Entrevista, Zhang Xue (Kove): “O Dakar é apenas o começo”

By on 2 Dezembro, 2022

Nascida há apenas cinco anos, a Kove já está entre as principais marcas da China. Agora aterra na Europa com uma gama bem cuidada, na qual se destacam alguns veículos offroad muito interessantes.

Entre as empresas que mais fizeram os entusiastas e operadores discutirem no EICMA de Milão está certamente a Kove, pelas suas motos e pelo anúncio da participação no próximo Dakar com uma equipa toda chinesa, incluindo os pilotos. Mas esses são apenas os primeiros passos da estratégia da empresa chinesa.

A presença da Kove no EICMA gerou muita discussão. A empresa chinesa (praticamente desconhecida na Europa antes do EICMA 2022) apresentou uma vasta e interessante gama, com motos atrativas para o público europeu incluindo uma simpática bicilíndrica 800 crossover, uma monocilíndrica 450 para Rally e um modelo de motocross 250 muito leve.

Mas o que mais se falou foi o anúncio da inscrição de uma equipa própria com três pilotos chineses na próxima edição do Dakar que se disputará na Arábia Saudita de 31 de dezembro de 2022 a 14 de janeiro de 2023. Uma prova invulgar, exigente mas certamente eficaz para se dar a conhecer nos mercados ocidentais.

Zhang Xue, gerente geral da Kove, é um verdadeiro entusiasta das motos (testa pessoalmente todos os seu produtos) e tem a mente povoada por ideias interessantes. O que ele disse à publicação italiana In Sella:

Ambições da empresa para o futuro próximo

“O que conseguimos nestes primeiros 5 anos é apenas o ponto de partida. Quanto à velocidade de expansão, estamos satisfeitos, mas não descansamos sobre os louros: a cada produto que lançamos no mercado, aumentamos a nossa experiência e aumentamos a capacidade de projetar, desenvolver e produzir da empresa.

Obviamente para o próximo ano temos novos modelos prontos para lançamento. Não sei dizer o que é, mas dado o nosso DNA offroad, o enduro on-off será certamente a nossa ponta de lança”.

Qualidades dos produtos

“Os produtos Made in China devem tornar-se sinónimo de “coisas bem feitas”, e a Kove quer ser o seu primeiro embaixador. Claramente, o mercado que faz mais volumes é aquele que atende os utilizadores normais, com necessidades menos sofisticadas do que as dos mais experientes. No entanto, acreditamos que os dois lados da moeda não são opostos, mas complementares entre si.

Os nossos produtos serão capazes de enfrentar as dunas do deserto nas mãos de um piloto profissional e satisfazer o utilizador médio nas suas deslocações diárias. Vejamos a crossover bicilíndrica 800 X apresentado na EICMA: é uma moto para todos os dias, mantendo um DNA off-road capaz de satisfazer até mesmo um exigente piloto especialista em offroad.”

A chegada a um alto padrão de qualidade

“O crédito vai inteiramente para as pessoas que trabalham na Kove. Atualmente contamos com mais de 600 colaboradores, dos quais mais de 25% são técnicos e mecânicos, pessoas com graxa debaixo das unhas. Vendemos 30.000 peças no ano passado (quase todas na China no momento). No entanto, o crescimento é exponencial, e já este ano ambicionamos uma cifra entre as 50 e as 60.000 peças.

A competição

“Vamos focar-nos muito nas competições internacionais: com a 450 Rally vamos competir no Dakar 2023, enquanto com a 250 apresentada este ano vamos participar no campeonato do mundo de MXGP2. O departamento de corrida já está ativo há algum tempo, o objetivo é administrar tudo internamente. Com efeito, para dizer a verdade, temos três “departamentos de corrida”: motocross, aventura e velocidade na pista, especialidade que nos vê empenhados com sucesso em alguns campeonatos na China.

Quanto ao Dakar, este ano a equipa será toda chinesa, a começar pelos três pilotos seleccionados e formados ao longo dos últimos 4 anos: aqui, uma grande empresa tem responsabilidades sócio-políticas que vão para além das fronteiras corporativas, e para beneficiar de suporte total do sistema, os pilotos neste momento devem ser chineses.”

Motos elétricas

“Estamos sempre de olho no futuro. O nosso departamento de desenvolvimento de motores elétricos não só já existe, como já trabalha há algum tempo numa moto que apresentaremos no ano que vem.”

 Conclui Zhang Xue, um verdadeiro apaixonado pelo motociclismo e, nesse sentido, um dos melhores embaixadores da China.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments