EICMA 2022: Kawasaki avança na mobilidade elétrica

By on 10 Novembro, 2022

Na EICMA o foco é na mobilidade elétrica, setor em que o fabricante japonês aposta decisivamente. No Salão de Milão viu-se a Z de propulsão elétrica já visto na Intermot, enquanto a nova versão é a versão Ninja alimentada por uma bateria dupla com um máximo de 3,0 kWh.

Verde é a cor da Kawasaki e verde (no sentido de ecologia) é o seu futuro. Na EICMA, aliás, o foco está na mobilidade elétrica, sector em que a fabricante aposta decisivamente. O presidente da Kawasaki Motors Corporation, Hiroshi Ito, anunciou o novo slogan “Go with Green Power”, que acompanhará a “linha verde” de Akashi com o objetivo de alcançar a neutralidade de carbono em um período de tempo não declarado, mas genericamente definido como “estratégico”.

Ninja Elétrica e Z

No Salão de Milão, viu-se a Z movida a eletricidade já vista na Intermot, um veículo recreativo projetado para passageiros em centros urbanos. A novidade é a versão Ninja alimentada por bateria dupla com capacidade máxima de 3,0 kWh. Não são conceitos: estarão à venda já em 2023 e podem ser conduzidos com uma licença A1.

Protótipo híbrido HEV

Ainda um protótipo, porém, é o HEV (acima), a primeira moto híbrida da Kawasaki, que combina um motor de combustão interna e um elétrico. Deverá entrar em produção em 2024.

Motor experimental a hidrogénio

Espaço também para propostas mais futuristas como o triciclo elétrico “Noslisu”; ou o motor experimental a hidrogénio baseado no motor Ninja H2, com compressor, injeção direta e hidrogénio como combustível. Por outro lado, a Elektrode, uma minibicicleta elétrica off-road distribuída na América do Norte, é já uma realidade.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments