oferecer desempenhos modestos, o que normalmente é pouco importante para quem procura este tipo de moto… o chegar é muito mais importante que o ir, chegar marcando uma presença forte, e isso a 125MB faz.

A estilosa combinação de muito cromado sobre peças acabadas a negro mate contrasta com qualquer uma das 2 cores básicas disponíveis, branco ou preto lisos, de forma eficaz. Quando dizemos lisos, na variedade branca há uma aplicação de listas prateadas que correm longitudinalmente pelo depósito e dão um toque extra de sofisticação ao conjunto…

Depois, como vimos, as dimensões generosas não traem que se trata apenas de uma 125, nem esse número é exibido em lado nenhum na moto, podendo esta passar facilmente por uma 250 ou 500… espertos, estes chineses!

De resto e a contribuir para o “feel” de moto grande, o nível de equipamento até é sobre dimensionado para os 11 e qualquer coisa cavalos do motor, como os grandes discos duplos recortados na dianteira, pinças eficazes a para o conjunto seguramente e em pouco espaço quando as circunstâncias assim o exigem, mas com a segurança adicional de travagem integrada, que trava à frente e atrás quando acionamos o pedal.

All-focus

No capítulo da suspensão, idem, idem, um enorme garfo invertido à frente apoiado em mesas de direção generosas (mais negro mate!), complementado por dois amortecedores ajustáveis e estrategicamente inclinados na traseira (mais cromados!).

O farol redondo com instrumentos minimalistas, tampão de depósito estilo bocal de enchimento rápido e piscas pequenos, mas equipados com LED, mais as saídas de escape duplas “shotgun” do lado direito a imitar vocês-sabem-quem, completam o apelo estático da pequena “custom”.

O dinâmico, é dado pela já referida boa posição de condução, e pela capacidade de curvar até começar a raspar coisas (acontece quase logo a seguir!) sem no entanto perturbar a boa estabilidade do que se revelou uma ciclística eficiente e bem equilibrada. O banco é igualmente confortável e bem acolchoado e a instrumentação ao nível de uma japonesa, o que é dizer bastante.

Nem os pneus, também eles de dimensões generosas, um 110 /17 à frente e 140/17 atrás, podiam ser criticados dentro das capacidades do pequeno motor… e o preço de 3.190€, não sendo o mais baixo do segmento, também não deixa de ser competitivo… ao todo, aposta decerto ganha para quem queira mais que uma scooter para as deslocações do dia a dia, ou um passeio de fim-de-semana a ritmo relaxado.

Mais:

Estilo, Acessibilidade, Equipamento

Menos:
Desempenho modesto

 

Mitt G 125 MB FICHA TÉCNICA
Motor Bicilíndrico de 125 cc 4T, refrigerado a ar
Potência 11,3 cv às 10.000 rpm
Alimentação Injeção eletrónica Delphi
Transmissão 5 velocidades
Ciclística Quadro tubular em aço
Dimensões C x L x A 2.235 x 840 x 1142 mm
Altura assento 680 mm
Travões, Frente Disco pétala com êmbolo duplo, CBS
Travões, Trás Disco pétala, travagem combinada CBS
Rodas Jantes de 17” em liga
Pneus, Fr. – Tr. 110/90/17 – 140/70/17
Suspensão, Fr./Tr. Forqueta hidráulica invertida, monoamortecedor
Depósito 16,5 l
Peso: 135 Kg
Preço: 3.190 €
Importador Puretech Moto, Lda.

 

Concorrência:

Daelim Daystar VL125: 12,6 cv, 2.799 €, 176 Kg

Keeway Superlight 125: 10,5 cv, 2.485 €, 162 Kg

Hyosung GV125S: 14 cv, 3.995 €, 165 Kg

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!