ENSAIO YAMAHA TMAX TechMax 560 – “You Belong to the MAX “

By on 29 Novembro, 2019

Em Cascais decorreu recentemente a apresentação europeia da nova Yamaha TMAX 560 de 2020, um modelo que carrega consigo a evolução de quase duas décadas, sendo já a 6a geração do mesmo, e a responsabilidade e prestígio de ter criado e liderado durante anos o seu segmento, o das MaxiScooters desportivas.

A Yamaha decidiu sintetizar a denominação dos novos modelos 2020 que passaram a ser apenas dois, ( ao contrário das versões de 2019 que eram três ), a TMAX normal e versão TECH MAX, esta última a topo de gama.

Com a concorrência a fazer frente à TMAX e a confrontar a mesma com novas máquinas que disputam a sua liderança, foi com enorme expectativa que participámos na apresentação do seu novo modelo 2020 a TMAX 560.

Tal como a sua designação indica, a Yamaha elevou este ano a cilindrada da TMAX para os 560cc ( dos anteriores 530cc ), com o respectivo aumento de potência e de binário, garantindo assim uma maior resposta desde os baixos regimes.

Para isso houve um investimento claro na melhoria das prestações do motor da TMAX que para além do aumento de cilindrada sofreu uma evolução clara de todos os seus componentes internos. Novas válvulas, novos pistons, novas árvores de cames e nova cambota, um sistema de lubrificação e refrigeração do motor mais eficientes que conta com um radiador de maiores dimensões.  Tudo para garantir melhor desempenho e maior aceleração do bicilíndrico paralelo da TMAX.

A TMAX é agora compatível com o regime estabelecido na norma Euro 5 graças também ao seu novo sistema de escape, ao seu novo elemento catalizador, aos materiais em que ambos foram produzidos, mais resistente e mais leves. A Yamaha teve também a preocupação em dotar a sonoridade do escape da TMAX com mais carácter, garantindo uma sonoridade mais evidente e mais presente, tendo em conta o posicionamento desportivo da sua MaxiScooter.

Com todo este investimento realizado no coração da TMAX a mesma está obviamente mais potente debitando agora 48 cv às 7500 rpm contra os 45 cv anteriores e com um binário de 55,7 nM , cerca de 6% mais que o modelo anterior. O acréscimo de cerca de 3% na potência da TMAX pode não ser significativo no entanto a resposta em aceleração é totalmente diferente e a sensação que provoca é muito superior ao aumento de cilindrada e de potência levado a cabo.

Esteticamente a TMAX mantém as suas linhas características, com o tradicional boomerang desenhado nas suas linhas laterais, mas a TMAX está agora mais compacta e mais elegante, com uma frente mais agressiva e afilada onde encontramos dois faróis dianteiros rasgados e de belo efeito estético. Também no farol traseiro houve uma evolução e o seu desenho mostra claramente um T, certamente de TMAX, que identifica de imediato o modelo quando visto por trás.

O assento foi também redesenhado e se na traseira é evidente a sua evolução, mais estreito e mais cómodo para o pendura, facilitando inclusivamente a colocação dos pés nas peseiras. Já na dianteira mantém uma largura ainda considerável  o que dificulta chegar com os pés ao chão com facilidade em condução urbana. Aliás no desenho do assento da TMAX,  a sua zona mais frontal termina com um elemento rígido mais estreito onde estão colocados os botões que acionam a abertura da tampa de acesso ao tampão da gasolina e também da abertura do assento, e como essa zona se situa na extensão natural do assento, sendo mais estreita, muitas vezes, em manobras ou no pára arranca no meio do trânsito, damos por nós sentados em cima da mesma. Estranho que a Yamaha insista nesta realidade se bem que a maioria das vendas da TMAX ( mais de 80% ) se realizam na Europa onde supostamente a estatura média é muito superior à do Japão.

Na sua ciclística houve também evolução e os melhoramentos realizados ao nível das suas suspensões, que inclui suspensões dianteiras invertidas de 41mm com novas molas e novos elementos hidráulicos, e um amortecedor traseiro com afinação de pré-carga de mola e hidráulico e sistema LINK no modelo de topo, a TechMAX, mostraram uma evolução correspondente na sua condução, mais ágil, mais confortável também e mais precisa em curva. A evolução no conforto da TMAX é mesmo de destacar onde as vibrações foram praticamente anuladas e onde as suspensões proporcionam uma leitura excelente da estrada e uma estabilidade notória em curva, graças também à rigidez conseguida pelo seu quadro duplo em alumínio fundido.

A nível da electrónica a Yamaha TMAX 560 vem com dois modos D-Mode de condução que proporcionam um ajuste imediato na resposta do acelerador garantindo uma gestão adequada da entrega de potência em função das necessidades ou de condicionalismos metereológicos, realidade que durante o teste que realizámos apenas nos mostrou tréguas já ao final da tarde. A TMAX oferece uma leitura fácil de toda a informação no painel digital TFT  ao centro de um só tom que monta ladeado pelo velocímetro analógico de um lado e o conta rotações do outro. No painel TFT podemos verificar o nível de combustível, o consumo, os Kms parciais e a indicação da temperatura exterior. Inclui ainda várias luzes indicadoras entre outras as do Controle de Tração e as dos dois modos de motor D-Mode.

Em termos de conforto houve de facto uma aposta evidente na nova TMAX 560 que para além da evolução em termos da sua suspensão e eliminação de vibrações a Yamaha dotou a sua nova MaxiScooter de alguns pormenores de maior requinte como seja o sistema de ignição “Keyless”, os intermitentes de tecnologia LED, o sistema de bloqueio do descanso central, os poisa-pés em alumínio e mais espaço debaixo do banco para colocação de bagagem onde agora cabem perfeitamente dois capacetes abertos, do tipo Jet, ou um integral com alguns acessórios mais ( ex: o fato de chuva que acabou por ser um item indispensável no teste que realizámos ).

A versão TECH MAX, topo de gama, que foi precisamente aquela que ensaiámos conta ainda com Vidro dianteiro de acionamento elétrico ( bem vindo ) , com Cruise Control, muito útil em viagem, punhos e banco aquecido, a pendura vai adorar, suspensão traseira regulável em pré-carga de mola e extensão de hidráulico e acabamento das forquilhas em dourado.

As cores são 3, os dois modelos estão disponíveis num cinzento escuro quase negro apelidado de TECH GREY e depois as cores exclusivas para cada modelo, a TMAX normal num cinza claro ICON GREY e a TECHMAX num verde escuro mate apelidado de TECH KAMO.

Yamaha TMAX 560 e TMAX TechMax de 2020 – Tech Grey
Yamaha TMAX 560 de 2020 – Iconic Grey
Yamaha TMAX TechMax 560 de 2020 – Tech Kamo

A MyTMAX, uma aplicação que permite o controlo e visualização de uma série de funcionalidades da TMAX através da mesma. A MyMAX uma vez instalada num qualquer smartphone permite entre outras a possibilidade de localizar sempre a scooter, via GPS, e poder inclusivamente bloquear a mesma. Isto para além das outras funcionalidades habituais como chamadas, música, registo de percursos e navegação.

A Yamaha dispõe ainda de uma extensa linha de acessórios e equipamento exclusivo para personalizar a vossa TMAX e garantir o máximo de segurança.  Os acessórios podem também ser adquiridos em Packs onde destacamos os três disponíveis: o Sport Pack com écran mais baixo em carbono, o Urban Pack que inclui malas e o Winter Pack de maior proteção contra o frio para o condutor.

Consultar Gama de Acessórios da TMAX 2020  AQUI

Os PVP’s foram já anunciados pela Yamaha sendo a TMAX normal de 11.560 euros e o da TMAX TechMAX o de 13.760 euros. Os dois modelos vão estar disponíveis nos concessionários da marca já este mês de dezembro de 2019

 Veja o vídeo de promoção da Yamaha TMAX 560. “You belong to the MAX

Especificações Técnicas

MOTOR

Tipo de motor refrigeração líquida, 4 tempos, 4 válvulas, DOHC

Cilindrada 562 cc

Diâmetro x curso 70,0 × 73,0 mm

Taxa de compressão 10.9:1

Potência máxima 35,0 kW às 7500 rpm

Binário máximo 55,7 Nm às 5250 rpm

Sistema de lubrificação Cárter seco

Sistema de combustível Injeção de Combustível

Sistema de ignição TCI

Sistema de arranque Eléctrico

Sistema de transmissão Automática, com correia trapezoidal

Consumo de combustível 4,8 l / 100 km

emissões CO2 112 g / km

CHASSIS

Sistema de suspensão dianteira Forquilha telescópica

Sistema de suspensão traseira Braço oscilante

Travão dianteiro Travão hidráulico com dois discos

Travão traseiro Travão hidráulico com um disco

Pneu dianteiro 120/70R15M/C 56H Tubeless

Pneu traseiro 160/60R15M/C 67H Tubeless

DIMENSÕES

Comprimento total 2200 mm

Largura total 765 mm

Altura total 1420 mm – 1555 mm (para-brisas ajustável)

Altura do assento 800 mm

Distância entre eixos 1575 mm

Distância mínima ao solo 125 mm

Peso 220 kg

Capacidade Dep. Combustível 15 l

Concorrência

BMW C650 Sport   647cc / 60 CV / 249 kg / 11.856 euros

Honda X-ADV    745cc / 55 CV / 238 Kg / 11.500 euros

KYMCO AK550  550cc / 53,7 CV / 230 Kg / 10.249 euros

Vídeo do Ensaio

Galeria de Imagens

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!