Estudo revela dados curiosos sobre as preferências dos motociclistas

By on 13 Maio, 2022

Passear de moto (ou scooter) está no topo das preferências dos motociclista na Europa, enquanto na Ásia estes veículos são utlizados com um objetivo essencialmente utilitário, e não de lazer.

Que proporção da população usa veículos de duas rodas? Com que tipo de modelo? Para que uso? O instituto de pesquisas YouGov analisou o comportamento dos motociclistas em vários pontos do globo, e através de um estudo internacional, revela diferença fundamentais entre os utilizadores da moto.A pesquisa, realizada online em amostras representativas, foi realizada entre utilizadores da moto franceses, italianos, espanhóis, indianos e tailandeses.

As scooters no topo do mercado

A primeira observação deste inquérito é que o escopo dos veículos motorizados de duas rodas não é o mesmo na Ásia e na Europa. Enquanto os motociclistas representam apenas 12 e 21% dos entrevistados em França, Itália e Espanha, eles são claramente a maioria no Extremo Oriente: 73% dos entrevistados na Índia dizem que possuem uma moto ou pensam em comprar uma; e são 60% na Tailândia. Por outro lado, enquanto a esmagadora maioria possui apenas um veículo de duas rodas, concretamente em Itália, onde é o caso de três quartos dos entrevistados, quase um em cada 10 motociclistas franceses possui três veículos de duas rodas.

Em geral, a scooter representa a maior parte do mercado nesses 5 países à frente das naked, desportivas de estrada, trails e scooters elétricas. É também a categoria scooter que mais se destaca em cada país, especialmente em Itália para 45% dos entrevistados, muito à frente dos ciclomotores, como em Espanha. No entanto, as medidas implementadas na Índia converteram utilizadores, pois muitos deles já usam uma scooter elétrica. Em França, atrás das scooters estão as motos naked, muito populares e à frente das motos desportivas.

Hábitos de condução

A pesquisa também revela grandes diferenças nos padrões de uso dos veículos motorizados de duas rodas. Por exemplo, se metade dos tailandeses usam a moto ou scooter para se deslocarem ou trabalhar, comparativamente apenas um terço em Espanha e Itália o faz com igual propósito . Em França, essa diferença é ainda mais acentuada, com apenas 16% dos veículos de duas rodas usados ​​para deslocação diária. Em contraste, 59% das motos e scooters são usadas para passear de moto em França, mostrando que as duas rodas são usadas principalmente para lazer.

Critérios de escolha

Inevitavelmente, os critérios de escolha dos veículos de duas rodas são diretamente impactados pelo uso que se pretende fazer. Sem surpresa, o consumo de combustível é, portanto, o principal critério de escolha na Ásia e o segundo em Espanha e Itália – o primeiro critério para o uso da moto é economizar,  logo à frente da segurança nos países asiáticos. Em França, estes dois critérios nem sequer aparecem no top 3 onde os critérios principais são a  facilidade de condução, design e performance.

Conhecimento da marca

Último ponto analisado: o reconhecimento da marca. No geral, os quatro fabricantes japoneses são os mais conhecidos, à frente da BMW e da Harley-Davidson . A Honda também é a marca com a impressão mais positiva, que parece ser a mais confiável para os entrevistados, à frente da BMW e da Harley-Davidson e que oferece a melhor relação custo-benefício.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments