Teste Yamaha Ténéré World Raid – Estética Africana na Ténéré mais completa

By on 21 Junho, 2022

Teste realizado por Alex Medina – Solomoto

Uma nova versão que logicamente apresenta uma maior volumetria e que se adaptará melhor aos amantes das longas travessias. Tivemos a oportunidade de a testar numa viagem realizada de cerca de 340 Kms entre Lorca e Granada, entre pistas offroad e estradas de asfalto.. Uma jornada intensa , com muito pó e temperaturas acima dos 30º, realidade na qual a Ténéré World Raid se encontrava na “sua praia”.

Toda uma experiência na qual a nova Ténéré demonstrou estar mais do que à altura : bastante ágil e manejável apesar do seu maior peso e volume, suspensões melhoradas e com um excelente desempenho em qualquer tipo de terreno e uma sensação de maior estabilidade do que a versão base nos percursos mais rápidos.

De acordo com o posicionamento da marca esta nova Ténéré World Raid está destinada para os amantes do offroad que procuram uma pilotagem mais desportiva, inspirados no Dakar. Não deixa de ser curioso como a Ténéré dos anos 70 e 80 com a sua auréola africana, continua a estar tão presente. Apesar da Yamaha ter decidido abandonar o Rally do Dakar que se disputa na Arábia, mantém a presença em provas africanas como a Africa ECO Race na qual este ano irão participar com os pilotos Alessandro Bottouri e Pol Tarrés.

A nova Ténéré está destinada, de acordo com a Yamaha, a viajantes que percorrem longas distâncias à procura de destinos e lugares icónicos. Está também destinada a a viajantes que procuram novas culturas, percorrendo estradas sem terem necessariamente que limitar-se ao asfalto. De acordo com um estudo recente, existe um aumento de utilizadores que procuram motos entre os 600cc e os 900cc, realidade que na Europa passou de 20.000 utilizadores em 2015 para mais de 50.000 em 2021, isto apesar de ter sido um ano atípico por força da pandemia. O objectivo da Yamaha para 2022 é o de vender mais de 20.000 unidades repartidas pelas três versões da Yamaha Ténéré, com 40% para a versão base, 25% para a versão Rally e um ambicioso 35% para a nova versão World Raid.

A nova versão World Raid da Ténéré

Conservando o já sobejamente conhecido motor CP2 da Yamaha, do qual já se fabricaram mais de 220.000 unidades, a lista de novidades da nova Ténéré World Raid posicionam-na como a versão mais completa da família. A nova estética mais africana adoptada mantém parecenças com as versões anteriores, onde se destaca o frontal com dois pequenos faróis de tecnologia LED e sobretudo um novo depósito de combustível com capacidade para 23 litros que tem a particularidade de estar dividido em duas metades e ter dois tampões de enchimento. A bomba de gasolina que alimenta os dois depósitos assim como o filtro do ar foram reposicionados para uma melhor gestão. O facto de agora o depósito estar divido em dois tem como objectivo evitar que a gasolina uma maior deslocação do combustível no seu interior e assim poder desequilibrar a moto na sua condução, sobretudo em travagens e em curva.

O seu design foi estudado para situar os depósitos de combustível numa posição mais baixa nas suas laterais, estando inclusivamente o topo dos mesmos mais baixo do que na versão base, permitindo que a diferença entre a altura do assento e do depósito seja menor permitindo inclusivamente que o assento se prolongue sobre o mesmo, garantindo maior movimento do piloto durante a condução. Ou seja, um depósito mais baixo e com mais capacidade e um assento de dois elementos mais plano, com 890mm ao solo e com maior superfície permitindo deslocar o nosso peso mais para a frente.

O pára-brisas é agora 15mm mais alto oferecendo maior proteção, graças ainda à montagem de defletores laterais. O novo painel vertical TFT de 5” permite conectividade e incorpora novas funções relacionadas com a possibilidade de optar entre 3 modos de travagem com ABS. O modo que que activa o ABS em ambas as rodas, uma segunda opção que desliga a roda traseira e uma última opção que desliga totalmente o ABS.

Mais novidades

A versão World Raid continua a ser uma moto algo básica em matéria de ajudas electrónicas já que não inclui Controle de Tração nem diferentes Modos de Condução. Para desligar o ABS a solução proposta na versão base de apertamos um botão é bem mais simples já que na World Raid é necessário entrar no Menu através de uma pequena roda e acionar as diferentes opções.

Já outro aspecto parece-nos positivo que é a possibilidade de acionar o GPS a partir do painel TFT, de forma que os totalizadores ( Trip ) se possam adaptar à função de navegação. Outra novidade evidente e muito bem-vinda é a montagem de série de uma amortecedor de direção da Ohlins com 18 posições. Em matéria de suspensões há que dar destaque à nova forquilha dianteira da Kayaba assim como ao amortecedor traseiro com depósito de alumínio separado.

A suspensão dianteira tem agora 230mm de curso, ou seja, mais 20mm do que a versão base e tem um acabamento exterior em Kashima, conservando a possibilidade de ser regulada em pré-carga de mola, extensão e compressão.  O amortecedor traseiro tem igualmente um curso de 230mm e apresenta um regulador externo e acessível de pré-carga de mola.

A rodar na Ténéré World Raid

A primeira sensação que temos ao sentar-nos na Ténéré World Raid é a da sua maior dimensão e da maior proteção aerodinâmica. Apesar do meu metro e oitenta sentimo-nos bem integrados e bem protegidos no conjunto. O desenho bem conseguido do assento garante um maior conforto para viagens mais longas. As suas formas estreitas permitem-nos mover com facilidade sobre o mesmo quando conduzimos em pé. Os poisa-pés são de grande dimensão permitem um excelente apoio das nossas botas de offroad garantindo um conforto extra graças às borrachas amovíveis.

Por estrada a World Raid com a sua roda dianteira de 21” formam um conjunto com excelente solvência e parece inclusivamente ter ganho maior estabilidade na dianteira. O aumento do curso de suspensões não parece provocar um maior afundamento nas travagens mais fortes nem uma transferência de peso excessiva, mantendo um comportamento estável no trem dianteiro e garantindo uma maior segurança e confiança do conjunto. A sensação é de grande facilidade e manobrabilidade com as suspensões a absorverem de forma surpreendente todas as irregularidades do asfalto.

Motor e desempenho no asfalto

Um dos aspectos no qual se destaca a família Ténéré é sem sombra de dúvida o seu fantástico motor CP2, um motor de tecnologia “Crossplane” e cambota a 270º, utilizado pela marca com enorme sucesso em vários modelos da sua gama, com excelente tacto, que fazem deste bicilíndrico em linha com 689cc um motor com uma resposta imediata, simultaneamente suave e elástico, que se adapta às necessidades da família Ténéré.  A World Raid inclui uma proteção de cárter de alumínio de 3 peças e uma rede de proteção do radiador.

O único que sentimos alguma falta foi de um maior “punch” em percursos de estrada mais rápidos e uma resposta de maior aceleração com um simples rodar de punho nas ultrapassagens em auto-estrada, sendo quase sempre obrigados a meter uma mudança a baixo. Já em estradas de montanha a condução é muito divertida mantendo um ritmo desportiva perto das 7.000 rpm, isto apesar de não ser uma moto demasiado excitante. Os pneus Pirelli Scorpion Rally tem um excelente comportamento em estrada, garantindo uma boa aderência e permitindo um excelente controle mesmo no acelerar em terceira velocidade à saída das curvas e provocando um ligeiro derrapar da roda traseira.

OffRoad e polivalência

A polivalência é de facto o aspecto mais destacado da versão World Raid. Confortável em estrada, com uma boa proteção aerodinâmica, divertida entre curvas e com um comportamento muito natural fora de estrada. Naturalmente que se encontra mais à vontade em estradões e pistas de bom piso de terra do que em terrenos mais complicados e trialeiras. Uma moto com mais de 200 Kg requer nessas circunstâncias um nível de pilotagem superior. Já de pé nos generosos poisa-pés, verificamos a enorme facilidade com que fazemos deslocar o peso do nosso corpo sobre o assento garantindo a melhor distribuição de massas em qualquer situação. Já sentados as pernas ficam demasiado abertas pela dimensão dos depósitos. O preço que há que pagar pelos 25 litros de capacidade que nos permitirão chegar mais longe sem necessidade de abastecer.

A World Raid é uma moto que se conduz sem esforço. As suspensões trabalham melhor e com mais possibilidades de regulação do que na versão base, oferecendo um melhor desempenho na superação de estradas com pedras e raízes e mesmo no caso de obstáculos de maior dimensão. O tacto do acelerador, a resposta do motor e o comportamento das suspensões garantem uma constante harmonia tornando a condução fácil e agradável. Sinceramente, o conjunto das suspensões e sobretudo o desempenho do amortecedor traseiro em offroad, está algo acima daquilo que conhecemos na maioria das motos do seu segmento em condução fora de estrada.

Definitivamente a Yamaha deu mais um passo em frente com esta nova versão da Ténéré que sem qualquer dúvida é a melhor equipada da gama. É mais pesada e alta do que a versão base mas bastante mais redonda e agradável em todos os sentidos.

Cores disponíveis da Ténéré World Raid

O que mais gostámos e o que menos da Ténéré World Raid

Em Cidade: É alta de assento pelo que há que ter alguma atenção nas manobras. É algo volumosa também mas o carácter suave do seu motor e a sua facilidade de condução permitem mover-nos com agilidade no tráfico urbano.

Em Estrada: Uma moto que se destaca pelo seu equilíbrio e naturalidade na sua condução. Manobrável, com suspensões e travões com excelente desempenho e o motor também muito agradável com uma boa resposta nos baixos e médios regimes.

Em Auto-estrada: Boa proteção aerodinâmica, com pára-brisas mais alto e defletores laterais, tanto ao nível do capacete como das pernas, a encaixarmo-nos bem junto ao depósito. Instrumentação clara com boa visibilidade e um aspecto determinante que é a sua autonomia que pode chegar aos 500 kms.

A Yamaha Ténéré World Raid face às suas rivais

Yamaha Ténéré World Raid  689cc /73.4 CV / 220 Kg / 13.145 eur
Aprilia Tuareg 660  659cc /  80 CV / 204 Kg / 12.200 eur
BMW F 850 GS/GSA   853cc / 95 CV / 229Kg / 12.750/13.616 eur
KTM 890 Adventure   889cc / 104 CV / 196 kg / 14.509 eur

Ficha técnica

Motor tipo:Bicilíndrico em linha transversal, 4T LC DOHC 8 v
Diâmetro x curso:88 x 68,6 mm x 2
Cilindrada:689 c.c.
Potência máxima:73’4 cv @ 9.000 rpm
Par motor máximo:106 Nm @ 9.250 rpm.
Alimentação:Injeção electrónica
Emissões CO2:100 g/km
Caixa:6 velocidades
Embraiagem:Multidisco em óleo
Transmissão secundária:Por corrente de 0’rings
Tipo chassis:Duplo berço tubular em aço
Geometria de direção:27º/105º
Braço oscilante:De alumínio
Suspenssão dianteira:Forquilha invertida Kayaba 43/230mm curso e totalmente ajustável
Suspensão traseira:Mono-amortcedor Kayaba com bielas e 200 mm de curso
Travão dianteiro:2 discos 282 mm. pinças axiais Brembo de 2 pistões com ABS
Travão traseiro:1 disco 245 mm. pinça Tokico de 1 pistón com ABS
Rodas e Pneus:Pirelli Scorpion Rally  – 90/90 x 21” e 150/70 x 18”
Comprimento total:2.370 mm.
Altura máxima:1.355 mm.
Largura máxima:905 mm.
Distancia entre eixos:1.595 mm.
Peso em marcha204 kg (lleno)
Altura assento:875 mm.
Depósito:23 litros
Consumo médio:5 l
Autonomía teórica:500 km
Garantía oficial:2 años
Importador:Yamaha Motor Portugal
Contacto:( +351 ) 214 722 100
Web:yamaha-motor.eu

Galeria de Imagens

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments