Caso Norton: Garner condenado

By on 29 Junho, 2020

O antigo dono de um dos nomes mais famosos da engenharia britânica foi condenado a devolver milhões de libras aos investidores.

Stuart Garner dirigiu a Norton Motorcycles, com sede em Leicester, desde 2008 até à recente falência em Janeiro.

O Provedor de Justiça das Pensões disse que o Sr. Garner agiu de forma desonesta e violou o seu dever como administrador de um regime de pensões.

Garner foi intimado a reembolsar o dinheiro investido nos regimes, que totaliza pelo menos 11 milhões de libras.

A muito mediatizada compra da empresa por Stuart Garner atraiu interesse ministerial e investidores vários, mas queixas começaram a aparecer quando os investidores tentaram tirar dinheiro dos dividendos.

As atenções centraram-se nos regimes de pensão Dominator 2012, Commando 2012 e Donington MC, dos quais Garner era o único administrador.

Quando a empresa entrou em falência, ostensivamente por causa de uma fatura de impostos não paga, alguns investidores disseram que tinham perdido dezenas de milhares de libras.

No seu acórdão, o Provedor de Justiça das Pensões disse que, embora os fundos “não tivessem sido, perante a lei, inicialmente criados para fins impróprios, Garner, como administrador, agiu de forma desonesta e violando o seu dever de isenção, o seu dever de não lucrar pessoalmente e o seu dever de agir com prudência”.

O provedor de Justiça considerou ainda que houve má administração da LD Administration Limited, que supervisionou os esquemas entre 2014 e 2018, por falta de conhecimento ou experiência necessária para a realização deste trabalho.

O Provedor de Justiça também ordenou ao Sr. Garner e ao LD que efetuem pagamentos aos investidores por “angústia e inconveniência”, num total de, pelo menos, 180.000 libras.

Garner recusou-se a comentar quando foi contactado pela BBC.

A Norton foi comprada pela empresa indiana TVS Motor em Abril passado.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!